Boa taça na mesa

Na 11ª edição do Boa Mesa, muitas novidades aos apreciadores da gastronomia e dos sabores em geral. Aos amantes dos vinhos, degustações e lançamentos.


O Boa Mesa 2005, o maior even-to de gastronomia do País, aconteceu entre 28 de setem-bro e 1º de outubro, no ITM Expo em São Paulo. Entre os expositores, vinhos, cachaças, cafés, charutos, chefs, escolas de gastronomia, queijos, especiarias, objetos e uma infinidade de empresas e serviços do setor.

fotos: divulgação

A programação incluiu também aulas e workshops ministrados por chefs nacionais e internacionais, degustações de vinhos e charutos, seminários e exposições. A novidade foram os Projetos Especiais, entre eles, o Boa Taça, o Espaço da Cachaça, o Lounge do Charuto e o Via Gourmet.

No espaço Boa Taça, os visitantes puderam degustar uma seleção de vinhos, de quatorze importadoras brasileiras, feita pelo enólogo Ennio Federico, que também liderou as "Harmonizações Inusitadas", onde vinhos, cachaças e charutos encontraram o seu par ideal. Pelos corredores da feira, os visitantes puderam degustar algumas novidades:

• O Boa Taça apresentou, na La Pastina, o Barolo DOCG Rocche dell’Annuziata Torriglione 2001, de Roberto Voerzio, do Piemonte. A partir de vinhedos únicos entre 20 e 50 anos, foram elaboradas apenas 5000 garrafas.

• A Miolo mostrou a nova variedade de um des seus rótulos top, o Quinta de Seival. Elaborado na Fortaleza do Seival, na região de Campanha, RS, esse macio Cabernet Sauvignon 2004 é envelhecido em carvalho americano por 1 ano.

• Novidade no Boa Taça, uma surpresa na Reloco - a Bodega Del Fin Del Mundo, vinícola da Patagônia, apresenta o Newen Merlot 2003, que fica em carvalhos francês e americano durante seis meses.

• Os rótulos da vinícola chilena De Martino, premiada por três anos pelo "Guía de Vinos de Chile", principal guia do país, foram apresentados pela Decanter. O Cabernet Sauvignon Gran Familia 2001 é o top da ca-sa e eleito o melhor 'premium' em 2004.

fotos: divulgação

Tatiana Fraga

Publicado em 30 de Novembro de 2005 às 11:52


Mundovino

Artigo publicado nesta revista