Chablis e Setúbal

Caderno de avaliação de Adega


Avaliações por Editores de vinho: Luiz Gastão Bolonhez (LGB), Sílvia Mascella Rosa (SMR) e Eduardo Milan (EM)

Christian Burgos (CB), Juliana Trombeta Reis (JTR), Hong Sup Kim (HSK) e Vanessa Sobral (VS) www.OMelhorVinho.com.br

As degustações desta edição foram realizadas na Praça São Lourenço com auxílio do sommelier Antônio Eugênio de Carvalho

BRANCOS

90 pontos
CHABLIS 2009
ABEL PINCHARD

Loron & Fils, Chablis, Borgonha, França (Casa Flora / Porto a Porto R$ 90). Tradicional produtor e negociante da Borgonha, o grupo Loron foi fundado em 1821 e elabora esse branco exclusivamente a partir de uvas Chardonnay advindas da região demarcada de Chablis, sem passagem por madeira. Apresenta cor amarelo-citrino de reflexos esverdeados e intensos aromas de frutas brancas e tropicais, bem como notas florais, minerais e herbáceas. No palato, é frutado, estruturado, equilibrado, tem ótima acidez e final de boa persistência, lembrando abacaxi fresco. Refrescante, típico e muito gostoso de beber, deve ficar ainda melhor na companhia de ostras defumadas ou queijo fresco de cabra. Álcool 12,5%. EM

91 pontos
CHABLIS ALAIN GEOFFROY
PREMIER CRU BEAUROY 2008

Alain Geoffroy, Chablis, Borgonha, França (Decanter R$ 155). Vinícola estabelecida em 1850. Branco elaborado a partir de uvas Chardonnay advindas de vinhedos de idade entre 30 e 45 anos plantados em Beauroy, sem passagem por madeira. Cor amarelopalha de reflexos dourados e aromas de frutas brancas e cítricas, notas florais, herbáceas e defumadas, além dos típicos toques minerais advindos dos solos argilo-calcários onde estão localizados os vinhedos. Em boca, é frutado, untuoso, elegante, estruturado, complexo, equilibrado, tudo envolto por uma acidez marcante e um refrescante final. Tem qualidade para envelhecer bem nos próximos 10 anos. Experimente acompanhálo com frutos do mar grelhados, como polvo e camarão. EM

89 pontos
CHABLIS 2009
BARTON & GUESTIER

Barton & Guestier, Chablis, Borgonha, França (Interfood R$ 115). Tradicional produtor e negociante francês com quase 3 séculos de existência, Barton & Guestier possui rótulos em diversas denominações de origem francesas, inclusive da área de Chablis, onde elabora esse branco exclusivamente a partir de Chardonnay. Apresenta cor amarelo-palha de reflexos esverdeados e aromas de frutas brancas e tropicais maduras, notas florais, herbáceas, além de um toque mineral. No palato, é frutado, estruturado, redondo, tem acidez refrescante e final de boa persistência. De boa tipicidade, é limpo, sem arestas e agradável de beber. Peixes grelhados como salmão ou robalo devem escoltá-lo muito bem. Álcool 12,5%. EM

91 pontos
CHABLIS DROUHIN
RESERVE DE VAUDON 2009

Joseph Drouhin, Chablis, Borgonha, França (Mistral US$ 75). Adepta da agricultura biodinâmica, a Maison foi fundada em 1880 e possui vinhedos em diversas denominações da Borgonha, inclusive em Chablis, de onde vêm as uvas Chardonnay para elaborar esse branco, com estágio de 12 meses em barricas usadas de carvalho. Cor amarelo-palha de reflexos esverdeados e aromas de frutas brancas e cítricas maduras, notas florais, herbáceas e minerais, além de toques defumados e de frutos secos. No palato, é frutado, estruturado, redondo, elegante, tem acidez viva e refrescante e final de ótima persistência. Chablis genérico com a complexidade e a sutileza de um Premier Cru. Salmão defumado e queijo fresco de cabra são sugestões para escoltá-lo. EM

