Revista ADEGA

Imprensa internacional

Edgar Rechtschaffen em 28 de Maio de 2008 às 15:37

Diedm/FLICKRBORDEAUX 2007 EM PRIMEUR
Como faz todo ano, o crítico Robert Parker acaba de divulgar suas avaliações (notas) dos vinhos de Bordeaux, safra 2007, en primeur - vinhos ainda em evolução nas barricas, seis meses após o esmagamento das uvas.
Como um todo, suas avaliações não são nada animadoras. Parker somente outorgou três notas 100, e todas para vinhos brancos: Chateau Pape Clement Blanc e Haut-Brion Blanc, ambos com notas preliminares na faixa 96-100, enquanto o Sauternes Chateau Climens, testado por seu colaborador Neal Martin, obteve nota preliminar na faixa 98-100. Para os Premiers Grands Crus Classés, as avaliações preliminares foram: Margaux 92-94, Haut-Brion 91-94, Mouton Rothschild 90-94, Chateaux Lafite Rothschild e Latour, ambos com 90-93.

DISSECANDO A BORGONHA
Diz-se que é preciso toda uma vida para tentar compreender os borgonhas, o que deve explicar porque o autor Clive Coates resolveu revisar seu aclamado livro The Wines of Burgundy. A obra revisada, recém distribuída em meados de maio de 2008, pode ser considerada como um livro texto sobre o assunto. São 878 páginas e seu preço é de U$ 60. Noticiou o jornal SF Gate, acrescentando que os leitores americanos terão de gastar um tempinho extra na conversão de hectares em acres e na adaptação da escala adotada pela obra: 20 pontos como nota máxima de um vinho, contra os 100 pontos usuais nos USA. O jornal conclui chamando o livro Coates' magnum opus: A obra magna de Coates.

CONTINUA O AFFEIR BRUNELLO DI MONTALCINO
Os Estados Unidos, através do US Alcool and Tobacco Tax and Trade Bureau, notificaram o Brunello Consorzio, em carta datada de 9 de maio, que a partir de 9 de junho todas importações de vinho Brunello di Montalcino terão obrigatoriamente de estar acompanhadas de certificado de análise laboratorial (credenciada), garantindo tratar-se de puro Sangiovese. O não atendimento da exigência acarretará na proibição de entrada do vinho no país. Como já noticiado na edição anterior de ADEGA, parte dos vinhos Brunello di Montalcino da safra 2003 está suspeita e subjudicie pela magistratura de Sienna da não conformidade com a legislação que estabelece o uso de 100% de Sangiovese no vinho. A questão é muito delicada, já que 25% de toda produção de Brunello di Montalcino destina-se ao mercado dos Estados Unidos. Informou Howard Goldberg, no N.Y. Times.

ESPANHÓIS REDUZEM TEOR ALCOÓLICO
Vinicultores da região de Murcia, no sudeste da Espanha, começam a por em prática uma estratégia para diferenciação no mercado: produção de vinhos com características clássicas, mas com 6,5% de álcool, em contraste aos usuais 14% dos vinhos espanhóis. Trata-se de nova categoria a ser introduzida na União Européia: vinho com baixo teor de álcool. Noticiou o jornal USA TODAY.


Mundovino

Artigo publicado nesta revista


Douro Primeira Prova

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
Digital
1 ano
Digital
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaDigitalDigital
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241224
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 432,00
Assine Agora porR$ 216,00R$ 432,00R$ 64,80R$ 100,00
Desconto
EconomizaR$ 151,20R$ 332,00
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 72,00 6x R$ 72,00
Assinando agora você GANHA também Guia ADEGA Guia ADEGA Vinhos do Brasil 2018/2019 + Poster "as cores do vinho"

Boletim Revista ADEGA

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas