Dica para o bacalhau


Divulgação

Ney Freitas, sommelier da Praça São Lorenço, indica uma harmonização para a Páscoa

Nesta edição, quem tem a palavra é o sommelier Ney Freitas, do restaurante Praça São Lorenço, em São Paulo. Jovem ainda, aos 29 anos, mas com a experiência de quem já passou bom tempo como barman, garçom e maître, ele aproveita a chegada da Semana Santa para dar uma dica de harmonização.

Depois de visitar regiões produtoras de Portugal, Ney revela sua sugestão para o tradicional bacalhau do almoço da Sexta-feira Santa: "Percebi que nossos patrícios gostam do vinho tinto para acompanhar o bacalhau, então, um tinto da região da Bairrada seria uma boa opção".

A oportunidade de conhecer os princípios das combinações entre vinho e comida, por sinal, foi o que lhe encantou nesta profissão. E justamente por ter passado, quando garçom, por situações em que lhe perguntavam qual o melhor vinho para acompanhar a refeição, ou então sobre as especificações de um vinho e ele não sabia responder, é que Ney aconselha: "Para quem está iniciando no assunto, a dica é sempre comprar em lojas e restaurantes que têm profissionais capacitados para orientar melhor na hora da escolha".

A variedade de estilos, as histórias e a paixão dos produtores pelo vinho é o que mais lhe fascina. O jovem sommelier nasceu em Salvador, na Bahia, mas foi em São Paulo, onde está desde o final de 2001 que - ao concluir o curso de formação na ABS-SP (Associação Brasileira de Sommelier) -, se tornou, de fato, um sommelier. A oportunidade surgiu quando trabalhava como garçom na Praça São Lourenço, através de um projeto de desenvolvimento de nova carta de vinhos e implantação de adega climatizada. Foi então que ele partiu em busca de um aprimoramento profissional. E é no mesmo restaurante paulistano em que aprendeu muito sobre o vinho que Ney assume o ofício pelo qual é apaixonado e se define como um amante da bebida.

Lidiane Ferreira

Publicado em 31 de Março de 2009 às 11:58


Artigo

Artigo publicado nesta revista