Panorâmica imperdível

Em 2015, o guia Descorchados consolida-se como a grande referência de vinhos da América do Sul. Lançamento reuniu mais de 80 produtores e mil visitantes

Por Arnaldo Grizzo em 13 de Abril de 2015 às 00:00

"Se caísse uma bomba aqui e agora, a indústria do vinho na América do Sul estaria praticamente terminada”, brincou o jornalista chileno Patricio Tapia, autor do maior guia de vinhos da América do Sul, o Descorchados (em sua 16ª edição), ao dar as boas-vindas para os convidados da palestra de lançamento da versão 2015 realizada no dia 23 de março, em São Paulo.

A brincadeira, porém, revela a importância daquela reunião repleta dos maiores nomes da vitivinicultura sul-americana, que, em uma sala privada do restaurante Praça São Lourenço, apresentaram suas novidades para parte da nata da imprensa, dos formadores de sommeliers e dos importadores de vinho no Brasil. Lá se reuniram os principais enólogos da Argentina, Chile e Uruguai, como já havia ocorrido no ano passado. No entanto, em 2015 estrearam também os brasileiros, já que pela primeira vez os espumantes nacionais foram degustados por Tapia e incluídos no guia – que superou as mil páginas, com mais de 3 mil vinhos selecionados. “Uma bíblia”, brincou novamente Tapia.

Ao todo, o evento contou com mais de 80 vinícolas e recebeu, durante toda a tarde, mais de mil enófilos sedentos por provar as principais novidades apontadas pela publicação – que é editada no Brasil pela Inner Editora, responsável por ADEGA. Desde vinícolas consagradas como Concha y Toro, Santa Carolina, Santa Rita, Achaval-Ferrer, Bouza, Carrau, Casa Valduga, Miolo etc, até outras menos conhecidas pelo público como Cacique Maravilla, Gen del Alma, Bodegas RE, J.A. Jofré etc, trouxeram seus melhores vinhos, que foram degustados minuciosamente por todos aqueles que compareceram ao evento.

Muitas vezes “acusado” de valorizar “vinhos de nicho”, produtos que muitas vezes fogem do padrão e, às vezes, do paladar comum, Tapia logo fez questão de apresentar individualmente alguns dos destaques da edição 2015, sendo alguns deles “extremos”, mas outros com seu devido pé no mercado. “Pode-se optar por um ou outro caminho e ter sucesso, criar bons vinhos”, lembra Tapia.


Evento de lançamento ocorreu no restaurante Praça São Lourenço e recebeu mais de mil pessoas que provaram as principais novidades da América do Sul

Sendo assim, para a apresentação feita aos jornalistas, escalou alguns clássicos como Achaval-Ferrer Finca Bella Vista 2012, o Lota 2009, da Cousiño Macul (eleito o melhor tinto chileno) e o Casa Valduga Gran Reserva 60 meses Nature 2009 (escolhido o melhor espumante do Vale dos Vinhedos), por exemplo, assim como o Arnéis 2014, da Viñedos de los Vientos (eleito o melhor branco do Uruguai), Ji Ji Ji 2014, da Gen del Alma (vinho revelação da Argentina) ou o Viejas Tinajas Moscatel 2013, da De Martino (melhor branco do Chile) como alguns exemplos de vinhos “fora da curva”, que foram completados por outros projetos de grandes vinícolas que também decidiram ousar como Concha y Toro, com o Marques de Casa Concha Limited Edition País e Cinsault 2014, Santa Carolina, com o Specialties Tinto Montaña Malbec 2013, e a Cono Sur, do enólogo Adolfo Hurtado, que surpreendeu com o melhor Cabernet Sauvignon do Chile, o Silencio 2010.


Para o seminário de apresentação dos 18 vinhos selecionados por Tapia, vieram os enólogos responsáveis por cada produto para explicar aos convidados cada nuance. Jones Valduga (à esquerda), Adolfo Hurtado, da Cono Sur (à direita acima), Andrés Caballero, da Santa Carolina (à direita abaixo) estavam entre os palestrantes

De olho no futuro

“O evento está espetacular. Aqui você pode encontrar os melhores produtores e, mais do que isso, provar em primeira mão as principais novidades, vinhos e estilos que serão tendências nos próximos anos”, constatou Marcelo Wollerman, proprietário de uma loja de vinhos em Indaiatuba, interior de São Paulo. Sua visão é confirmada por ninguém menos que Marcelo Papa, enólogo da Concha y Toro, responsável pelas linhas Casillero del Diablo e Marques de Casa Concha. “Percebemos as mudanças nos perfis de consumo com o tempo, assim como nós, produtores, também tendemos a direcionar essas mudanças mesmo que sutilmente. Introduzimos essas mudanças aos poucos”, comentou Papa ao explicar o lançamento da surpreendente versão limitada de Marques de Casa Concha feito com País e Cinsault.

