Mundo Vino

Azul natural?

Autoridades francesas questionam a coloração azul de alguns “vinhos”


 

 

O vinho Imajyne, lançado em 2017, é feito a partir de uvas Vermentino pelo Domaine Pozzo di Mastri. De acordo com o site da marca, a cor azul do vinho é completamente “natural” e alcançada por meio de uma combinação de “solo e know-how únicos”, além de exposição a “minerais naturais, ervas e algas”. No entanto, o processo de produção permanece em segredo. 

LEIA MAIS

» Marca de “vinho azul natural” passou a ser comercializada na França

» Espanhóis produzem primeiro vinho azul do mundo

No entanto, essa cor não parece ser tão “natural” quanto os produtores alegam. Cientistas da Universidade Paul Sabatier realizaram uma análise química em duas marcas de vinho azul (Vindigo e Imajyne) e, usando espectrometria de massa de alta resolução, o estudo encontrou evidências do corante alimentar Brilliant Blue FCF (E133) em ambos os vinhos, concluindo que a cor resultante não era o resultado de processos naturais, mas da adição de um corante. 

“Os níveis de BBfcf nos vinhos azuis Imajyne e Vindigo são extraordinariamente altos e tornam esses produtos longe do natural, ao contrário do que sugere a descrição feita por seus enólogos”, apontaram os pesquisadores em seu relatório. Dessa forma, Eric Bouillard, promotor público na comuna de Ajaccio, na Córsega, iniciou uma investigação sobre “práticas enganosas de marketing” em relação ao vinho Imajyne. “Este produto foi feito com um corante, o que é absolutamente proibido para o vinho e o produtor não tem permissão para usar o termo ‘vinho’”, afirmou o promotor. 

Sylvain Milanini, CEO da Pozzo di Mastri, disse que o corante é, de fato, um “sal mineral”. “Os sais são úteis para estabilizar a cor, que pode variar com as mudanças de temperatura e tempo. Somos tratados como trapaceiros porque temos um processo secreto. Mas é normal manter essas informações em sigilo – não precisamos divulgar como produzimos nosso vinho. Nós não usamos o E133; não é o mesmo processo que Curaçao ou Vindigo”, apontou. 

Esta não é a primeira vez que as autoridades questionam as alegações dos produtores de vinho azul. No ano passado, Véronique Cheynier, do Instituto Nacional de Pesquisa Agrícola, levantou dúvidas sobre a origem do tom azul da marca Vindigo. empresa afirma que a cor vem do pigmento natural encontrado na pele da uva (antocianina).

» Receba as notícias da ADEGA diretamente no Telegram clicando aqui  

 

Da redação

Publicado em 18 de Setembro de 2020 às 10:12


Mundovino vinho azul falso

Artigo publicado nesta revista

Degustação Histórica

Revista ADEGA 167 · Setembro/2019 · Degustação Histórica

Os ícones de Bordeaux 1982