Mundovino

Eventos do mundo do vinho


Vertical
Don Laurindo

Durante o Concurso Internacional de Vinhos do Brasil, um integrante do júri dizia que a Serra Gaúcha deveria focar-se apenas no Merlot e esquecer o resto das variedades tintas. Para colocar o tema à prova, falamos com Ademir Brandelli, proprietário da vinícola Don Laurindo, e tivemos a oportunidade de degustar o tinto Don Laurindo Tannat das safras 1995, 2000, 2005 e 2010. Pudemos constatar, antes de mais nada, a longevidade deste vinho. De fato, ficou claro, principalmente pela safra 1995, que ele realmente ganhou complexidade, finesse, elegância e profundidade com os quase 20 anos de garrafa. Porém, também ficou evidente que, com o ganho de experiência e o uso de novas técnicas, tanto no vinhedo quanto na cantina, as safras mais recentes indicam um caminho ainda melhor e mais promissor para este tinto, que, sem dúvida, é um destaque no Brasil. Conclusão: o mundo do vinho não permite simples generalizações.

AD 91 pontos
DON LAURINDO TANNAT 1995
Don Laurindo, Vale dos Vinhedos, Brasil (Fora de catálogo). Elaborado a partir de uvas advindas de um vinhedo em latada, sem passagem por madeira, apresenta cor vermelho-rubi de reflexos acastanhados. Os aromas mais evoluídos lembram frutas vermelhas maduras envoltos por notas de flores murchas e de especiarias doces, além de toques de tabaco e um agradável toque de evolução. No palato, chama a atenção pelo equilíbrio e pela delicadeza do conjunto, mostrando uma fruta mais discreta, ótima acidez, taninos macios e final persistente. Num estilo mais magro e delicado, porém esbanjando elegância e profundidade. EM

AD 88 pontos
DON LAURINDO TANNAT 2000
Don Laurindo, Vale dos Vinhedos, Brasil (Fora de catálogo). Também elaborado a partir de um vinhedo em latada. Aqui já aparece uma fruta mais viva, envolta por notas vegetais e de resina, além de toques tostados, de tabaco e de especiarias picantes. Já no palato, mostra uma fruta mais madura, porém um pouco cansada – talvez por um problema com essa garrafa específica –, com uma curiosa nota cítrica no final de boca, em conjunto com um traço de iodo. Tem boa textura e final persistente. Segundo Ademir Brandelli, esta garrafa não estava ideal e combinamos de degustar novamente numa próxima viagem à Serra Gaúcha. Álcool 13%. EM

AD 90 pontos
DON LAURINDO TANNAT 2005
Don Laurindo, Vale dos Vinhedos, Brasil (Fora de catálogo). Aqui as uvas vêm do mesmo local, porém de um vinhedo já convertido para espaldeira e com estágio de 12 meses em barricas de carvalho francês. Mostra frutas maduras como cassis e ameixas envoltas por notas especiadas, herbáceas e defumadas, além de toques de carne e algo terroso. No palato, é suculento, estruturado, redondo, chamando a atenção pela textura e harmonia do conjunto, esbanjando acidez e persistência. Tem o mesmo estilo elegante e polido do 1995, porém com capacidade para envelhecer mais e com mais equilíbrio. Já está muito bom agora, mas deve ficar ainda melhor nos próximos anos. Álcool 14%. EM

AD 89 pontos
DON LAURINDO TANNAT 2010
Don Laurindo, Vale dos Vinhedos, Brasil (R$ 45). Elaborado a partir do vinhedo em espaldeira como no 2005, porém com estágio somente em barricas usadas. Nos aromas, aparecem frutas negras mais maduras emolduradas por notas florais, especiadas e herbáceas, além de toques tostados, defumados e de tabaco. Confirma na boca essa fruta mais madura, tem taninos de boa textura e final persistente, com notas minerais e de tinta nanquim, que aportam complexidade ao conjunto. Num estilo que, claramente, busca mais concentração e volume de boca, mas sem comprometer o estilo polido e austero que permeia este tinto. Ainda está jovem, indicando, pelas outras safras provadas, que terá longa vida pela frente. Álcool 12%. EM

Da África

Pela segunda vez no Brasil, a organização Wines of South Africa, que visa promover a exportação dos vinhos sul-africanos, apresentou mais de 150 rótulos de 18 produtores para um grande número de profissionais do setor. A II Grande Degustação de Vinhos aconteceu em São Paulo, no dia 29 de abril, no Hotel Unique. Este ano, a organização esteve representada por seu gerente de mercado, Matome Mbatha, que além de reafirmar o compromisso sul-africano com a integridade e a sustentabilidade na produção vitivinícola, aproveitou para compartilhar com os brasileiros as experiências de um país que sediou recentemente uma Copa do Mundo de Futebol e que hoje celebra um outro emocionante momento histórico, os 20 anos de democracia.

