Vamos além

Dez bebidas que seu bar precisa ter

Um bom bar precisa ir além dos destilados e incluir amaros e licores


Para quem pretende ter um bar em casa e impressionar os amigos não basta ter a melhor coleção de whisky e boas vodcas para preparar alguns drinques. O bom bar vai muito além dos destilados, é preciso incluir algumas garrafas de amaros e licores também.

Amaros é uma categoria de bebidas que pode ser dividida em dois grupos, os bitters e os vermutes. São bebidas produzidas com diferentes tipos de cascas e ervas podendo levar mais de 30 ingredientes em seu preparo. Essa mistura é adicionada ao álcool anidro (bitters) ou vinho (vermutes) e, por um processo de infusão, produz-se a maioria dos amaros encontrados no mercado.

Licor é uma bebida alcoólica doce, geralmente misturada com frutas, ervas, temperos, flores, sementes, raízes, cascas de árvores ou também cremes. O termo vem de "liquifacere", liquefazer, dissolver. A descrição mais comum de licor é a de uma bebida doce, de alto teor alcoólico, servida em pequenas taças após as refeições.

Atualmente existe uma quantidade muito grande de amaros e licores no mercado, do mais sofisticado à receita da vovó. Por conta disso, ADEGA selecionou dez garrafas que não podem faltar em sua prateleira e podem ser consumidos puros ou como ingredientes de coquetéis.

Amaros

Martini Rosso

Bebida composta de vinho tinto e ervas aromáticas. Criado inicialmente em 1863, Martini Rosso permanece como o autêntico vermute: natural, elegante, refrescante e estimulante. Pode ser encontrado ainda nas versões bianco e rosé e é ideal para ser servido como aperitivo com gelo picado, ou misturado com sucos de frutas ou água mineral.

Punt e Mes

Surge em Turim, Itália, e traz, no sabor levemente amargo, uma receita secreta que combina a destilação de uvas misturadas com substâncias balsâmicas e aromáticas, que caracterizam um bom vermute. Ótimo se apreciado em copo longo com gelo, água tônica e rodelas de laranja.

Angostura

É um dos bitters mais conhecidos do mundo e foi preparado pela primeira vez em 1824 pelo Dr. J.C.B. Siegert. Devido ao seu sabor e aroma deliciosos, tornou-se extremamente popular, sendo utilizado no preparo de muitos coquetéis. Atualmente é produzido e envasado em Trinidad e Tobago.

Campari

Surgiu em 1860 pelas mãos do italiano Gaspare Campari com sua vibrante cor vermelha. Em sua receita, leva cerca de 60 ingredientes oriundos dos quatro continentes. Seu sabor equilibrado entre o amargo e o doce é apreciado puro, com gelo ou misturado à tônica, suco de laranja e uma infinidade de outros ingredientes.

Noilly Prat

É o mais conhecido dos vermutes secos franceses, feito em Marselha. Muito seco e ótimo em dry martinis, ou como aperitivo, com gelo e soda. Ele é produzido com dois vinhos brancos maturados em tonéis de carvalho por 12 meses, e 40 ervas, maceradas por um ano e meio.

Licores

Baileys

Licor irlandês elaborado a partir da mistura de creme de leite irlandês com o melhor whisky do país e sabores naturais de cacau e baunilha. Esses ingredientes são misturados utilizando os mais modernos equipamentos em um processo que, apesar de simples, é altamente secreto.

Sambuca Molinari

Criado pela empresa Molinari sediada em Roma, Itália, em 1945. Licor incolor com ervas aromáticas e forte perfume de anis. Conhecido por ser um ótimo digestivo, também pode ser consumido puro, em coquetéis, na gastronomia ou flambado com grãos de café tostados.

Cointreau

Licor fino, elaborado a partir de um blend de cascas de laranjas doces e amargas em um processo controlado. As laranjas utilizadas para a sua elaboração vêm de todas as partes do mundo, especialmente do Brasil e dos Estados Unidos. Além de ser consumido como digestivo e aperitivo, também é muito utilizado na culinária.

Grand Marnier

Criado em 1827 e preservado na família por mais de seis gerações, Grand Marnier é um licor especial. Uma mistura artesanal de essência de laranjas tipo curaçau maceradas no Cognac. Perfeito na preparação de Margaritas ou Cosmopolitans.

Frangelico

Produzido em Canale, Itália, foi lançado na década de 1980, ganhando atenção principalmente por causa de sua embalagem inusitada que parece um frade. É elaborado de uma maneira similar a outros licores de nozes: as nozes são moídas e misturadas com cacau, baunilha e outros sabores naturais e então deixadas de molho na bebida alcoólica de base. Quando o álcool já absorveu o sabor dos ingredientes, o licor é filtrado, adocicado e engarrafado.

Cesar Adames

Publicado em 13 de Dezembro de 2018 às 13:00


Notícias