Mundovino

Eventos do mundo do vinho


Pinto Bandeira é IP
No dia 7 de outubro foi entregue em Pinto Bandeira, um dos distritos de Bento Gonçalves, o selo definitivo da segunda Indicação de Procedência brasileira, em uma cerimônia que reuniu proprietários das vinícolas participantes e a diretoria da Asprovinho (Associação dos Produtores de Vinho de Pinto Bandeira). A notícia é importante para todo o setor, pois coloca regras e define padrões de qualidade para todas as vinícolas que se submeteram ao longo processo de validação da certificação de origem, modificando sua tecnologia e garantindo que os produtos que recebem o selo estão seguindo normas rígidas.

Melhor do mundo

Um sommelier de Milão foi nomeado o "Melhor Sommelier do Mundo", na principal competição da indústria, realizada no dia 14 de outubro, na capital dominicana de Santo Domingo. Luca Gardini, de 29 anos, derrotou 14 sommeliers de 14 países diferentes, ganhando o prêmio principal da Worldwide Sommelier Association (WSA). Gardini formouse na escola de Giorgio Pinchiorri, da enoteca homônima de Florença. Seu pai, Roberto Gardini, é ex-campeão italiano e diretor da Associação Italiana de Sommeliers.

Um brinde inglês aos 33
Com o emocionante resgate dos 33 mineiros chilenos presos na mina San Jose, no Atacama, a procura por vinhos vindo do Chile aumentou na Inglaterra. Waitrose, uma cadeia britânica de supermercados, relatou um aumento de 25% nas vendas de vinhos chilenos durante os dias do resgate. Mesmo antes do início das operações, as vendas da Oddbins, outra rede de lojas, já haviam crescido 10%.

"Como pendurar a Mona Lisa no banheiro"
Chris de Burgh - a estrela do pop dos anos 60, conhecido pelo seu grande sucesso, The Lady in Red - está vendendo grande parte de sua coleção de vinhos. O cantor diz não se sentir digno de abrir garrafas tão prestigiadas. Entre os icônicos nomes de sua coleção estão um Lafite 1945, um Latour 1961, um Mouton 1982, um Cheval Blanc 1978. "Tremo diante da possibilidade de abrir uma garrafa de Lafite 1945. É quase como pendurar a Mona Lisa na parede de um banheiro", justificou o músico.

#Q#

Parker em quadrinhos
Robert Parker, o renomado crítico de vinhos norte-americano, disse ter achado "hilária" uma história em quadrinhos francesa que o satiriza impiedosamente. Em "Robert Parker: Lês sept péchés capiteux - L'Anti- Guide Parker" (Robert Parker: Os sete pecados capitais - Um anti-guia de Parker), o enólogo é acusado de cometer sete crimes contra os vinhos franceses. "É completamente hilário e ser personagem de uma história em quadrinhos é uma grande honra", elogiou o crítico.

5 anos
Nos últimos meses, dois importantes players do mercado de vinho comemoraram cinco anos de atividades com grandes festas. O primeiro foi a Ana Import, que celebrou a data com uma degustação no restaurante La Tambouille, que contou com a presença dos proprietários da importadora, Bell Marques (também líder do grupo Chiclete com Banana) e Ana Marques, Carolina Garcia (proprietária da Bodegas Valduero e Arbucala). Depois foi a vez da Le Tire Bouchon, que também comemorou a data com uma grande degustação em sua loja no começo de novembro.

Casa de garrafas
Olga Queen passou seis meses coletando garrafas de vinho para construir sua casa ecológica dos sonhos. Localizada em Novoshakhtinsk, na Rússia, o edifício contém cinco mil garrafas de vinho em sua construção. Presos com concreto ao longo de uma armação de madeira,os frascos são cheios de ar e funcionam como isolante térmico.

Homenagem

126 enólogos participaram do jantar promovido pela Associação Brasileira de Enologia (ABE) no dia 22 de outubro, na boate do Clube Botafogo, em Bento Gonçalves. Além de comemorar o Dia do Enólogo e os 34 anos da entidade, o evento também foi marcado pela homenagem prestada a Lucindo Copat, eleito Enólogo do Ano 2010. A distinção, realizada pela ABE desde 2004, já homenageou sete enólogos e é o reconhecimento de uma trajetória dedicada à arte de elaborar vinhos. Como prêmio, Copat ganhou uma viagem para a Europa, onde visitará uma feira do setor vitivinícola.

Degustação a cores
Segundo um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Johannes Gutenberg, em Mainz, na Alemanha, a iluminação pode afetar os resultados de uma degustação. De acordo com os especialistas, quando os voluntários da pesquisa eram colocados em determinados locais com iluminação vermelha ou azul, eles classificavam melhor um determinado vinho, do que quando eram expostos a ambientes com luzes verdes ou brancas. Uma das teorias é a de que algumas cores possam deixar as pessoas mais dispostas a classificar melhor um vinho.

#Q#

Paixões: vinho e futebol
No início de outubro, o ex-técnico do Corinthians, Adilson Batista revelou uma paixão que o ajuda a relaxar nos momentos difíceis: o gosto pelos vinhos. Natural do Paraná, Batista se destacou no Grêmio em meados dos anos 1990, e foi justamente no Rio Grande do Sul que aprendeu a apreciar a bebida. Durante entrevista coletiva dias antes de sua demissão, Adilson revelou quais eram suas preferências no mundo dos vinhos. Disse gostar dos Amarones e Brunellos italianos e, da América do Sul, destacou o ícone Almaviva e os rótulos Angélica Zapata, argentino, e Bouza, uruguaio.

Arte no rótulo

Um caracol em um cacho de uvas. Esse foi o desenho feito pelo escritor ganhador do prêmio Nobel de Literatura, Gunter Grass, para os rótulos da última safra de Chianti Classico da vinícola italiana Fattoria Nittardi. Grass, que além de escritor é também pintor e desenhista, se une a uma lista respeitável de artistas que desde 1981 estampam as etiquetas do vinho Casanuova di Nittardi, como a japonesa Yoko Ono e o francês Tomi Ungerer.

Praga do perna-longa

A colheita da safra 2010 em Médoc começou no início de outubro com muitos vinicultores relatando perdas consideráveis de suas produções por causa da maior praga de coelhos que a região francesa já viu nos últimos anos. "Mais de 15% de nossa cultura foi engolida pela gangue do Perna-Longa", desabafou Bruno Von der Heyden, vinicultor do Château Malleret, em seu blog. Uma vizinha de Heyden disse que, apenas em sua propriedade, ela capturou cerca de 500 coelhos.

Mais barato do que água
Uma pesquisa realizada por especialistas neozelandeses da Universidade de Otago mostrou que a abundante cultura vitivinícola do país e a respectiva queda local dos preços do álcool fizeram com que se tornasse mais caro beber água do que vinho na Nova Zelândia. Segundo o estudo, uma quantidade média de vinho caseiro pode ser comprada em terras neozelandesas por 0,79 centavos e a mesma quantidade de vinho fino é encontrada a 0,82 centavos. Os valores são chocantes quando comparados com o atual custo da água no país: 0,25 litros de água são vendidos a 0,84 centavos.

Da redação

Publicado em 9 de Novembro de 2010 às 11:47


Mundovino

Artigo publicado nesta revista