Bio Alsácia

Um dos pioneiros da agricultura biodinâmica na Alsácia, Domaine Barmès Buecher ajudou a mudar a mentalidade da região

Por Arnaldo Grizzo e Eduardo Milan em 4 de Outubro de 2013 às 00:00

Um belo dia, depois de ter feito um curso de uma semana sobre técnicas biodinâmicas na escola de viticultura de Rouffach, François Barmès chegou para sua esposa, Geneviève Buecher, e disse: “Vou converter tudo”. Impetuoso, não perdeu tempo e fez um tratamento de choque em seus 16 hectares de vinhedos ao redor da cidade de Wettolsheim (sudoeste de Colmar), adaptando-os à filosofia do biodinamismo.

“Em 1995, as culturas biodinâmicas ainda estavam começando na Alsácia. Não havia outras experiências. Era um risco na época”, afirma Sophie Barmès, herdeira do Domaine Barmès Buecher. Ela lembra que seu pai resolveu fazer tudo de uma hora para outra. “Ele podia perder tudo”, admite. “Mas estava certo disso”, completa.

Realmente, converter seus vinhedos para a agricultura biodinâmica foi o que fez a diferença para o Domaine, que havia sido criado em 1985, apenas 10 anos antes de François apostar todas as suas fichas nas teorias de Rudolf Steiner. Foi assim que ele encontrou uma maneira de diferenciar seus vinhos do que acreditava ser a produção corrente “padronizada” alsaciana da época.

A conversão para a agricultura biodinâmica foi de uma hora para outra. “Podia ter perdido tudo. Era um risco”, admite Sophie Barmès

Frente a frente

A cultura da vinha era antiga para os Barmès e os Buecher, que possuíam vinhedos desde o século XVII. Nas terras de ambas as famílias, porém, havia uma policultura que, além de uvas, cultivava outros gêneros alimentícios e também criava animais. Na década de 1970, o pai de François já engarrafava seus próprios vinhos, mas ainda era algo incipiente. Quando o filho assumiu o comando da propriedade, em 1985, a vitivinicultura passou a ser o único foco.

A família de Geneviève Buecher vivia em frente aos Barmès. Assim nasceu a paixão entre seus herdeiros, que logo se casaram. Na mesma época em que François ficou a cargo das terras de seus ancestrais, Geneviève também, e então decidiram unificar as propriedades sob o nome Domaine Barmès Buecher.

A princípio, François queria ser engenheiro, não seguiria os ofícios do pai, mas, ao mesmo tempo, era um bon vivant. “Meu pai era um apreciador da boa mesa, do bom vinho. E ele aprendeu a gostar dos vinhos biodinâmicos que provava. Dizia que tinham mais profundidade”, aponta Sophie, contando as origens da inspiração paterna.

No começo dos anos 1990, François estava cada vez mais interessado na agricultura biodinâmica, buscando informação por todos os lados. No curso que fez em 1995, encontrou-se com um dos pioneiros do biodinamismo na França, François Boucher, que havia convertido seus vinhedos em 1961. Antes disso, François tinha lido livros de Rudolf Steiner e compreendido pouco. Agora, consciente da importância dessa técnica para as vinhas, resolveu implementá-las subitamente. “Nos dois, três primeiros anos teve muito trabalho”, lembra Sophie. “A vinha sofreu, mas agora está equilibrada”, assegura.

François, no entanto, viveu apenas o suficiente para ver as maravilhas que esse tipo de agricultura poderia fazer com seus vinhedos e, consequentemente, seus vinhos. Ferrenho defensor do biodinamismo, ele faleceu após um trágico acidente, em 2011, atropelado enquanto andava de bicicleta perto de sua casa. Logo, Geneviève, Sophie e o irmão Maxime tomaram as rédeas do legado de François. Maxime é o enólogo da casa.

Biodinâmico

Segundo os defensores da agricultura biodinâmica, são necessários cerca de 10 anos para que os efeitos da conversão sejam sentidos em um vinhedo. “É como uma homeopatia. Tem muita prevenção, observação. Cada ano é diferente”, diz Sophie, tentando explicar um pouco da filosofia biodinâmica, que define os 16 hectares de vinhedos que a família possui em cinco vilas diferentes ao redor de Wettolsheim. “Trabalhamos em sete terroirs diferentes. Três Grand Cru e quatro lieu-dit (nome das vilas)”, aponta.

“O cultivo biodinâmico demanda duas vezes mais trabalho do que a viticultura convencional”, acrescenta Sophie, que diz ter cinco funcionários permanentes, que dedicam quase todo tempo à vinha. Ela diz que esse tipo de agricultura é trabalhosa, mas faz com que as plantas fiquem mais resistentes. Ela lembra que, anos atrás, as vinhas de um vizinho adoeceram, mas as de sua família, não. “O vizinho veio perguntar ao meu pai: ‘O que você coloca no vinhedo?’ E ele respondeu: ‘São as plantas. Não coloco nada. Elas são mais fortes”, conta. No entanto, ela indica que, atualmente, muitos produtores já adotaram formas de cultivo mais naturais, mesmo que não biodinâmicas.

Além do cultivo biodinâmico, Barmès Buecher tem outra singularidade. “Nossas terras têm de 7.500 a 8.000 plantas por hectare, sendo que a média na Alsácia é de 5 a 6 mil”, diz a herdeira. Ela explica que isso faz com que haja mais competição entre as vinhas, assim as raízes precisam se aprofundar mais no solo para capturar nutrientes e minerais. Além disso, obviamente, eles não usam leveduras que não sejam indígenas, o que faz com que a fermentação seja bastante longa. Assim, os vinhos não passam por nenhum tipo de processo de afinamento ou qualquer outra coisa que possa “estressá-lo”.

A cada safra, o Domaine produz mais de 20 vinhos diferentes, incluindo um Crémant, alcançando 110 mil garrafas. Seu enfoque são os vinhedos e terroirs, não a cepa, tanto que Sophie faz questão de comentar os tipos de solos presentes em cada território e como eles influenciam no seu vinho. “Há uma paleta geológica muito variada”, lembra, comparando a Alsácia à Borgonha com seus inúmeros terroirs.

Degustação

Para ajudar a entender essas diferenças de terroir, realçadas pela agricultura biodinâmica, ADEGA teve a oportunidade de degustar oito rótulos do produtor Barmès Buecher e pôde observar que todos eles apresentam um elo comum, o respeito pela fruta e a busca por uma expressão de lugar. Isso fica ainda mais claro quando se comparam os quatro Riesling, todos de personalidades distintas, mas elaborados com os mesmos métodos de vinificação, incluindo-se aqui a fermentação por leveduras indígenas. Soma-se a isso o fato de que são vinhos, tanto os brancos como os tintos, que mostram grande capacidade de envelhecimento, pois alguns rótulos estão em plena forma, mesmo os dois brancos da safra 2005 que, apesar de não terem mais uma fruta exuberante e fresca, desenvolveram aromas mais complexos e continuam vivíssimos e com frescor.

AD 89 pontos
CRÉMANT D’ALSACE BRUT ZERO DOSAGE 2009

Domaine Barmès Buecher, Alsácia, França (Casa Flora R$ 135). Espumante branco Brut elaborado a partir de Pinot Blanc, Chardonnay e Pinot Gris, com 18 meses de estágio sob as leveduras. Apresenta cor amarelo-citrino de reflexos esverdeados e perlage fino e delicado, aromas de frutas brancas e cítricas maduras, envoltos por notas tostadas, florais, herbáceas e de pão. No palato, é frutado, estruturado e cremoso, tem boa acidez, ótimo volume de boca e final longo. EM

AD 91 pontos
PINOT D’ALSACE 2005

Domaine Barmès Buecher, Alsácia, França (Casa Flora R$ 68). Branco meio seco elaborado exclusivamente a partir de uvas advindas de um único vinhedo de 0,5 hectare, com estágio de 10 meses em barris de 600 litros de carvalho. Apresenta cor amarelo-dourado e aromas de frutas brancas e de caroço mais passadas, notas oxidativas que aportam complexidade, além de toques florais, de cera de abelha, de frutos secos, de baunilha e de mel. Em boca, é frutado, estruturado, potente, cheio, agradável, tem ótimo volume, acidez vibrante e final persistente e cheio, com notas de maçã madura. EM

AD 90 pontos
RIESLING HERRENWEG 2009

Domaine Barmès Buecher, Alsácia, França (Casa Flora R$ 95). Branco elaborado exclusivamente a partir de Riesling, com 10 meses de sur lie em tanques de aço inox. Apresenta linda cor amarelo-palha e aromas típicos de frutas brancas maduras, com pronunciadas notas minerais, herbáceas e sutil floral. Em boca, é frutado, estruturado, direto, super austero e profundo, tem acidez vibrante e final persistente, mostrando aspectos defumados e minerais. EM

