Revista ADEGA
Busca

Taça de vinho

Qual o jeito certo de segurar uma taça de vinho?

Dicas de como segurar a taça e aproveitar ao máximo seu vinho


A indicação é utilizar a haste (de preferência) ou a base da taça
A indicação é utilizar a haste (de preferência) ou a base da taça

A escolha da taça é crucial para a experiência de beber um vinho. Além de saber qual taça usar, a maneira de manusea-lá também é um fator bastante importante para a degustação. Separamos algumas dicas de como seguarar uma taça de vinho corretamente e não passar vergonha.

Confira!

Segure a taça pela haste. É para isso que ela serve. Não se deve segurar no bojo, pois o calor de sua mão aquecerá o conteúdo e, além disso, você deixará horríveis marcas de dedos nas paredes do cristal. Apesar de algumas pessoas segurarem a taça pela base, e isso não ser um erro, evite, afinal a chance de derrubar o líquido é muito grande.

O melhor mesmo é a haste. Aliás, aquele dedinho mindinho apontando o céu, ao contrário do que muitos podem pensar, não é de bom tom. A etiqueta (maneira ideal de se portar) diz para deixá-lo junto aos outros, segurando a haste.

E quanto vinho colocar na taça?

Quanto de vinho eu devo colocar na taça? Um bom parâmetro é ocupar até 1/3 dela. No caso dos brancos e rosés, servidos geladinhos, para que o vinho não esquente na taça; no dos tintos, para preservar uma boa área para a expansão dos aromas. É simples assim!

No entanto, há outras questões sobre a taça que maximizam o potencial da bebida e, consequentemente, a sua experiência com ela.

O tipo de taça faz diferença? Sim. Taças diferentes fazem diferença? Sim. Isto porque o recipiente mais adequado, definitivamente, ajuda a revelar nuances valem a pena serem notadas.

Do que são feitas as taças?

  • A taça de vidro é composta de areia (sílica), óxido de sódio, óxido de cálcio e óxido de alumínio
  • O cristal de vidro e o cristal têm apenas sílica e óxido de chumbo – o que diferencia um do outro é a quantidade desse último que deve ser de pelo menos 10% e pode chegar até 25%
  • Titânio: o que comumente chamamos de “taças de cristal de titânio” na verdade podem ser feitas com titânio ou o zircônio (ou os dois combinados). Ambos têm propriedades muito parecidas:  são leves, maleáveis e mais resistentes, conferindo mais dureza ao material, sem atrapalhar a transparência. Além deles, há liga de sílica e óxido de sódio. Isto é, ganha-se durabilidade, com as boas características de uma boa taça. É a melhor escolha.

Redação
Publicado em 29/07/2022, às 11h35


Mais Escola do vinho