Revista ADEGA

Eventos do mundo do vinho

Da redação em 21 de Julho de 2015 às 00:00

Batalha do vinho

Os organizadores da tradicional “Batalla del Vino”, festival realizado em Haro, na região de Rioja, Espanha, acreditam que mais de 130 litros de vinhos tenham sido utilizados pelos 10 mil participantes da edição 2015 da festa. Deve-se dizer que o produto não foi “bebido”, como é costume, usado para que as pessoas, vestindo roupas brancas, atirassem a bebida umas nas outras. O evento, realizado no dia 29 de junho, também é uma homenagem a uma disputa ocorrida no século XIII entre os habitantes de Haro e a vizinha Miranda de Ebro, que terminou com uma batalha de vinho.

Bordeaux reconhecida na China

Os produtores de Bordeaux tiveram uma excelente notícia no começo de julho: a China reconheceu a região como Indicação Geográfica. Com isso, os produtores, que sofrem terrivelmente com falsificações, estão mais protegidos e podem lutar contra as fraudes em território chinês. Este é o primeiro passo nesse sentido, já que Bernard Farges, presidente do Conselho de Vinho de Bordeaux, espera que 45 denominações de origem bordalesas sejam reconhecidas pelo governo da China. Além de Bordeaux, Champagne, Cognac e Napa Valley também são reconhecidas como IG pelos chineses.

“Nova” classificação de 1855

A cada dois anos, a Liv-ex (índice que monitora o mercado de vinhos finos no mundo) divulga uma nova lista dos Crus bordaleses que figuram na famosa Classificação de 1855. A lista original, feita por negociantes e baseada nos preços dos vinhos, dividiu os Châteaux em cinco categorias. A Lix-ex usa o mesmo princípio. Assim, neste ano, os cinco Premier Cru (Mouton, Lafite, Latour, Margaux e Haut-Brion) continuam firmes em seus postos, mas teriam a companhia do Mission Haut-Brion. Entre a lista divulgada em 2013 e esta, o Château Haut Bailly subiu uma posição, passando para Deuxième Cru, assim como Malescot Saint Exupéry, Grand Puy Lacoste e Domaine de Chevalier, que passaram para Troisième Cru. Por fim, Château Gloria e Phelan Segur fizeram sua primeira aparição como Cinquième Cru. É possível conferir a lista completa em:
http://tinyurl.com/livex1855

Vinho “Além do Tempo”

A novela da TV Globo, “Além do Tempo”, lançada em meados de julho, vai contar a história de um amor impossível e, como pano de fundo, escolheu a Serra Gaúcha. Mais do que isso, a história será ambientada em meio ao mundo do vinho, sendo que os dois personagens principais, interpretados por Alinne Moraes e Rafael Cardoso, são enólogos. A história teve suas primeiras cenas gravadas na região de Campos de Cima da Serra e vai mostrar diversas práticas de vitivinicultura. A trama conta ainda com Paola Olivera como vilã.

Visita pelo Google

 

A ferramenta Street View do Google Maps acrescentou recentemente “visitas” a cerca de 80 vinícolas californianas, como a Artesa, William Hill, Quintessa, Dry Creek, Frog’s Leap etc. Agora, os internautas poderão conhecer diversas empresas da região, inclusive seus interiores, sem precisar sair de casa, através do botão “See Inside”. Você pode dar uma volta pelos vinhedos e ao redor das instalações das vinícolas, mas também pode conferir a sala de barricas e a adega, por exemplo.

Beaujolais espumante

Jean Bourjade, diretor do conselho de vinhos de Beaujolais, afirmou recentemente que a região – famosa pelo Beaujolais Nouveau – entrou com pedido para que seus espumantes também recebam status de denominação de origem. Segundo ele, os vinhos teriam cerca de 9% de volume de álcool e grande teor de açúcar residual, além de serem feitos com a tradicional uva Gamay local. Os espumantes, contudo, não seriam produzidos nos 10 Crus de Beaujolais. O pedido foi feito ao INAO (instituto que rege as DOC francesas) e deve levar cerca de cinco anos para ser aprovado.