É em um evento como o lançamento do Descorchados que se podem sentir as sutis mudanças nos perfis dos vinhos ao longo dos anos. “Essa tendência de vinhos mais bebíveis instalou-se há uns cinco anos e agora começa a render mais frutos, com as novas safras, pois cada mudança no vinhedo ou na vinícola leva tempo para aparecer na taça”, revelou Papa. Mas não é somente a Concha y Toro que, aos poucos, vai apostando nesse perfil de frescor e limpidez de fruta, deixando um pouco de lado a concentração e potência. Diversos dos vinhos apresentados apelavam para esse “novo” estilo, como a linha Polígonos, da Zuccardi, ou o Vinos Fríos del Año 2014, de J.A. Jofré, ou o Roca Madre Malbec 2013, da Tabalí etc. Um dos que confirmaram essa perspectiva foi Juan Pablo Michelini, da Zorzal, que apresentou seu Eggo Tinto de Tiza Malbec 2013, considerado o melhor tinto argentino do ano. “Com esse vinho conseguimos alcançar o que há muito tempo temos buscado na família. Há 14 anos trabalho com meu irmão, Matias, em Gualtallary, e sempre nossa filosofia de vinhos foi na direção de grande acidez, mais fluidos na boca, que tenham um bom caráter de solo”, disse.

Convidados puderam provar desde vinhos clássicos até os “fora da curva” em um painel repleto de ótimas novidades

Encontro poderoso

No entanto, o evento de lançamento do Descorchados não serve apenas para que os jornalistas observem as novidades e tendências do mercado sul-americano, mas também é um poderoso instrumento de aproximação dos enólogos, uma forma de eles trocarem experiências e descobrirem o que seus “concorrentes” estão fazendo.

“Hoje, há uma sinergia muito maior entre os enólogos da América do Sul, seja da Argentina, seja do Brasil, seja do Chile, seja do Uruguai. Estamos em um continente que pode oferecer muitas coisas diferentes para os consumidores do mundo todo, muitas novidades, e cada vez mais estamos em contato, vendo o que cada um está fazendo, degustando, trocando opiniões. E o Descorchados certamente é um desses pontos de convergência para nós. Aqui podemos trocar ideias, provar as novidades de cada um, aprender”, afirmou Santiago Achaval, enólogo da premiada vinícola Achaval-Ferrer, na Argentina.

E sua percepção pôde ser observada durante todo o evento. Para o seminário de apresentação dos 18 vinhos selecionados por Tapia, vieram os enólogos responsáveis por cada produto para explicar aos convidados cada nuance. No entanto, não apenas os jornalistas se detiveram com as falas dos especialistas, mas também seus colegas, que não somente provaram, mas questionaram os “palestrantes” sobre como chegaram àquele resultado na taça.

Entre os presentes estavam, além dos já citados, Andrés Caballero, enólogo da Santa Carolina, Felipe Tosso, da Ventisquero e Tara, Alejandro Sejanovich, enólogo de diversas vinícolas argentinas, entre elas Zaha, Felipe Müller, da Tabalí, Marcelo Retamal, da De Martino, Carlos Cousiño, proprietário da Cousiño Macul, Mario Geisse, da Casa Silva e Cave Geisse, Flávio Pizzato, da Pizzato, Estela de Frutos, da Estancia La Cruz, Alejandro Cardoso, do Grupo X Decima e Estrelas do Brasil, Christian Bernardi, da Gran Legado, entre tantos outros que, a todo momento se reuniam em pequenas rodas de conversa ou então chamavam uns aos outros para que provassem seus vinhos ou novidades que “descobriam” em outros produtores.

Se para eles o lançamento do Descorchados é uma chance de conhecer cada vez mais e ampliar os horizontes do vinho na América do Sul, imagine para as mais de mil pessoas que puderam acompanhar de perto esse encontro único e imperdível. Para quem não quem não teve a oportunidade de ir ao lançamento, ADEGA traz aqui uma seleção dos vinhos que se destacaram, mas como é impossível avaliar um quadro olhando algumas pinceladas, você pode se deliciar com as mais de mil páginas do Descorchados (www.lojaadega.com.br).

Alguns destaques do descorchados 2015

ARGENTINA:

97 pontos
Catena Zapata White Bones Chardonnay 2012 - melhor branco argentino

94 pontos
Polígonos San Pablo Malbec 2013 - vinho revelação argentino

96 pontos
Trivento Eolo Malbec 2011 - eleito Luján de Cuyo

BRASIL:

92 pontos
Casa Valduga Gran Reserva Nature Chardonnay Pinot Noir 2009 - Eleito Vale dos Vinhedos

93 pontos
Cave Geisse Terroir Nature Pinot Noir Chardonnay 2009 - Melhor espumante brasileiro

92 pontos
Pizzato Vertigo Brut Nature Chardonnay Pinot Noir 2012 - espumante revelação do ano

CHILE:

95 pontos
Bodegas RE Re Nace Cariñena 2013 - melhor Cariñena

95 pontos
Tabalí Talinay Sauvignon Blanc 2014 - entre os melhores Sauvignon Blanc chilenos

95 pontos
Tara Red Wine 2 Syrah Merlot 2013 - entre os melhores tintos chilenos

URUGUAI:

95 pontos
Amat Tannat 2009 - melhor tinto uruguaio


Grandes degustações evento lançamento guia Descorchados Praça São Lourenço Argentina Chile Uruguai Tapia América do Sul

Artigo publicado nesta revista

Como escolher sua adega climatizada

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 202,80R$ 405,06R$ 202,80R$ 202,80
Assine Agora porR$ 194,40R$ 345,60R$ 119,96R$ 119,96
Desconto
EconomizaR$ 8,40R$ 59,46R$ 82,84R$ 82,84
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 60,84 6x R$ 54,00
Assinando agora você GANHA também POSTER DESCRITORES AR GUIA ADEGA 2016/2017
Como escolher sua adega climatizada

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar



Receba o boletim Revista ADEGA

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas