Adega Responde

Posso beber vinho com sedimento?

Como consumir o vinho que apresenta a característica


Vinhos com muito tempo de guarda podem apresentar sedimentos

Se você tem uma adega em casa e costuma guardar vinhos por algum tempo antes de beber, provavelmente já deve ter se deparado com alguns sedimentos no vinho. É comum garrafas com certa idade apresentarem um acúmulo de pequenas partículas no fundo ou na lateral do vidro.

Leia mais:

Principais defeitos do vinho

Vinho velho é sinônimo de vinho bom?

Quais são os defeitos raros que um vinho pode ter?

Esses sedimentos nada mais são que pigmentos de cor, taninos e outros elementos que resultam da fermentação das uvas tintas, que, com o tempo, precipitam-se e acabam se acumulando no líquido.E, apesar de nem sempre terem um sabor agradável (às vezes podem ter um tom amargo), eles não apresentam qualquer risco à saúde de quem ingere a bebida, ou seja, não significa que está estragada.

Esse acúmulo é perfeitamente normal e pode ocorrer em alguns dos mais célebres vinhos do mundo. Mas, caso você queira evitar ingerir esses sedimentos, uma opção é decantar. Antes de consumir, deixe a garrafa em pé durante algum tempo para que os sedimentos se depositem no fundo, pegue um decanter e, contra a luz, despeje o líquido lentamente evitando que as partículas caiam dentro do decanter.Há também quem opte por usar um filtro.

É provável que você encontre mais desses sedimentos em vinhos mais antigos, não só devido ao tempo que eles passam em adega, mas também pelo processo de filtração ter se desenvolvido nos últimos anos, fazendo com que os vinhos formem menos sedimentos atualmente. Ainda assim, hoje não é incomum encontrarmos diversos rótulos ditos “não filtrados” (unfiltered, em inglês). Nesses vinhos, os sedimentos têm papel fundamental, fazendo parte da formação de aromas e sabores.

BRANCOS COM SEDIMENTOS?

Às vezes, pode-se encontrar resíduos em vinhos brancos e espumantes também. No entanto, esses “sedimentos”, na verdade, costumam ser cristais de tartarato, que podem se formar com o tempo. Eles são resultado da cristalização do ácido tartárico, comum nos vinhos, devido às baixas temperaturas. Mas, assim como os sedimentos do vinho tinto, eles também são inofensivos.

Veja também:

Como o tanino influencia o vinho?

Como harmonizar vinhos antigos sem que percam o protagonismo

ASSINE JÁ A REVISTA ADEGA. DESCONTOS DE ATÉ 76% 

Da redação

Publicado em 25 de Outubro de 2019 às 12:00


Notícias Sedimento no vinho guia do vinho

Artigo publicado nesta revista