92 pontos
CHABLIS DROUIN
PREMIER CRU VAILLONS 2008

Jean-Paul & Benoît Drouin, Chablis, Borgonha, França (Vinci US$ 94). Tradicional vinícola de Chablis, os seus primeiros registros datam do fim do século XIX. Branco elaborado exclusivamente com uvas Chardonnay advindas de Vaillons, com fermentação parcial e posterior estágio em barris de carvalho. Apresenta linda cor amarelo-palha de reflexos esverdeados e aromas de frutas brancas e cítricas, bem como notas florais, herbáceas e minerais, além de toques defumados. Em boca, é frutado, estruturado, untuoso, fresco, equilibrado, tem acidez viva, ótimo volume de boca e final longo lembrando o nariz. Alia complexidade, sutileza e elegância. Vai bem com peixes mais gordos como o salmão ou ostras defumadas. EM

90 pontos
CHABLIS JEAN-PIERRE
ALEXANDRE ELLEVIN 2009

Domaine Ellevin, Chablis, Borgonha, França (La Cave Jado R$ 96). O Domaine Ellevin é uma vinícola familiar adepta da agricultura sustentável e possui 12 hectares na região de Chablis AOC, onde elabora esse branco exclusivamente a partir de Chardonnay, sem passagem por madeira. Apresenta cor amarelocitrino de reflexos esverdeados e aromas de frutas brancas e cítricas maduras, notas herbáceas, florais, além de toques minerais típicos. Em boca, é limpo, fresco, frutado, redondo, tem ótima acidez e final médio/longo lembrando maçã verde. Limpo, sem arestas e fácil de beber, pede sempre mais um gole. Pescados e frutos do mar em geral são sugestões para acompanhá-lo. Álcool 12,5%. EM

92 pontos
CHABLIS LAROCHE PREMIER
CRU LES VAUDEVEY 2007

Domaine Laroche, Chablis, Borgonha, França (World Wine R$ 177). O renomado Domaine Laroche, sob a supervisão do enólogo Denis de la Bourdannaye, elabora esse branco exclusivamente a partir de uvas Chardonnay com fermentação e maturação de 15% do vinho em barris de madeira. Apresenta cor amarelo-palha de reflexos esverdeados e aromas de frutas tropicais e brancas maduras, notas florais, defumadas e de frutos secos, além do típico toque mineral. No palato, é frutado, untuoso, exuberante, estruturado, equilibrado, tem bom volume de boca, ótima acidez e final longo e persistente. Alia sutileza, frescor e intensidade. Justifica a fama de Chablis em produzir brancos únicos e grandiosos. Risoto de salmão defumado e endro combinam. EM

91 pontos
CHABLIS LOUIS MOREAU PREMIER CRU
LES FOURNEAUX 2008

Domaine Louis Moreau, Chablis, Borgonha, França (Wine Stock R$ 170). Louis Moreau faz parte da sexta geração da família e elabora este branco de pequena produção a partir de uvas Chardonnay advindas de uma parcela de 1,7 hectares do vinhedo Les Fourneaux, sem passagem por madeira. Apresenta cor amarelo-citrino de reflexos esverdeados e aromas de frutas brancas maduras, notas florais e herbáceas, além de típicos toques minerais. Em boca, é frutado, estruturado, untuoso, equilibrado, tem ótima tipicidade, bom volume de boca, acidez vibrante e final longo e persistente. Apesar de poder ser bebido agora, tem potencial para evoluir pelos próximo 5 anos. Peixes ou frutos do mar grelhados são sugestões para escoltá-lo. EM

88 pontos
CHABLIS 2008
MASSON DUBOIS

Masson Dubois, Chablis, Borgonha, França (Casa Flora / Porto a Porto R$ 89). A vinícola Masson Dubois foi fundada em 1803 e atualmente pertence ao grupo Château Saint Andre. Branco elaborado exclusivamente a partir de Chardonnay advindo da região delimitada de Chablis AOC, sem passagem por madeira. Apresenta cor amarelopalha de reflexos dourados e aromas de frutas brancas e tropicais maduras, notas florais, minerais, além de um toque de frutos secos. Em boca, é frutado, limpo, estruturado, tem ótima acidez, bom volume de boca e final médio/longo. Uma boa introdução ao mundo do Chablis. Fresco e equilibrado, deve ficar ainda melhor na companhia de peixes brancos grelhados. Álcool 12,5%. EM

