Revista ADEGA

A fada verde

Em meio a polêmicas, e apenas recentemente fora da ilegalidade, o absinto tem alto teor alcoólico, cor e sabor marcantes e, diz a lenda, poderes alucinógenos.

Da redação em 17 de Abril de 2006 às 12:51

fotos: Martin R.W e Maria Kaloudi/Stock.Xchng

A tonalidade verde do absinto remete à Belle Époque, o efervescente período que marcou o início do século XX, sob o resplendor da Revolução Industrial e do revolucionário levante artístico que marcou o surgimento do Romantismo. Época da vida boêmia pelos cafés e boulevards da Paris que renascia a cada dia; e o absinto passou a ser conhecido como La Fée Verte ou The Green Fairy, a fada madrinha da nova expressão artística que ali surgia.

#R#

Apesar de ser sempre relacionado à França, o absinto é uma criação suíça. Destilados, seus ingredientes compõem-se de anis e uma diversidade de ervas das quais se destaca a Artemisia absinthium, responsável pela polêmica em volta do absinto, por conter substâncias alucinógenas.

A história do absinto começa em 1792, quando o médico e monarquista francês, Pierre Ordinaire, exilado na Suíça, utilizou a planta Artemisia absinthium para fabricar uma poção digestiva. Poucos anos depois, ele adicionou álcool à fórmula para potencializar seus efeitos.

O medicamento do doutor Ordinaire tornou-se coqueluche na Suíça e rapidamente atravessou fronteiras. Já carregava nessa época uma forte dose de mitologia. Espalhou-se a lenda de que suas virtudes iam muito além da cura dos males do estômago, tornando seus usuários mais bem-dispostos para o trabalho. Por causa de seus poderes milagrosos e da sua cor esverdeada, os mais entusiasmados apelidaram-no de Fada Verde. Na antigüidade, a planta do absinto era um precioso elixir medicinal, recomendado por ninguém menos que o filósofo Hipócrates e o matemático Pitágoras.

Nas horas de descanso, Toulouse-Lautrec não deixava de dar suas bebericadas. Oscar Wilde e Paul Verlaine escreveram poemas em seu louvor. Degas, Manet, Van Gogh e Picasso fizeram o mesmo em seus quadros...

Saiba mais
-
O absinto foi proibido por muitos anos na maioria dos países, voltando recentemente à legalidade;
- A simples mistura com água ou álcool, das ervas que compõem o absinto, resulta num líquido extremamente amargo. Essa mistura amarga, ao ser destilada, adquire um sabor agradável, marcante. Seu aroma remete ao anis, à losna e outras ervas aromáticas;
- Com teores alcoólicos de até 54%, a Fada Verde, como é chamada por seus entusiastas, não brinca em serviço;

*Consultoria: www.absinthe.com.br

Receitas com absinto*
Receita Original, à maneira do século XIX
● 2 colheres pequenas de açúcar;
● 1 dose de absinto; Em seguida, despeje lentamente água mineral dentro do copo.

Absinto Tropical
● 2 cubos de gelo;
● 1 colher pequena de açúcar;
● 2 doses de absinto; Complete com água de coco.

Absinto Cítrico
● 2 cubos de gelo;
● 1/2 colher pequena de açúcar;
● 1 dose de absinto; Complete com suco de laranja puro.

*Dose padrão: uma colher de sopa de absinto puro.


Outras bebidas

Artigo publicado nesta revista

Revista ADEGA 7 · Maio/2006 · Escolha a sua safra


TOP 100

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 216,00
Assine Agora porR$ 216,00R$ 432,00R$ 56,70R$ 56,70
Desconto
EconomizaR$ 159,30R$ 159,30
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 72,00 6x R$ 72,00
Assinando agora você GANHA também POSTER DESCRITORES AR Bolsa de Gelo + Par de Taças

Boletim Revista ADEGA

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas