Vinho do Dia

Da Vinha dos Loucos, Clos de Fous Cauquenina Blend 2015 é 'Pink Floyd no mundo dos vinhos'

A comparação é de Pedro Parra, um dos pais da criança, de uma das vinícolas mais inovadoras do Chile


'A maioria dos nossos vinhos provém de terroir não irrigado. Como não queremos controlar as videiras, queremos que as videiras se controlem, e a única maneira pela qual o clima permite: sem irrigação do homem', diz Pedro Parra

O nome Clos des Fous (Vinha dos Loucos, em português) mostra a essência dessa vinícola. O projeto nasceu em 2008 pelas mãos de quatro amigos, todos especialistas em vinho, que decidiram produzir a bebida desafiando a crítica especializada sobre onde e como plantar videiras.

O time é composto por Pedro Parra, especialista em terroir, François Massoc, enólogo que já produziu na Borgonha, Paco Leyton, renomado viticultor, e Alberto Cassuen, consultor de vinhos e negócios. Juntos, eles buscam pequenas áreas de vinhedos pelos vales do sul do Chile capazes de alcançar a máxima expressão do terroir da região. O objetivo é produzir rótulos de identidade e elegância em locais áridos e imprevisíveis, até então ignorados por outros produtores.

 Diz Pedro Parra:

“Clos des Fous era uma ideia maluca, principalmente porque François e eu estávamos realmente cansados ​​de ouvir as pessoas, principalmente escritores de vinho, importadores e sommeliers, que os vinhos chilenos eram chatos, industriais, verdes, maduros...

Se pudermos aceitar que, por muitos anos, muitos dos vinhos chilenos poderiam ser descritos desta forma, isso não é mais verdade: existem produtores ‘Dark Side of The Moon’ (referência ao álbum inovador da banda de rock Pink Floyd) como Laberinto, Garage Wine Co, Zaranda, Luyt, William Fevre e outros, fazendo vinhos de terroir bonitos e loucos. O principal problema é que eles não são bem conhecidos no momento e não podem competir para encontrar um espaço no mundo internacional do vinho. O Clos des Fous pertence a este grupo.

Começamos em 2008 e nossa primeira safra comercial foi em 2010. Clos des Fous é sobre terroir, é sobre extremos no Chile: vinhos de altitude, vinhos costeiros em frente ao Oceano Pacífico ou vinhos do sul vindos de Malleco, 700 km ao sul de Santiago, o ‘Oregon chileno’. Acreditamos profundamente em nosso terroir nativo: Bio Bio, Itata, Cauquenes.

Nascemos lá, em Concepcion, cercados por xisto e granito, muito parecido com o sistema Côte Rotie-Hermitage, na França. Ninguém pode nos contar sobre esses terroir porque passamos a vida lá. É por isso que produzimos a velha Carignan de Cauquenes, outro velha Carignan de Itata, o velho Pais de Itata, um dos melhores Malbec de 1914 de itata Secano.  Plantamos nosso Vinhedo de Pinot Noir lá, principalmente com clones da Borgonha.

A maioria dos nossos vinhos provém de terroir não irrigado. Como não queremos controlar as videiras, queremos que as videiras se controlem, e a única maneira pela qual o clima permite: sem irrigação do homem".

Em degustação às cegas, Adega confere 92 pontos ao Clos de Fous Cauquenina Blend 2015. Para ver a avaliação, clique aqui.

 

Da redação

Publicado em 19 de Junho de 2020 às 18:00