89 pontos
PETIT CHABLIS 2010
ALAIN GEOFFROY

Alain Geoffroy, Chablis, Borgonha, França (Decanter R$ 90). A vinícola familiar conta com a assessoria do enólogo Cyrille Mignote para elaborar seus brancos, inclusive esse Petit Chablis. Feito de uvas advindas de vinhas de idade entre 15/20 anos, sem passagem por madeira. Apresenta cor amarelo-citrino de reflexos esverdeados e aromas de frutas brancas e cítricas maduras, notas florais, herbáceas, além do característico toque mineral. No palato, é frutado, limpo, estruturado, equilibrado, tem acidez viva e refrescante e final médio/ longo muito agradável. Surpreende pela tipicidade e qualidade, equiparando-se a um Chablis genérico. Versátil, deve ir bem com frutos do mar e queijos frescos de cabra. Álcool 12%. EM

TINTOS

89 pontos
CASA ERMELINDA FREITAS
TOURIGA NACIONAL 2009

Casa Ermelinda Freitas, Península de Setúbal, Portugal (DOCG R$ 110). Ermelinda e Leonor Freitas, mãe e filha respectivamente, formam a dupla perfeita entre tradição e inovação na vitivinicultura de Setúbal, próximo a Lisboa. Com estágio de oito meses em barricas de carvalho americano e francês, este vinho apresenta cor rubi concentrado e profundo, com aroma pronunciado de frutas negras, tabaco, alcatrão e gengibre. Muito atraente e envolvente. Na boca é estruturado e tem um bom corpo. Os taninos são firmes e o sabor é de frutas negras maduras, amora, especiarias e madeira tostada. Sua persistência está acima da média. Certamente será um bom parceiro das carnes assadas. Servir a 18°C. VS

87 pontos
DOM CAMPOS 2010

Casa Ermelinda Freitas, Península de Setúbal, Portugal (DOCG R$ 46). Fernando Pó, zona privilegiada de Palmela, distante 30 km ao sul da capital Lisboa, foi o local escolhido por Leonor Freitas para cultivar a uva Castelão, mas conhecida como Periquita. Neste vinho de coloração rubi intenso, com reflexos violáceos, a uva se expressa de forma jovial e vivaz. Os aromas são bastante frutados, principalmente de cereja, framboesa e groselha. Na boca os sabores de frutas vermelhas se confirmam, os taninos e a acidez se apresentam em equilíbrio e o corpo é médio. O final de boca é levemente adocicado e agradável. Deve ser um ótimo acompanhamento para carnes magras como vitela e massas recheadas. VS

88 pontos
DONA ERMELINDA RESERVA
2007

Casa Ermelinda Freitas, Península de Setúbal, Portugal (DOCG R$ 110). Leonor de Freitas faz parte da quarta geração da família que está envolvida com a vitivinicultura e elabora esse tinto a partir de Castelão - casta típica da região -, Trincadeira, Touriga Nacional e Cabernet Sauvignon, com estágio de 12 meses em barricas de carvalho francês. Apresenta cor vermelho-rubi brilhante e aromas de frutas vermelhas maduras, notas florais, herbáceas, minerais e de especiarias doces. No palato, é frutado, complexo, estruturado, potente, tem bom volume de boca, acidez gastronômica, taninos bem domados e final médio/longo lembrando café e chocolate. Carnes vermelhas assadas ou ensopadas são sugestões para escoltá-lo. Álcool 14%. EM

Da redação

Publicado em 30 de Janeiro de 2012 às 07:26




Artigo publicado nesta revista

Top 100

Revista ADEGA 75 · Janeiro/2012 · Top 100

Os melhores vinhos do ano