Vik

No dia 28 de maio, ADEGA esteve em almoço exclusivo com o simpático diretor da Viña Vik, o francês Gonzague de Lambert, para conhecer um pouco mais desse lindo projeto e provar em primeira mão a safra 2011 do ícone VIK, único vinho produzido pela vinícola chilena. De propriedade do magnata norueguês Alexander Vik, o ambicioso projeto engloba, além da vinícola, um magnífico hotel de luxo inaugurado recentemente. A propriedade de 4.325 hectares localizada em Millahue, na zona de Cachapoal, foi comprada em 2006, quando também se iniciaram os plantios dos primeiros vinhedos. “Tudo começou do zero”, diz Lambert. Depois de muitos estudos de solo e mais de 4000 calicatas, 380 hectares de vinhedos, entre Cabernet Sauvignon, Carménère, Cabernet Franc, Merlot, Syrah e Petit Verdot, foram plantados. Na vinícola, são elaboradas 75 vinificações separadas, sempre com leveduras indígenas. A propriedade tem vinhedos em 12 vales distintos, sendo que cada um deles tem sua exposição solar e tipo de solo específico; na vinícola há 12 fileiras de cubas, uma para cada um desses vales. Em cada uma das fileiras, há um tanque correspondente a cada parcela específica de vinhedo. Enfim, tudo que engloba o projeto é grandioso e as pessoas que estão por trás não poderiam deixar por menos, além de Gonzague – também formado em enologia em Bordeaux e um dos herdeiros do Château de Sales, no Pomerol –, o projeto conta com a consultoria do vigneron Jean Pierre Mercier, considerado o melhor do mundo. Já a cargo dos vinhos, está o também francês Patrick Valette, que dispensa apresentações e foi o responsável, no final da década de 1990, por elaborar um dos melhores vinhos chilenos na época, o El Principal. Ao se provar o vinho se torna perceptível que todo esse cuidado já está produzindo ótimos resultados, apesar de vinhedos ainda jovens.

AD 94 pontos
VIK 2011
Viña Vik, Cachapoal, Chile (Não disponível no Brasil). Composto de 55% Cabernet Sauvignon, 29% Carménère, 7% Cabernet Franc, 5% Merlot e 4% Syrah, com estágio de 23 meses em barricas novas de carvalho francês. Organizado e muito preciso, tem muita fruta, mas sem ser sobremaduro, tem estrutura e concentração sem ser potente ao extremo, tem taninos cheios de textura, que oferecem tensão, mas sem serem marcantes, enfim, tem tudo no lugar certo, sempre primando pelo equilíbrio e finesse do conjunto. Polido e compacto, tem final longo e persistente, com toques de alcaçuz e grafite. Um verdadeiro exemplo do que se pode chamar de moderno clássico. Álcool 13,9%. EM

 

Champagne e Borgonha na UNESCO

No sábado, 4 de julho, durante a 39a assembleia do comitê de patrimônio mundial, realizada em Bonn, na Alemanha, os climats da Borgonha, assim como as encostas, casas e caves de Champagne foram confirmados como patrimônios da humanidade. Ao todo, 1.247 climats (parcelas de vinhedos), como Montrachet, Romanée-Conti, Clos de Vougeot, Corton etc, foram reconhecidos pela entidade. “Essa nomeação também é um reconhecimento ao trabalho de gerações, desde os monges cistercienses e todos aqueles que, através dos séculos, definiram os vinhedos da Borgonha em sua busca por excelência”, afirmou Aubert de Villaine, presidente da Associação dos Climats da Borgonha.

Whisky no Vale

Uma das mais tradicionais fornecedoras de malte whisky do Brasil, com 67 anos de atuação, a Union Distillery inaugurou, em junho, uma unidade no coração do Vale dos Vinhedos. Agora, o turista que visitar região dos vinhos também poderá conhecer e desfrutar dos segredos dos destilados, já que a instalação, com área total de 90 mil metros quadrados, nasceu com espaço dedicado à recepção de visitantes. Ao todo, a Union Distillery projeta investimentos de R$ 30 milhões no Vale dos Vinhedos.

  

Delícias da Puglia

No dia 11 de junho, a vinícola Torrevento, em conjunto com a importadora La Pastina, ofereceu uma degustação seguida de almoço harmonizado para apresentar alguns vinhos do seu portfólio. Um dos pontos altos do encontro foi o cardápio, elaborado e executado cuidadosamente pelo italiano Domenico Menna, chef do restaurante Mimmo, que veio especialmente ao Brasil para a ocasião. Fundada em 1948 pelos irmãos Francesco e Domenico Liantonio, a vinícola está localizada na Puglia, a poucos quilômetros de Castel del Monte, região tradicional no cultivo da uva Nero di Troia, além de outras variedades autóctones como Bombino Nero, Bombino Bianco e Aglianico. ADEGA esteve presente e aponta os destaques.

AD 89 pontos
PEZZAPIANA BIANCO 2014
Torrevento, Puglia, Itália (La Pastina R$ 58). A DOC Castel del Monte está situada na Puglia e é de onde vêm as pouco conhecidas uvas Bombino Bianco (70%) e Pampanuto (30%) para elaborar este branco, sem passagem por madeira. Agradáveis e exuberantes aromas de pêssegos, maçãs, peras e de frutas cítricas seguidas de notas florais e herbáceas dominam o nariz. No palato, é frutado e de médio corpo, tem acidez vibrante, muito frescor e final suculento, com toques minerais, de casca de limão e de mel.  Álcool 12,5%. EM

   

AD 91 pontos
OTTAGONO NERO DI TROIA RISERVA 2011
Torrevento, Puglia, Itália  (La Pastina R$ 172,00). Tinto elaborado exclusivamente a partir de Nero di Troia, com estágio de 12 meses em barricas de carvalho francês. Mostra aromas de frutas vermelhas e negras maduras, com notas florais, terrosas, especiadas e de couro. Frutado e estruturado, tem ótima textura de taninos, acidez refrescante e final longo e persistente, com toques minerais e defumados. Austero e equilibrado, mesmo em meio à exuberância de fruta, que aqui é muito bem-vinda. Álcool 13,5%. EM

  

Revisão dos Bordeaux 2005

Dez anos depois, Robert Parker resolveu fazer uma revisão de sua avaliação dos vinhos de Bordeaux da célebre safra 2005, considerada uma das melhores de todos os tempos. Em sua reavaliação, o crítico, que em 2005 tinha concedido apenas duas notas máximas, agora concedeu 100 pontos a 12 Châteaux. Além de Ausone e L’Eglise Clinet, que mantiveram a nota perfeita de 10 anos atrás, Angelus Bellevue-Mondotte, Cheval Blanc, Haut-Brion, Lafleur, Larcis Ducasse, La Mission Haut-Brion, Pavie, Pebu Faugeres e Tropolong Mondot agora também ostentam a marca. Parker, contudo, afirmou que muitos vinhos da safra ainda precisam de tempo para evoluir.

  

45 palestrantes

Entre os dias 3 e 7 de novembro, o Dall’Onder Grande Hotel, em Bento Gonçalves, sediará o XV Congresso Latino-Americano de Viticultura e Enologia, juntamente com o XIII Congresso Brasileiro de Viticultura e Enologia. Os eventos contarão com palestras, painéis, degustações e visitas técnicas. As palestras serão realizadas por especialistas de 11 países. Ao todo, serão 45 palestrantes que dividirão seus conhecimentos sobre as mais diversas áreas da enologia com colegas e curiosos sobre o tema. Inscrições e programação podem ser conferidas no site: www.clavecongres.com.

Vinho detergente

No dia 14 de junho, Andres Lorente, de 50 anos, entrou em um café na cidade de Benircarlo, na Espanha, e pediu uma taça de vinho branco. Depois de tragar seu drinque, porém, ele precisou ser levado às pressas para o hospital, onde acabou morrendo. Em vez de vinho, Lorente bebeu detergente que estava armazenado em uma garrafa colocada na geladeira por engano.

Fim de semana gay

Em junho, o condado de Sonoma, nos Estados Unidos, promoveu a quinta edição da Gay Wine Weekend, com diversos eventos voltados para a comunidade LGBT, sendo um deles um leilão beneficente para arrecadar fundos para a instituição Face 2 Face, que ajuda portadores do vírus HIV. Houve ainda jantares somente para mulheres, recepções em hotel de luxo, festas com DJ’s e também almoços com enólogos.

   

Gaja rebaixa Barbarescos

A safra 2012 não foi das melhores na região de Barbaresco e, por isso, Angelo Gaja decidiu que não vai lançar seus famosos single vineyards. No entanto, em vez disso, o enólogo resolveu misturar todas as parcelas (Sori San Lorenzo, Sori Tildin e Costa Russi) em um único blend para criar um “super cuvée” Barbaresco 2012, que foi lançado no começo de junho.

