Curiosidades

A influência da música no vinho

Estudos apontam que a música pode interferir nas sensações durante a degustação


A forma de sentir o sabor da bebida pode ser associado ao humor que a música remete

Não é possível saber se a música realmente afeta a produção de vinho, mas podemos dizer que ela afeta a degustação. Diversas pesquisas já mostraram que degustar ouvindo música pode alterar a nossa percepção em relação a um vinho.

Leia mais:

Château Palmer testa caixa de música no vinhedo

Sabor das Músicas: a relação do som com a comida

Música e vinho: os sons melhoram o sabor da bebida?

Pesquisadores da Universidade de Edimburgo avaliam vinhos tintos e brancos sendo provados em ambientes sem som e depois com diferentes tipos de som e pediram para os voluntários darem notas para suas percepções. E percebeu-se que as notas foram mais altas quando havia música, principalmente as mais “pesadas”. Segundo eles, a “música de fundo influencia o sabor do vinho.

O gosto específico do vinho foi influenciado de maneira consistente com o humor evocado pela música. Se a música era poderosa e pesada, então o vinho era percebido como mais poderoso e pesado do que quando nenhuma música de fundo foi tocada. Se a música de fundo era sutil e refinada, em seguida, o vinho foi percebido como mais sutil e refinado do que quando não há música tocando.

Se a música de fundo era enérgica e refrescante, então o vinho foi percebido dessa forma. E se a música de fundo era aveludada e suave, o vinho também foi percebido da mesma maneira. A magnitude desses efeitos foi substancial, e mais fortes para o vinho tinto do que para o branco”. “Os vinhos tintos precisam de um tom mais baixo ou precisam de música que tenha emoção negativa. Eles não gostam de música alegre.

Com tintos caros, não toque música que faça você rir. Pinots gostam de música sexy. Cabernets gostam de música irritada. É muito difícil encontrar uma música que seja boa tanto para Pinot quanto Cabernet”, afirma o enólogo entusiasta da harmonização música e vinho, Clark Smith. Ele passou meses com vários painéis de degustação experimentando 150 vinhos com 250 músicas para encontrar harmonias e discordâncias, e elaborou um conjunto harmonizações.

Veja também:

Gricha Symphony: a sinfonia inspirada em um terroir

Quais grandes vinhos já foram citados em clássicos da literatura mundial?

ASSINE JÁ A REVISTA ADEGA. DESCONTOS DE ATÉ 76% 

Da redação

Publicado em 2 de Dezembro de 2019 às 20:00


Notícias Música e vinho curiosidades

Artigo publicado nesta revista

Degustação Histórica

Revista ADEGA 167 · Setembro/2019 · Degustação Histórica

Os ícones de Bordeaux 1982