Sophie, Maxime e Geneviève

Sophie, Maxime e Geneviève

AD 91 pontos
RIESLING LIEMENTHAL 2005

Domaine Barmès Buecher, Alsácia, França (Casa Flora R$ 132). Branco elaborado exclusivamente a partir de uvas Riesling advindas de um vinhedo plantado em solo argilo-calcário, com sur lie de 10 meses em tanques de aço inox. Apresenta cor amarelo-palha de reflexos dourados e aromas de frutas brancas e tropicais maduras, com notas de frutos secos e de baunilha, além de toques minerais, florais, oxidativos, de mel e de ervas secas, que trazem complexidade ao conjunto. Em boca, esbanja austeridade e confirma o estilo de frutas mais maduras do nariz, é estruturado, equilibrado, elegante, tem ótima acidez, bom volume e final persistente, com notas de frutas passas e sutil toque de manteiga e mel. Mais cheio e untuoso que o Herrenweg, talvez por ter mais anos de garrafa. EM

AD 92 pontos
RIESLING HENGST ALSACE GRAND CRU 2007

Domaine Barmès Buecher, Alsácia, França (Casa Flora R$ 169). Branco elaborado exclusivamente a partir de uvas Riesling advindas de um vinhedo de 30 anos, com sur lie de 10 meses em tanques de aço inox. Apresenta cor amarelo-palha de reflexos dourados e aromas de frutas brancas e tropicais maduras envoltos por pronunciadas notas minerais e de frutos secos, além de toques florais, de ervas secas e de mel. Em boca, é frutado, seco, mineral, equilibrado, austero, tem acidez vibrante, ótimo volume de boca e final profundo e persistente, com notas de maçãs maduras e maracujá doce. Elegante, gostoso, complexo e puro. Mais delicado, feminino e elegante dos quatro Riesling provados. EM

AD 94 pontos
RIESLING CLOS SAND 2008

Domaine Barmès Buecher, Alsácia, França (Casa Flora R$ 205). Branco elaborado exclusivamente a partir de uvas Riesling cultivadas em um vinhedo minúsculo, de apenas 400 metros quadrados, com sur lie de 10 meses em tanques de aço inox. Apresenta cor amarelo-palha de reflexos esverdeados e aromas de frutas brancas e de caroço, com notas minerais, florais e de frutos secos, além de toques herbáceos e de especiarias doces. Em boca, alia fruta, acidez vibrante e volume de boca com uma estrutura firme e austera que lhe confere profundidade e elegância ímpares. Consegue ser sério, intenso e delicado ao mesmo tempo. Puro seria a palavra adequada para descrevê-lo. EM

AD 90 pontos
PINOT NOIR RESERVE 2010

Domaine Barmès Buecher, Alsácia, França (Casa Flora R$ 155). Tinto elaborado exclusivamente a partir de Pinot Noir, com estágio de 10 meses em barricas borgonhesas usadas. Apresenta cor vermelho-rubi translúcido e aromas típicos de cerejas e morangos maduros, notas florais, de especiarias doces e de ervas secas, além de toques herbáceos e minerais. Em boca, é frutado, estruturado, suculento, tem boa acidez, taninos macios e final persistente. EM

AD 92 pontos
PINOT NOIR VIEILLE VIGNE 2005

Domaine Barmès Buecher, Alsácia, França (Casa Flora R$ 257). Tinto elaborado exclusivamente a partir de uvas Pinot Noir advindas de um único vinhedo de 300 metros quadrados e de mais de 60 anos, com estágio de 24 meses em barricas borgonhesas de carvalho francês. Apresenta cor-vermelho rubi de reflexos acastanhados e aromas complexos de frutas vermelhas maduras, quase passadas, notas florais, minerais, de especiarias, de menta e de cereja em calda. Em boca, é frutado e ainda está jovem, é potente e elegante ao mesmo tempo, tem ótima textura, taninos finos, acidez vibrante e final longo e persistente. Para fazer inveja a muitos exemplares da Borgonha. EM


Perfil Bio Alsácia Rouffach François Barmès Geneviève Buecher Sophie Barmès Domaine Barmès Buecher

Artigo publicado nesta revista

10 coisas que você precisa saber para entender os vinhos da Borgonha

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 216,00
Assine Agora porR$ 194,40R$ 367,20R$ 56,70R$ 56,70
Desconto
EconomizaR$ 21,60R$ 64,80R$ 159,30R$ 159,30
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 64,80 6x R$ 61,20
Assinando agora você GANHA também POSTER DESCRITORES AR GUIA ADEGA 2017/2018
10 coisas que você precisa saber para entender os vinhos da Borgonha

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar



Receba o boletim Revista ADEGA

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas