Essenciais

A história dos azeites aromatizados

O tratamento através de diversas plantas e aromas, e a destilação dos chamados óleos essenciais é histórico


Luna Garcia

Os óleos essenciais são, em geral, componentes de ação terapêutica de plantas medicinais. Eles nada mais são do que substâncias voláteis extraídas das plantas e que são importantes matérias-primas para diferentes indústrias, entre elas a alimentícia.

Esses óleos já vêm sendo explorados há séculos. Suas primeiras utilizações primitivas foram provavelmente por meio de bálsamos, ervas aromáticas e resinas utilizadas para embalsamar os mortos em cerimônias religiosas. Existem relatos do uso de diferentes essências já por volta de 2700 a.C. pelos chineses, quando viveu Shen Nung, o chamado "divino fazendeiro". Dentre algumas plantas citadas, estão o gengibre e o ópio.

Também muito antigo é o tratamento através de diversas plantas e aromas, e a destilação dos chamados óleos essenciais. Estes nada mais são do que compostos extraídos das plantas, considerados - e por isso seu nome - a essência concentrada das plantas, que possuem pouca ou nenhuma substância oleosa, carregando todo o seu aroma e suas propriedades. Eles podem, ou melhor, devem ser incorporados no dia-a-dia, trazendo benefícios para a saúde física, mental e emocional.

Aromatizados

Mas por que de falar sobre os óleos essenciais? Porque muitos dos azeites aromatizados, elaborados a partir do óleo de oliva, são também feitos a partir dos óleos essenciais - principalmente quando se trata dos azeites aromatizados industrializados de qualidade, preparados com óleos essenciais extraídos de diferentes produtos e que resultam em um produto com sabor muito mais intenso do que quando elaborado simplesmente por meio da imersão de ingredientes naturais no óleo de oliva. Essa prática, por sinal, evita a adição de água ao azeite e a possível proliferação de bactérias.

Um exemplo disso são os aclamados azeites aromatizados com trufas. Eles são tradicionalmente elaborados a partir da infusão das trufas a fim de extrair sua essência, que posteriormente será mesclada com um azeite de oliva extravirgem. Assim é criado o óleo de oliva aromatizado, como por exemplo o Olio Sapori di Bosco Molisani Aromatizzato al Tartufo Bianco e o Colonna Tartufo - que encontramos no mercado brasileiro.

Outra forma de elaboração do azeite aromatizado e que também apresenta um aroma intensamente perfumado é a introdução do produto com o qual o produtor deseja aromatizar o azeite no momento da prensagem das olivas. Sendo assim, alguns fabricantes acrescentam ervas ou frutas, como tangerinas frescas, por exemplo, no momento da prensagem.

 

Harmonização

Para harmonizar um azeite de oliva deve-se, primeiramente, identificar as características mais marcantes do alimento com o intuito de combinar as características principais do óleo com as do alimento, que será harmonizado. Mas, com os azeites aromatizados, usa-se o mesmo método? Este pensamento até poderia ser utilizado. Porém a melhor harmonia, e a mais simples, seria tratar o azeite como um produto, por exemplo: utilizar um azeite trufado como se fosse uma verdadeira trufa e, assim, harmonizá-lo.

Sendo assim, azeites aromatizados com pimenta, por exemplo, podem ir bem com massas e molhos de tomate; o de tangerina poderia ser utilizado para dar um toque cítrico em saladas, ceviches ou sobremesas como saladas de frutas ou sorvetes; e, por fim, os azeites trufados harmonizariam perfeitamente com pratos à base de ovos, em um arroz selvagem ou em receitas elaboradas com cogumelos.

Enfim, escolha o azeite aromatizado e a harmonia preferida para dar um toque essencial ao prato e, quem sabe, seguir de uma forma mais prazerosa um tratamento aromoterápico "alternativo".

João Calderón

Publicado em 15 de Julho de 2016 às 17:00


Notícias