    

Jovens ingleses campeões

A competição Left Bank Bordeaux Cup, que reúne enófilos universitários de diversas instituições de ensino do mundo, terminou, em 2015, com vitória dos estudantes do Imperial College London Business School. O time da Universidade de Cambridge ficou em segundo lugar. Neste ano, além deles, no octogonal final (realizado no Château Lafite) participaram equipes de: EM Lyon, Hong Kong Baptist University, MIT, Paris Dauphin, Sichuan International Studies e UCLA. As provas incluem uma parte de múltipla escolha sobre diversos temas do mundo do vinho e, depois, uma degustação às cegas.

Vinho na mamadeira?

Às vezes você se questiona qual seria a taça ideal para um determinado vinho. Fica na dúvida entre as mais bojudas ou mais estreitas. Qual ajudaria a realçar as características aromáticas da bebida? Que tal uma mamadeira? Pois é, durante o começo do verão europeu, alguns bares parisienses “lançaram moda” e passaram a servir vinho em mamadeiras. Um dos bares foi o Refuge des Fondus, em Montmartre, e o Le Zéro de Conduite.

Vinho Verde

A região de Vinhos Verdes, em Portugal, vem mostrando uma melhora geral do nível de qualidade em seus vinhos – inclusive os de gama de entrada, reconhecidos pela leveza, frescor e as “agulhas” –, principalmente os feitos com uma das uvas mais nobres do Minho, a Alvarinho que, ano a ano, vem comprovando sua capacidade em produzir alguns dos melhores brancos do mundo. Em apresentação dirigida por Bruno Almeida, gerente de produtos da CVRVV - Comissão Vitivinícola da Região dos Vinhos Verdes, pôde-se comprovar o potencial da variedade em produzir brancos excepcionais quando jovens e com a virtude de ganharem complexidade com alguns anos de garrafa, assemelhando-se aos brancos da uva Riesling, tão famosa pelos vinhos alemães e alsacianos. Confira.

AD 89 pontos
PORTAL DO FIDALGO ALVARINHO 2013
Provam, Minho, Portugal (Casa Flora R$ 80). Frutas de caroço e tropicais seguidas por notas florais, minerais, além de toques de frutos secos. No palato, mostra uma fruta mais madura e untuosa, é fresco, equilibrado, tem ótima acidez, agradável textura e final persistente, confirmando a mineralidade, com toques cítricos e de casca de amêndoa. Álcool 12,5%. EM

AD 90 pontos
SOALHEIRO ALVARINHO 2014
Soalheiro, Minho, Portugal (Mistral US$ 52,90). Aromas de frutas tropicais e de caroço envoltas por notas florais, herbáceas e minerais, além de toques de frutos secos como casca de nozes. Fresco, redondo, mostra ótimo equilíbrio, bom volume, acidez elétrica e final persistente, com traços de maracujá. Fino, elegante, muito gostoso de beber.  Álcool 12,5%. EM

AD 88 pontos
VIA LATINA ALVARINHO 2014
Vercoope, Minho, Portugal (Orion R$ 49). Frutas cítricas e de caroço maduras envoltos por sutis notas herbáceas, florais e minerais. Muito fresco e leve, tem acidez vibrante e final médio agradável. Num estilo mais jovial e descompromissado, muito gostoso de beber. Álcool 12,5%. EM

Caridade estrelada

Enólogos franceses de renome como Aubert de Villaine, de Romanée-Conti, Jean-Claude Rouzaud, da Louis Roederer, Jean-Pierre Perrin, do Château de Beaucastel, Jean-François Moueix, do Petrus, Pierre-Henry Gagey, de Louis Jadot, entre outros, se uniram para lançar um evento beneficente de venda de vinhos. O 12 de Coeur será realizado no dia 24 de outubro de 2015 e o resultado das vendas será revertido para a instituição Restos du Coeur, que ajuda a população sem teto. Os enólogos estão pedindo a diversos produtores para que doem 12 garrafas de seu melhor vinho para o evento. Até o fechamento desta edição, 97 doadores estavam listados. Mais informações em: www.12decoeur.com.