AD 91 pontos
DURBANVILLE HILLS RHINOFIELDS SAUVIGNON BLANC 2011
Durbanville Hills, Durban Ville, África do Sul (Interfood R$ 117). As notas de maracujá, limão siciliano e abacaxi estão envoltas por agradáveis toques herbáceos e florais. No palato, a vibrante acidez e o ótimo volume de boca convidam a mais um gole. Um Sauvignon estruturado, complexo e de final fresco e persistente, com toques cítricos e minerais. EM

 

AD 88 pontos
GRAHAM BECK THE GAME
RESERVE PINOTAGE 2012
Graham Beck, Coastal Region, África do Sul (Cantu R$ 60). Num estilo mais frutado e gastronômico, em que a acidez refrescante, a textura mais marcante de seus taninos e seu final suculento têm papeis importantes. Um bom tinto, dessa uva que, às vezes, é tão difícil. Surpreende pela qualidade da fruta e pelo equilíbrio do conjunto. EM

 

AD 89 pontos
NEDERBURG MANOR HOUSE SHIRAZ 2009
Nederburg, Paarl, África do Sul (Casa Flora R$ 90). O maior produtor de vinhos da África do Sul conquistou consumidores brasileiros, primeiro com o licor Amarula, e depois com vinhos intensos e aromáticos. Esse Shiraz segue a linha intensa, com aromas florais, de frutas negras e especiarias doces. De corpo médio e elegante, apresenta final de boca achocolatado. VS

 

AD 87 pontos
VAN LOVEREN PINOTAGE 2013
Van Loveren, Robertson, África do Sul (Orion Vinhos R$ 30). Vinho de excelente relação custo-benefício. Ótimo exemplar de “Coffe Style”, em que a barrica, utilizada por seis meses, sofreu tosta média e assim permitiu ao vinho desenvolver aromas nítidos de café torrado. Cerejas maduras e chocolate predominam em boca, tornado-o bastante gostoso no paladar. VS

 

Blues

Dois jovens enólogos, Thiago Peterle e Vinícius Bortolini Cercato, de 24 e 25 anos respectivamente, assinam o novo lançamento da vinícola Dunamis que chega ao mercado já contemplado com uma medalha de ouro conquistada no VII Concurso Internacional de Vinhos do Brasil. O lançamento oficial do Dunamis Tannat 2012 aconteceu em São Paulo, no dia 16 de abril no descolado estúdio YB Music, do músico e enófilo Maurício Tagliari. O local inusitado foi escolhido por corresponder à ousadia e liberdade de convenção proposta pelo vinho e na opinião de Maurício, “harmonizou perfeitamente”.

 

AD 88 pontos
Dunamis Tannat 2012
Dunamis Vinhos e Vinhedos, Campanha Gaúcha, Brasil (R$ 45). De sabor frutado e bem menos tânico do que se espera de um Tannat, gera empatia com mais facilidade. Aromas suaves de coco e tostados conferem um algo a mais ao vinho que estagiou 12 meses em barricas de carvalho americano. Harmoniza com carnes vermelhas leves, com as temperaturas amenas do outono e com o jazz autoral da cantora Blubell que entoou a trilha sonora no dia do lançamento do vinho. VS

 

Top da Itália

Pelo terceiro ano consecutivo São Paulo teve o privilégio de receber, no dia 28 de abril, o Top Italian Road Show, promovido pelo Gambero Rosso, o mais famoso guia de vinhos italianos. O evento contou com mais de 60 vinícolas, que trouxeram ao Brasil vários dos melhores vinhos produzidos na Itália, muitos deles premiados com a graduação máxima do guia, o almejado “Tre Bicchieri”. Destacamos os vinhos abaixo.

AD 90 pontos
CONTADO RISERVA
AGLIANICO DEL MOLISE 2007
Di Majo Morante, Molise, Itália (Vinci US$ 49). Os aromas florais envolvem as frutas negras como ameixas e cassis, além de notas herbáceas, especiadas, tostadas e de cacau. Boca redonda, mostrando boa acidez e textura de taninos finos, num estilo suculento e gostoso de beber. EM

 

AD 93 pontos
MONTIANO 2011
Falesco, Lazio, Itália (Winebrands R$ 270). Frutas negras maduras envoltas por notas florais, especiadas e de tabaco. No palato, é redondo, estruturado, jovem, elegante, privilegiando o equilíbrio e a textura, com agradável final de grafite e de tinta nanquim. Jovem ainda, mas com longa vida pela frente. EM

 

AD 92 pontos
GIORGI 1870 PINOT NERO BRUT 2009
Filli Giorgi, Lombardia, Itália. (Lario Import R$ 130). Frutas cítricas e notas herbáceas aparecem no primeiro momento, depois surgem frutos secos e notas minerais. No palato, tem acidez refrescante, confirmando as notas minerais do nariz. Limpo, elegante e sem arestas, com bom equilíbrio. Austero, gastronômico, muito agradável de beber. EM

 

AD 91 pontos
ZUC DI VOLPE IPSO PINOT GRIGIO 2007
Volpe Pasini, Friuli, Itália (World Wine R$ 247). Aromas de frutas tropicais e brancas maduras, que se confirmam na boca. Mineral, exalando frescor, bom volume de boca e boa persistência, chamando atenção pelo final gostoso e suculento, com toques cítricos e salinos. EM

 

Brunello 2009

No dia 21 de abril, 13 ótimos produtores de Brunello di Montalcino promoveram, em São Paulo, uma degustação da safra 2009, considerada uma das melhores da última década. Esses produtores, todos de pequeno e médio portes, são membros da Cooperativa La Spiga, criada em 1953 com o objetivo de auxiliar os produtores locais de azeite a compartilhar os custos de maquinário. Como 40 dos 153 membros eram também produtores de vinhos, foi um passo natural para que eles unissem forças para promover e divulgar esses vinhos em países distantes. Confira os destaques abaixo.

AD 91 pontos
CAPANNA BRUNELLO DI MONTALCINO 2009
Cappana, Toscana, Itália (Sem importador). Limpo e frutado no nariz, com notas de frutas vermelhas, de especiarias doces, além de toques florais, herbáceos e terrosos. No palato, chama a atenção pela textura e intensidade do conjunto, tudo envolto por ótima suculência, acidez vibrante, taninos de fina textura e final cheio e profundo. Num estilo mais fresco e suculento. EM

AD 92 pontos
COLLELCETO BRUNELLO DI MONTALCINO 2009
Collelceto, Toscana, Itália (Sem importador). Mostra um estilo mais terroso e floral, envolto por agradáveis notas de frutas vermelhas que dominam o conjunto. Mais charmoso, delicado no nariz, com notas exuberantes de cereja. Ainda está jovem na boca, porém confirma essa cereja encontrada no nariz, atraindo pelo equilíbrio do conjunto, além de uma suculenta acidez e taninos muito finos. Elegante. EM

AD 92 pontos
LA RASINA BRUNELLO DI MONTALCINO 2009
La Rasina, Toscana, Itália (Sem importador). Notas mais clássicas de frutas vermelhas permeadas por notas especiadas, florais e herbáceas que aparecem no nariz. No palato, surpreende pela elegância, acidez e textura, tudo completado por uma fruta gostosa e suculenta. Elegante, fino, com a madeira muito bem integrada e final persistente e mineral. EM

Gallery Wines

A Valduga Gallery Wines, no dia 22 de abril, na Estação São Paulo, provou a força da Casa Valduga e de seus vinhos (incluindo os importados pela Domno e também as delícias da Casa da Madeira). Os participantes puderam apreciar as novidades do catálogo em um ambiente amplo e aconchegante, onde desfrutaram não somente dos vinhos, mas de deliciosas preparações gourmet.

AD 87 pontos
Ponto Nero Celebration Brut
Domno do Brasil, Garibaldi, Brasil (R$ 30). Charmat curto, a combinação de uvas Chardonnay, Pinot Noir e Riesling tem cor amarelo citrino, perlage miúdo e aromas delicados de fruta amarela fresca, não muito potente. Excelente frescor em boca, muito delicado e leve com um toque de peras doces no final de boca. Ideal para aperitivo até por conta de seus 11% de álcool. SMR

 

AD 88 pontos
Casa Valduga Premium Identidade
Gewürztraminer 2013
Casa Valduga, Bento Gonçalves, Brasil (R$ 42). As uvas vêm dos promissores vinhedos de Encruzilhada do Sul e são uma aposta que tem se mostrado acertada, com o vinho adquirindo mais personalidade a cada ano que passa. Amarelo palha com aromas distintos entre o floral e uma ligeira nota de petróleo. Muita elegância em boca, com fruta madura e excelentes persistência e frescor. SMR
Da redação

Publicado em 23 de Maio de 2014 às 00:00


Mundovino Don Laurindo Ademir Brandelli Don Laurindo Wines of South Africa Hotel Unique Thiago Peterle Vinícius Bortolini Cercato

Artigo publicado nesta revista

Tudo sobre o Alentejo

Revista ADEGA 103 · Maio/2014 · Tudo sobre o Alentejo

A história, o terroir e grandes vinhos para você degustar