Revista ADEGA

Mundovino

Eventos do mundo do vinho

Da redação em 12 de Junho de 2012 às 13:22

Entusiastas
A vinícola Gallo e a Universal Studios se uniram para criar um clube de filmes e vinhos, o Gallo Film Club, que pretende unir os amantes dessas duas artes. O clube dá aos membros o direito a um DVD de um dos filmes do estúdio para cada garrafa de vinho comprada e acesso a um pacote de informações especiais completo com as últimas notícias, entrevistas das estrelas de cinema e diretores da Universal. "O Clube de Cinema da Gallo é a melhor forma de desfrutar de um filme e uma taça de vinho com a família e amigos", apontou a diretora da vinícola.

fotos: divulgação

Até a Fergie
Destaque onde quer que esteja, a cantora Fergie comprou um vinhedo na Califórnia e já está preparando o lançamento de sua marca própria de vinhos. Segundo a revista Forbes Life, Fergie está se mudando para a propriedade e tem até o nome de sua primeira linha: Ferguson Crest. Por enquanto, não há informações sobre quais uvas ela pretende usar e nem o estilo de seus vinhos.


Geleia de vinho
Um grupo de pesquisadores da Universidade de Cádiz criou, a partir dos restos da produção de vinho, uma geleia de uva rica em antioxidantes que contém os mesmos benefícios da bebida para saúde. O projeto é uma tentativa de minimizar o desperdício na produção de vinho, buscando usar as cascas, a polpa e as sementes da uva. Agora, o próximo passo será colocar o produto à venda em mercados e lojas, o que, segundo um dos pesquisadores, não será difícil, já que as pessoas estão buscando alimentos "supersaudáveis".

Sobreviventes
Encontradas em 2010 num navio naufragado entre a Finlândia e a Suécia, garrafas de vinho das casas Juglar, Veuve Clicquot e Piper-Heidsieck, que passaram mais de 170 anos embaixo d'água, serão leiloadas pela Artcurial. No total, 162 garrafas foram encontradas, mas apenas 79 delas estavam boas para o consumo. Desse número, 11 farão parte do leilão: seis são da Juglar, vinícola que não existe desde 1829, quatro da Veuve Clicquot e uma da Piper-Heidsieck. Os especialistas que analisaram os rótulos acreditam que eles provavelmente foram produzidos entre 1841 e 1850. Cada uma delas terá preço inicial de 10 mil euros.

Controle de qualidade
Participando de um projeto que tenta encontrar novas formas de controle de qualidade do vinho, cinco pesquisadores da Universidade de Vallalolid, na Espanha, criaram um sistema de sensores sem fios que reconhece informações - como o estado do solo, quantidade de água e energia utilizadas, crescimento das vinhas e etapas da produção - e transfere todo o conteúdo para um smartphone ou tablet, que poderá ser acessado a qualquer hora e em qualquer lugar. Dessa maneira, além de as vinícolas gastarem menos com supervisão, o enólogo responsável poderá acompanhar o processo vitivinícola a todo momento on-line.

Bom também para o intestino
De acordo com uma pesquisa publicada no American Journal of Clinical Nutrition, o vinho tinto, assim como o iogurte, faz bem para o intestino por ser rico em probióticos que regulam o funcionamento do sistema digestivo. O estudo, que acompanhou voluntários por 60 dias, chegou à conclusão de que o vinho melhora a flora intestinal, reduz a pressão sanguínea e diminui os níveis de triglicérides e do colesterol ruim (LDL).

#Q#
fotos: divulgação

Antifraude
Com o número de fraudes em vinhos aumentando a cada ano, o Château Lafite- Rothschild decidiu se prevenir e, partir da safra 2009, seus vinhos top passarão a levar em suas cápsulas o Prooftag, um selo especial que tem código de 13 números para autenticar cada garrafa. Além disso, o selo será estendido para a safra 2010 do segundo vinho do Château, o Carruades de Lafite, e também para todas as garrafas de safras anteriores que saiam diretamente da propriedade. Outras vinícolas importantes já usam o sistema, como os Châteaux Ausone, Margaux, Latour, Palmer e Smith Haut Lafitte.

Microgravidade
O quanto a gravidade altera o processo de fermentação do vinho? Buscando responder a essa pergunta, um grupo de estudantes da Califórnia, junto com a Estação Espacial Internacional, vai enviar uma cápsula contendo suco de uva pronto para o processo de fermentação e analisar, nos dois meses em que estará no espaço, o quanto a gravidade (ou a falta dela) afeta a velocidade de fermentação. Enquanto isso, uma outra amostra ficará na Terra para que depois as duas sejam comparadas.

O valor da marca
Uma pesquisa realizada no Reino Unido pela Wine and Spirit Trade Association (WSTA) mostrou que o vinho é a bebida mais popular entre os consumidores britânicos, mesmo durante a crise econômica. A pesquisa descobriu que 38% do público consomem vinho pelo menos uma vez por semana, comparados com 32% que consomem cerveja. Enquanto os consumidores que bebem vinho regularmente preferem comprar rótulos que já conhecem e gostam, mesmo sendo mais caros (67% deles afirmam que esse é o fator mais importante na escolha), 64% disseram que escolhem pelo melhor preço.

fotos: divulgação

La Rioja Argentina
E a polêmica voltou. Em meados de maio, a justiça argentina recusou o recurso do Conselho Regulador da Denominação de Origem Controlada Rioja, que proibia o uso da denominação ''La Rioja Argentina'' nos vinhos da região do país sul-americano, homônima à espanhola. Após a recusa, o governo da Rioja espanhola pediu que a União Europeia interferisse na situação para evitar que haja uma "concorrência desleal". De acordo com o presidente da DOC, "não é uma questão exclusivamente do governo riojano, mas também da UE. La Rioja Argentina pode gerar confusão entre consumidores internacionais".

Contra o mesotelioma
Há algum tempo os benefícios do vinho tinto vêm sendo estudados, e, no final de maio, a Universidade de Soonchunhyant, na Coreia do Sul, concluiu que a bebida pode ajudar pacientes que sofrem de mesotelioma, um tipo de câncer causado pelo contato com amianto. O estudo, publicado no International Journal of Molecular Medicine, mostra que o resveratrol, substância presente nos vinhos tintos e nas cascas de uva, diminui o nível de proteína chamada de Sp1, o que causa a morte das células do câncer.

#Q#

BRIC
Segundo a empresa Euromonitor, que há mais de 30 anos monitora o consumo internacional, os BRICs - Brasil, Rússia, Índia e China - devem, nos próximos anos, aumentar em 80% suas vendas de vinhos finos. Os resultados de pesquisas recentes mostraram que, dentre os quatro, o de maior potencial de crescimento é a China, em que o comércio do setor pode crescer 90%. Entre os fatores para tal crescimento estão a diminuição da taxa de desemprego e os novos consumidores interessados no setor de vinhos finos.

fotos: divulgação

Enoturismo em Bento
Os comitês de turismo de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, e da cidade argentina Luján de Cuyo, localizada na província de Mendoza, assinaram um acordo de irmandade em projetos vinícolas e de enoturismo. Apesar de nenhuma ideia concreta ter sido divulgada, os comitês acreditam que, pelo diferencial turístico das regiões, a parceria irá trazer ótimos resultados para o enoturismo. "Estamos aqui para iniciarmos trabalhos permanentes, aprendendo com as experiências exitosas do município", comentou o prefeito de Bento Gonçalves, Roberto Lunelli.

País de volta
Tocando um projeto que resgata cepas ancestrais do Chile, a bodega Miguel Torres pretende lançar seu primeiro vinho Premium feito a partir de uvas País, variedade muito comum no Chile durante 400 anos. A vinícola está usando vinhas com mais de 100 anos dos vales do Maule e Cauquenas. "A País irá funcionar bem se for misturada com variedades profundamente tintas, como a Cabernet Sauvignon e a Carménère", contou Miguel Torres Jr, proprietário da vinícola.

Protetor
Um estudo realizado por cientistas australianos divulgado em maio afirmou que beber vinho moderadamente reduz o risco de câncer de ovário. A pesquisa foi feita com cerca de 1.500 mulheres e analisaram-se as interações com diferentes tipos de bebidas alcoólicas. No final, o vinho foi a bebida que se mostrou mais benéfica, com redução de 20% no risco da doença. Vale lembrar que o câncer de ovário é o sexto mais comum em mulheres e continua sendo o mais letal.

