Revista ADEGA
Busca

Vinho - 22.Jun - Eliminação de impostos

Coréia do Sul pode viver segundo boom de vinho


Divulgação
Desde 2008 são os vinhos chilenos que dominam o mercado por volume, graças à eliminação dos impostos que levou ao acordo de 2004 entre o Chile e a Coréia do Sul.

A eliminação da tarifa sobre as importações provenientes da União Europeia (atualmente 15%) implica em uma redução entre 8 e 13% do preço final para o consumidor, e permitirá que os vinhos europeus possam competir em melhores condições com os chamados vinhos do Novo Mundo.

O esperado é que a cota de mercado dos vinhos europeus melhore consideravelmente. Assim, a França espera fortalecer sua liderança em importações por valo e deixar para trás o Chile como principal ameaça, enquanto a Espanha e a Itália, cujos vinhos são menos conhecidos na Coréia, verão sua cota no mercado local aumentar.

Em termos globais, o setor espera que a eliminação dos impostos traga uma situação compara à vivida entre 2002 e 2007, quando o valor das importações se multiplicou por cinco em cinco anos, até alcançar os 150 milhões de dólares.

Espera-se que os distribuidores aproveitem a redução de custos para introduzir produtos de uma faixa média-alta, com um preço de venda final entre 20 mil e 60 mil KRW (entre 15 e 40 euros).

Mais notícias sobre vinhos...

+ Festival francês de cinema em torno da cultura vitivinícola premia curta espanhol

+ Bordeaux e Borgonha também terão safra antecipada

+ Com caráter fresco e toque amadeirado, rótulo representa de forma clássica conteúdo do vinho

+ Classificação de vinhos em Saint Emilion é aprovada pelo governo francês

+ Mesmo com a China em alta, EUA são o foco da Vinexpo 2011

Redação
Publicado em 22/06/2011, às 09h24 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h47


Mais Notícias