Sobre o carvalho

A arquitetura da vinícola espanhola Raventós i Blanc surgiu para exaltar o compromisso da família com sua terra


A beleza da fachada, com suas formas geométricas, evidencia-se a qualquer hora do dia

Localizada na região de Sant Sadurní d'Anoia, município espanhol na província de Barcelona, a majestosa Raventós i Blanc ocupa um território de 90 hectares mantidos há 500 anos pela tradicional família Raventós, produtora do primeiro cavas (espumante espanhol), em 1872. A fama da família Raventós deriva também da importância histórica que Josep Maria Raventós teve na comercialização do espumante emblemático da Espanha. Como presidente do Grupo de Espumosos del Sindicato Nacional de la Vid, na década de 60, e depois do Consejo Regulador Nacional del Cava, Josep conquistou prestígio internacional ao produto.

Apesar de sua longa história e tradição, a inauguração da vinícola ocorreu apenas em 1986, quando um portentoso carvalho existente na propriedade foi escolhido como o logotipo da sociedade, simbolizando o compromisso que a família manteria com aquela terra. Dessa maneira, um dos desafios dos arquitetos foi integrar aquele símbolo à obra da vinícola.

#R#

A elegância da construção surge da união de duas características aparentemente antagônicas: luxo e simplicidade. Elas foram magistralmente amalgamadas pelas mãos dos arquitetos Jaume Bach e Gabriel Mora. Guiados pelos idealizadores do projeto, Josep Maria Raventós e seu filho, Manoel, eles conseguiram um resultado impecável e reconhecido pela sociedade. O primeiro prêmio angariado foi em 1988, o FAD (Fomenta das Artes Decorativas).

Uma das premissas do projeto era desenvolver um ambiente aconchegante e familiar, sem se apegar ao "lugarcomum". A construção deveria ter personalidade própria e uma originalidade que a distinguisse e a exaltasse, harmonizando-a com os vinhedos e não interferindo no ecossistema da colina do "Serral".

Ao chegar na vinícola, o visitante percebe que a dupla de arquitetos adornou a história da Raventós i Blanc com arte. A beleza de sua fachada evidencia-se a qualquer hora do dia. Suas formas geométricas são combinadas com madeira e tijolos, imprimindo uma rusticidade elegante. A iluminação é sutil e favorece seus traços majestosos. Logo na entrada, o símbolo da vinícola, o velho carvalho familiar, ergue-se majestoso na Plaza Del Roble, em um amplo espaço circular. Em certos ambientes, a arquitetura é marcada por arcos e paredes duplas, conferindo leveza à construção. Os espaços são amplos e cuidadosamente decorados, de cores uniformes e claras. O cuidado está em todos os detalhes. A estrutura do teto, por exemplo, permite a entrada da luz externa e potencializa seu brilho. Os bancos de pedra artificial, no hall de entrada, foram desenhados pelos arquitetos. Na recepção, o chão de mármore polido transborda elegância. Outra atração da vinícola fica por conta das caves. Elas são recobertas por arcos rebaixados, com iluminação indireta. O ambiente intimista dá uma sensação de conforto e é um convite ao prazer de degustar uma taça de vinho. Uma vista aérea evidencia a imponência do projeto e o terreno surge como um interessante mosaico, abrigando a construção ao centro e os vinhedos em volta.

fotos: Raventós i Blanc/divulgação
Vista da vinícola no inverno
Luisa Migueres

Publicado em 7 de Fevereiro de 2008 às 09:04


Enoarquitetura

Artigo publicado nesta revista