Vinho ilegal
Um dos estados mais liberais em relação ao uso da maconha medicinal, a Califórnia está presenciando uma onda um tanto quanto estranha: secretamente, alguns vinicultores de lá estão adicionando pequenas quantidades da erva Cannabis Sativa, matéria-prima da maconha, em seus vinhos, que estão se popularizando por toda a região, mesmo sendo ilegais. Crane Carter, presidente dos Cultivadores de Maconha do Napa Valley, afirmou que os Cabernet Sauvignon são os que mais combinam com a erva, que nos vinhos está na proporção de 1,5 grama por garrafa (750 ml).

fotos: divulgação

Não mais en primeur
Um dos cinco Premier Grand Cru Classé da classificação de Bordeaux de 1855, o Château Latour anunciou que a partir da safra de 2012 estará fora do sistema de vendas en primeur, prática em que o preço do vinho que só estará disponível no mercado futuramente é estipulado por uma combinação de fatores entre proprietários e negociantes. O diretor do Latour, Frédéric Engerer, afirmou que de agora em diante os vinhos só serão comercializados quando sua equipe julgar que estão prontos para serem consumidos. De acordo com négociants, a ação de Frédéric é uma resposta pela demanda crescente de vinhos que estejam prontos para o consumo.

Big bottle
Em 2011, a casa de Champagne Armand de Brignac quebrou um recorde ao lançar no mercado a maior garrafa de Champagne do mundo, com capacidade para 30 litros de vinho (o equivalente a 40 garrafas). Agora em 2012, ela quebrou outro recorde: produziu a maior garrafa de champagne rosé do mundo. O Nebuchadnezzar of Armand de Brignac Rosé será vendido em garrafas de 15 litros (chamadas Nabucodonosor) em número limitado. A garrafa foi feita inteira em rosa metálico e traz, no rótulo, um Ás de espadas, símbolo da empresa.

fotos: divulgação

Champagne de leilão
A casa leiloeira Sotheby's anunciou que está lançando um Champagne próprio para servir em seus eventos. O espumante, feito pela vinícola R&L Legras - que fica na região de Côte des Blancs - com 100% de uvas Chardonnay vindas de vinhedos Grand Cru também será vendido on-line ou nas sedes da Sotheby's em Nova York em garrafas Magnum. Essa é a primeira vez na história que uma casa de leilões lança uma marca de Champagne.

Mais vinho inglês
Nos últimos cinco anos, a produção de vinhos na Inglaterra não parou de crescer e, de acordo com dados da Wine Standards Branch, agência de análise de mercados, está 60% maior do que há cinco anos. Com 419 vinhedos e 1.384 hectares plantados, a produção inglesa na última safra superou as 3 milhões de garrafas. Entre as variedades mais plantadas estão a branca Chardonnay e as tintas Pinot Noir e Pinot Meunier.

fotos: divulgação

Quase Hollywood
A vinícola californiana Castello di Amorosa, do Napa Valley, recebeu a pré-estreia da animação da Pixar "Valente", que pela primeira vez tem como personagem principal uma heroína. O evento, que aconteceu no início de junho, atraiu mais de 2 mil pessoas, entre produtores, diretores, roteiristas, animadores e outros participantes da produção do filme. Estima-se que a festa tenha movimentado mais de US$ 1 milhão da região do Napa.

Chineses interessados
O interesse dos chineses pelo vinho está cada vez maior e uma das provas disso é que o site da revista Decanter anunciou que, em abril, pela primeira vez desde 1999 - quando o website foi lançado - o tráfego de internautas da China ultrapassou, em volume, o de países como Estados Unidos e até mesmo do próprio Reino Unido, sede da publicação. No mês, mais de 26% das pessoas que acessaram o site foram chinesas. Em 2011, a China alcançou o quinto lugar entre as nações que mais consomem vinho, superando a terra da rainha.

Orgânicos
A partir de 1° de agosto deste ano os vinhos da União Europeia poderão passar a receber o termo "orgânico" e "vinho biológico" em seus rótulos, substituindo a legislação anterior que autorizava o uso apenas da frase: "vinho feito com uvas orgânicas". Eles também poderão passar a usar o logo "Orgânico" na garrafa. As novas regras valem para vinhos de 30% a 50% ou menos de enxofre adicionado do que tradicionalmente, que não tenham aditivos como ácido ascórbico e todo o processo de vinificação possa ser rastreado.


Mundovino

Artigo publicado nesta revista


Gran Reserva

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
Digital
1 ano
Digital
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaDigitalDigital
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241224
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 432,00
Assine Agora porR$ 216,00R$ 432,00R$ 64,80R$ 100,00
Desconto
EconomizaR$ 151,20R$ 332,00
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 72,00 6x R$ 72,00
Assinando agora você GANHA também Guia ADEGA Guia ADEGA Vinhos do Brasil 2018/2019 + Poster "as cores do vinho"

Boletim Revista ADEGA

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas