Variedade e preço

Lojas de vinho que investem em restaurantes, como o Salitre, abrem espaço para uma experiência enogastronômica imperdível


fotos: Carolina Amorim
O restaurante Salitre possui mais de 500 rótulos

O casamento vinho-comida é natural e inevitável, aonde um vai o outro vai atrás. Mensalmente ADEGA relata o investimento (com ótimo retorno) que muitos restaurantes fazem em novas adegas, cartas de vinho etc, alguns até abrem lojas de vinho dentro do próprio estabelecimento. Pois esta é uma via de mão dupla, já que algumas lojas de vinho investem em alimentar seus clientes, também com grande sucesso, como é o caso do Salitre.

Esta loja multimarcas foi inaugurada há cerca de dois anos, com delicatessen e venda de vinhos no primeiro andar, uma bela adega climatizada (que pode ser visitada) no subsolo e um restaurante no segundo piso. Hoje todas as mesas ficam cheias, como ótimo pretexto para abrir um dos mais de 500 rótulos de 16 países que a casa oferece.#R#

O menu é variado e bem cuidado, e os pratos bem servidos. O saca-rolhas é pilotado por Rodrigo Moura, formado pela ABS-RJ e muito seguro para quem tem apenas pouco mais de um ano de profissão. As dicas da loja são várias, e o melhor: o preço é mantido no restaurante, o que torna muito barato desarrolhar uma garrafa lá. Que tal apreciar um champagne em um restaurante por apenas R$ 149? Peça então o Piper Hiedsiek. Ou um bom espumante por apenas R$ 36,80? Vá de Adolfo Lona Rosé. Outras boas pedidas são: Crios Torrontés 2006 (R$ 39,90), Forst Riesling 2003 (R$ 95,20), Morandé Edição Limitada Chardonnay 2002 (R$ 112,00), Anna de Codorníu (R$ 56,80), Artero Tempranillo (R$ 40,00), Quinta da Leda 2004 (R$ 193,00), Amarone I Castei 1999 (R$ 263,00), além de muitas outras.

fotos: Carolina Amorim
Delicatessen

Para matar a fome recomendo como entrada uma pedida campeã: o "Salmão Defumado Recheado com Queijo de Cabra" (R$ 26,00), que harmoniza muito bem com uma das diversas opções de Chardonnay da carta. Tente o Terrazas Chardonnay 2006 (R$ 36,00), por exemplo. Quem preferir a clássica combinação de queijo de cabra com Sauvignon Blanc, opte pelo ícone neozelandês Cloudy Bay 2005 (R$ 147,66). Como pratos principais há dois imperdíveis: o "Bacalhau Grelhado com Alho Poró" (R$ 59,00) e o "Medalhão ao Molho de Frutas Vermelhas com Risoto de Açafrão" (R$ 34,00), saborosos e no estilo "dá pra dividir". Para acompanhar este banquete, há muitas opções. Para gastar pouco, uma meia garrafa do espanhol Gran Feudo Crianza, que custa só R$ 32,24, resolve. Para vôos mais altos e harmonizações perfeitas, sugiro o Domínio de Atauta 2003 (R$ 220,80) ou o Chateau Phélan-Ségur 2003 (R$ 273,20) - difícil encontrar por menos este clássico Bordeaux de Saint- Estèphe. A sobremesa que mais impressiona aqui é a "Banana ao Forno" (R$ 10,80), caramelizada e com sorvete. fotos: Carolina AmorimEla acompanha bem uma taça do Santa Helena Late Harvest (R$ 12,00).
As taças não são de cristal fino, mas adequadas. A oferta de vinhos em taça é um pouco limitada (três brancos e três tintos mais simples, além de dois doces e dois portos, também bem modestos), mas é guarnecida por 14 opções em meia garrafa.

Marcelo Copello

Publicado em 5 de Março de 2008 às 12:35


Carta De Vinho

Artigo publicado nesta revista