Revista ADEGA
Busca

20. jan - Escola de vinho

Escola de vinho


Enquanto no Brasil a última pesquisa realizada peloInstituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) revela que a falta de informação sobre vinhos é o maior problema dos brasileiros, nos Estados Unidos um novo modelo de escola está fazendo sucesso.

O americano Michael Bryan, um expert em vinhos de Atlanta, no estado da Geórgia resolveu fundar uma escola de vinhos, a Atlanta Wine School, da qual é também diretor executivo.

Bryan afirma que suas classes permanecem cheias porque mais pessoas, cada vez mais, querem investir nelas próprias.

Fundada em 2003, a escola funciona 120 noites por ano, sem incluir os eventos realizados no local. As aulas vão de introdução ao vinho a desenvolvimento profissional e seminários.Os cursos oferecidos, que podem variar de um dia a oito semanas custa de 50 dólares a 399 dólares, e podem incluir aulas de história, geografia, química e línguas estrangeiras.

Sherrie Robbins, vice-presidente do International Wine Guild, em Denver, Colorado aponta que a procura por aulas que tratam sobre vinhos tem aumentado muito nos Estados Unidos, cuja viticultura ganha cada vez mais adeptos, além de a industria vinícola, em expansão ser um atrativo a mais.

A indústria norte americana de vinhos emprega mais de um milhão de pessoas, e gera cerca de 137 bilhões na economia do país por ano. No estado da Geórgia, por exemplo, bebidas alcoólicas geram 130 milhões de dólares.

No momento em que a crise econômica afeta a indústria, as vendas emitem sinais de que seguem firmes. Enquanto consumidores procuram poupar dinheiro, vinhos e outras bebidas parecem não terem sido cortadas do orçamento.

Professor e aluna durante uma aula na Atlanta Wine School, EUA.

Redação
Publicado em 20/01/2009, às 09h24 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h45


Mais Notícias