Villamont

Agora sob a tutela da Weinhaus Exzellenz, a vinícola Henri de Villamont marcou sua volta com um jantar harmonizado que lotou o Clos Restaurante. Henri de Villamont, com suas centenárias e imponentes instalações em Savigny-lès-Beaune, ousou transformar sua história e concentrar-se nos 10 hectares do domaine e em num conjunto focado de vinhos que elabora como negociante. Destacaram-se na degustação:

AD 92 pontos
Henri de Villamont Auxey-Duresses Les Hautés 2008
Henri de Villamont, Borgonha, França (Weinhaus Exzellenz R$ 230). Um branco com sete anos que comprova o potencial do Borgonha branco para vencer o tempo. Um primeiro ataque mineral e fresco, com boa estrutura e um final de boca guloso e lácteo – madeira de qualidade e na medida exata. Saboroso e com bela acidez, é um grande companheiro da boa mesa. CB

AD 94 pontos
Henri de Villamont Puligny Montrachet 1er Cru Sous Le Puits 2010
Henri de Villamont, Borgonha, França (Weinhaus Exzellenz R$ 560). Ao primeiro ataque já mostra sua extrema mineralidade, com pedra de isqueiro e pólvora seguidos de uma camada floral e damasco. Em boca, tem grande complexidade, frescor com tons cítricos e um final a rúcula. Fim de boca potente e interminável. A estrutura para resistir por muitos e muitos anos é sua marca registrada. Apenas duas barricas deste vinho foram produzidas e alocadas para o mundo todo. CB

Hollande na Vinexpo

O presidente francês, François Hollande discursou na cerimônia de abertura da Vinexpo 2015. Em 34 anos, esta foi a primeira vez que um presidente da França prestigiou uma das maiores feiras de vinhos do mundo. Ao subir ao palco, ele sucedeu o prefeito de Bordeaux, Alain Juppe, sério crítico da política francesa, que cutucou Hollande ao convidá-lo para a abertura da “Cité des civilisations du vin”, empreendimento que deve ser inaugurado em 2016. “Desde que ela não se torne a ‘cidade proibida’”, pontuou Juppe, dando a entender que as leis contra a propaganda de bebidas alcoólicas na França podem se tornar ainda mais duras e prejudicar o setor vitivinícola. Juppe é cotado para concorrer com Hollande nas próximas eleições presidenciais.

Pesquisa com enólogos

Em junho, a revista Decanter publicou uma pesquisa que fez com alguns dos principais enólogos do mundo. Nela, eles foram questionados sobre diversas questões, desde os efeitos do clima, influência dos críticos de vinho em seu trabalho, até a região em que desejariam trabalhar. Sobre as mudanças climáticas, 52% afirmou que sentiu os efeitos, mas soube manejá-los com o passar dos anos. Questionados se faziam vinhos que ficavam prontos mais cedo do que no passado, 68% disse não. Curiosamente, 23% dos entrevistados disseram que sonham em trabalhar na Borgonha. Quando perguntados se levam em consideração opiniões de críticos na hora de fazer seus vinhos, 40% foi taxativo em afirmar que não, já metade dos entrevistados afirmaram que sim, mas somente “um pouco”.

Vinho de Napoleão

Um leilão da Christie’s no começo de julho teve um lote “histórico” com artefatos que pertenceram a Napoleão Bonaparte, entre eles dois de seus famosos chapéus e uma garrafa de vinho de sua carruagem que teria sobrevivido depois da famosa batalha de Waterloo. A garrafa data de cerca de 1810 e permanece fechada. Acredita-se que ela ainda contenha vinho (pode ser um Jerez). O pescoço da garrafa tem um selo com o criptograma pessoal de Napoleão.

Nazistas em Moritzburg

O restaurateur Silvio Stelzer teve uma surpresa quando começou os trabalhos de restauração de uma propriedade que comprou na Saxônia em 2007. Nos arredores do castelo Moritzburg, ele encontrou seis caves com resquícios de produtos estocados pelos nazistas durante a II Guerra Mundial. Diversas caixas de Champagne e Cognac, além de queijos, biscoitos, manteigas, café, embutidos, chocolate e cigarros foram encontradas no subsolo e, segundo dados dos ex-proprietários, tudo pertenceu aos dirigentes da SS, que ocuparam o local em 1944.

Promessa é dívida

O rapper E-40 (também conhecido como Earl Stevens) afirmou que daria quantas garrafas do seu vinho Mangoscato (produzido pela Earl Stevens Selections) os jogadores do time de basquete Golden State Warriors quisessem (até o começo da nova temporada) se eles conseguissem superar os Cleveland Cavaliers na final da NBA. A equipe de Oakland, Califórnia, venceu a série decisiva por 4 a 2, conquistando seu quarto título na história. Depois da partida final, os jogadores, contudo, celebraram com o espumante Mumm Napa Brut Prestige.

Contra a gripe

Segundo uma pesquisa da Universidade de Auckland, na Nova Zelândia, quem consome flavonoides, compostos presentes em grande quantidade no vinho tinto, está menos sujeito a ficar gripado. De acordo com Andrea Braakhuis, autora do estudo, o consumo de flavonoides diminui o risco de contrair infecções do sistema respiratório em 33%. “Isso significa que, se você costuma ficar gripado três vezes no ano, isso pode ser diminuído para apenas duas”, diz. Para Andrea, a ingestão de flavonoides não precisa ser alta para conseguir o efeito protetor. A partir de 0,2 grama os efeitos podem ser sentidos – uma taça de vinho contem essa quantidade.

Vinho inglês em Wimbledon

Em 2015, pela primeira vez na história de Wimbledon, o tradicional All England Lawn Tennis and Croquet Club, onde é realizado o torneio, serviu vinho inglês para seus convidados. O selecionado foi o Pinot Gris 2014 de Bolney Estate, em West Sussex. No entanto, Champagne Lanson continua sendo o espumante oficial da competição, assim como os vinhos da australiana Jacob’s Creek, patrocinadora do número 1 do mundo, Novak Djokovic.

Câncer de cabeça e pescoço

Pesquisadores da escola de medicina da Universidade do Colorado encontraram evidências de que o resveratrol, polifenol encontrado no vinho, pode ajudar a prevenir cânceres de cabeça e pescoço. Melhor ainda, Robert Sclafani, um dos autores do estudo, aponta que o composto pode ser usado no tratamento direto dessas doenças, evitando quimioterapia e radiação. “Acreditamos que o resveratrol pode ajudar a prevenir o câncer em populações de alto risco como fumantes e alcoólatras”, afirma Sclafani.

Vinhos de Lineker

Em uma entrevista recente, o ex-atacante da seleção da Inglaterra de futebol nos anos 1980, Gary Lineker revelou que teve boa parte de sua coleção de vinhos roubada por assaltantes anos atrás. Ele afirmou que sua adega ficava em uma garagem protegida com alarme. Porém, na época, a casa estava passando por reformas e, durante uma noite, o alarme não foi ligado. “Foi algum dos pedreiros”, afirma. Ele diz, contudo, que a maioria dos vinhos custava cerca de 15 libras, mas havia garrafas de Margaux e Lynch Bages também.

   

Message in a bottle

Há mais de 15 anos, o cantor Sting (que fez parte do grupo The Police) e sua esposa produzem vinho na Tenuta il Palagio, na Toscana. A propriedade de 350 hectares hoje é toda biodinâmica e faz os vinhos Message in a Bottle, Sister Moon, When We Dance e Casine delle Vie. No entanto, mais do que o cultivo biodinâmico, os vinhos de Sting também costumam “ouvir” seu produtor. Em entrevista, o músico disse que gosta de cantar na cantina. “Acho que os vinhos incorporam a música”, afirmou.

  

234% em 10 anos

Um relatório encomendado pela consultoria Cult Wines e realizado pela Intelligent Partnership revelou que o mercado de vinhos finos cresceu 234% nos últimos 10 anos. “Colecionar vinhos tem sido um hábito de centenas de anos, mas mais recentemente o vinho foi reconhecido como uma alternativa genuína de ativos, proporcionando uma diversidade de benefícios em relação aos mercados financeiros correntes”, afirmou Guy Tolhurst, diretor da Intelligent Partnership. Ele lembra, todavia, que esse não é um investimento de curto prazo e tampouco sem riscos.

Dubourdieu

Aproveitando a vinda de Jean-Jacques Dubourdieu ao Brasil, a importadora Casa Flora realizou uma agradável degustação de alguns dos rótulos do Denis Dubourdieu Domaines. Denis, pai de Jacques, é professor da Universidade de Bordeaux e um dos enólogos mais respeitados da França. Além de serviços de consultoria para dezenas de vinícolas, em 1987, iniciou, em conjunto com sua esposa, Florine, seu projeto próprio. Depois de quase 30 anos de muito trabalho, possui atualmente 135 hectares de vinhedos em diversas denominações de Bordeaux, entre elas Sauternes, Graves e Premières Côtes de Bordeaux, distribuindo seus vinhos para mais de 40 países. ADEGA esteve presente e traz os destaques.

     

AD 90 pontos
CHÂTEAU HAURA 2009
Denis Dubourdieu, Bordeaux, França (Casa Flora R$ 133). Tinto composto de 60% Cabernet Sauvignon e 40% Merlot, com estágio de 12 meses em barricas 1/3 novas de carvalho francês. Apresenta aromas complexos de frutas vermelhas, notas defumadas, herbáceas e de especiarias, além de toques tostados e minerais. No palato, é frutado, estruturado, equilibrado, tem boa acidez, taninos marcantes e sedosos e final persistente, lembrando café e chocolate. Austero e elegante. Álcool 12,5%. EM

    

AD 91 pontos
DRAPEAUX DE FLORIDÈNE 2011
Denis Dubourdieu, Bordeaux, França (Casa Flora R$ 118). Branco composto de 75% Sémillon e 25% Sauvignon Blanc fermentado em foudres sem tosta, sendo 25% novos, com estágio de oito meses sob as leveduras. Deliciosos aromas de frutas brancas e de caroço seguidos de notas florais, de frutos e de especiarias, além de toques minerais, tostados e de mel. Impressiona pelo volume e cremosidade, é frutado, estruturado, tem gostosa acidez, boa textura e final persistente, com notas salinas e cítricas.  Álcool 12,5%. EM

    

Mais do que Portugal

Durante o tradicional tour anual por várias cidades brasileiras, o Qualimpor Wine Day, foi possível degustar os lançamentos e as safras novas dos vinhos da Quinta do Crasto, Herdade do Esporão, Quinta dos Murças, Taylor’s e Freixenet. Este ano, como novidade, foram realizados dois pequenos almoços para a imprensa, um da Taylor’s e outro do Crasto, em que um seleto grupo de jornalistas pôde degustar algumas preciosidades dessas duas marcas, entre elas o recém-lançado Taylor’s Single Harvest 1965 e o ícone Quinta do Crasto Vinha da Ponte 2012. ADEGA esteve presente nessa gostosa jornada vinícola e traz alguns destaques entre os vinhos provados.

AD 90 pontos
FREIXENET VINTAGE RESERVA BRUT NATURE 2011
Freixenet, Catalunha, Espanha (Qualimpor R$ 101). Cava brut nature elaborado pelo método tradicional a partir de Macabeo, Xarel-lo e Parellada, mantido entre 18 e 24 meses em contato com as leveduras. Mostra aromas de frutas cítricas e tropicais, passando pelo floral, tostado e mineral, além de toques tostados e de frutos secos. Esbanja frescor e tensão na boca, tem ótima acidez, boa cremosidade e final persistente, com toques salinos e de limão siciliano. Álcool 12%. EM

  

AD 92 pontos
HERDADE DO ESPORÃO ALICANTE BOUSCHET 2010
Herdade do Esporão, Alentejo, Portugal (Qualimpor R$ 261).Tinto composto exclusivamente por Alicante Bouschet, com estágio de 12 meses em barricas de carvalho americano. Apresenta intensa cor vermelho-rubi de reflexos violáceos e aromas de frutas negras maduras lembrando ameixas e cassis, com notas florais, tostadas e de especiarias doces, além herbáceos, defumados e de couro. No palato, é frutado, suculento, potente, estruturado e com certa tensão, tudo num contexto de ótima textura de taninos, acidez refrescante e final carnudo e persistente, com agradáveis toques de ervas. Está bom agora, mas deve melhorar bastante nos próximos 4/5 anos.  Álcool 14,5%. EM

   

AD 94 pontos
QUINTA DO CRASTO VINHA DA PONTE 2012
Quinta do Crasto, Douro, Portugal (Qualimpor R$ 1.092). Tinto composto de uma mistura de castas (Vinhas Velhas) advindas de um único vinhedo de mais de 95 anos de idade, com estágio de 20 meses em barricas novas de carvalho francês. Mostra aromas de ameixas, framboesas, cerejas e cassis envoltos por agradáveis notas florais, herbáceas e de especiarias doces, além de toques tostados e minerais. Num estilo compacto e preciso, é frutado e estruturado, aliando concentração, potência e finesse. Tem ótima acidez, taninos de grãos finíssimos e final longo e profundo, com toques de grafite. Está jovem ainda e deve ficar ainda melhor nos próximos 10 anos. Álcool 14,5%. EM

   

AD 94 pontos
TAYLOR’S SINGLE HARVEST 1965
Taylor’s, Douro, Portugal (Qualimpor R$ 990). Esta edição limitada lançada recentemente foi envelhecida durante 50 anos em cascos de madeira antes de ser engarrafada. Apresenta cor âmbar de reflexos esverdeados e aromas complexos e pronunciados de frutos secos, como tâmaras e figos, além de notas florais, especiadas, de tabaco, de iodo e de casca de cítricos. Se comparado ao Colheita 1964, parece mais pronto e, por incrível que pareça, em alguns momentos lembra um Madeira velho. Impressiona pela acidez viva e vibrante, que equilibra toda a sua doçura. Aveludado, quase cremoso, tem final longo e profundo, com muitos nuances de sabor. Álcool 20%. EM

    

Piratas do Caribe

O ator Johnny Depp decidiu vender sua mansão no sul da França, perto da cidade de Plan-de-la-Tour, em Côte d’Azur. A propriedade foi avaliada em mais de 23 milhões de euros. Somente a casa possui cerca de 4.300 metros quadrados, com cinco quartos, três banheiros e um estúdio de pintura. O comprador vai adquirir tudo, incluindo mobília, livros, DVDs e quadros, além de uma adega que Depp decorou com motivos do filme “Piratas do Caribe”, um de seus maiores sucessos em Hollywood. O ator comprou a propriedade em 2001.

  

Crescimento online

Um estudo apresentado na Vinexpo pela Bordeaux’s Kedge Business School revelou que as vendas online de vinho representam US$ 6 bilhões para a indústria hoje. E isso significa um crescimento de 600% em relação aos números de 2006. Gregory Bressolles, que liderou a pesquisa, acredita que esses valores serão ainda maiores no futuro já que nos Estados Unidos, por exemplo, apenas 4% das vendas são online atualmente.

Cockburn’s vence

Parte da festa de São João na cidade do Porto, em Portugal, a tradicional regata de barcos rabelos (embarcações que transportavam Vinho do Porto pelo rio Douro) de 2015 foi vencida pelo barco da Cockburn’s, totalmente manegado por empregados da família Symington. A vitória coincidiu com a celebração de 200 anos do produtor. No ano passado, o vencedor havia sido o rabelo da casa Dalva. A competição deste ano contou com 14 barcos.

Ataca a gordura

Cientistas da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, estudaram os efeitos do resveratrol e descobriram que ratos que foram nutridos com o polifenol ganharam 40% menos peso do que os que não consumiram o composto encontrado no vinho tinto. Segundo um dos autores da pesquisa, o resveratrol ajuda a converter gordura “branca” em “marrom, que é queimada mais rapidamente.

Com Coca-Cola

A empresa Haussmann Famille lançou um “vinho” controverso. O Rouge Sucette (que significa pirulito vermelho) é feito 75% com uvas e 25% com água, açúcar e essência de refrigerante tipo Cola. “O resultado é surpreendente, um equilíbrio entre o amargor do vinho e a doçura do refrigerante”, afirma Pauline Lacombe, diretora de marketing da companhia. A ideia é atrair consumidores mais jovens, que cresceram bebendo Coca-Cola.

 


Mundovino Batalla del Vino China Bordeaux Além do Tempo google Artesa William Hill Viña Vik UNESCO Union Distillery whisky Puglia

Artigo publicado nesta revista

Revista ADEGA 117 · Julho/2015 · Grande guia de Queijos e vinhos

Testamos centenas de combinações com queijos de vaca, cabra e ovelha, e apresentamos as melhores harmonizações para você


Cult Wine Da Toscana

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 216,00R$ 432,00R$ 216,00R$ 216,00
Assine Agora porR$ 216,00R$ 432,00R$ 56,70R$ 56,70
Desconto
EconomizaR$ 159,30R$ 159,30
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 72,00 6x R$ 72,00
Assinando agora você GANHA também POSTER DESCRITORES AR Bolsa de Gelo + Par de Taças

Boletim Revista ADEGA

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas