Nossos leitores


MUITO DOCES
Não conheço nada sobre vinhos, mas aprecio a bebida. Não bebo nenhuma outra com teor alcoólico que não seja esta. Gosto, porém, de vinhos suaves, doces. Assim, por não conhecer ainda sobre o assunto, gostaria de uma sugestão de um vinho que exija muito baixo investimento e que seja doce, de modo que também minha namorada possa tomar, já que ela também quer aprender a apreciar tal bebida. Ela ainda não toma vinho (como eu que já aprecio com mais regularidade, ainda que não conheça os detalhes de tão maravilhosa arte) porque considera que mesmo os ditos suaves, na maioria das vezes, não são tão doces. Então, para não errar na escolha e começar a apreciar inicialmente os mais doces (quero auxiliar no "convencimento do paladar" dela), solicito auxílio para uma indicação (ou indicações). Obrigado! Jonadabe - John

#R#

Caro John, procure nos supermercados os vinhos nacionais que tragam a indicação 'vinho licoroso', esses serão realmente doces. Este seria um primeiro passo, mas sugiro que aos poucos você procure variar com outros tipos de vinho e alargue seus horizontes, experimentado vinhos menos doces, especialmente durante às refeições. Assim você verá que uma virtude do vinho é a sua variedade.

CONSERVAR GARRAFAS
Solicito a fineza de informarem a maneira correta na conservação de vinho. E pretendia abrir uma garrafa e tomar uma dose às refeições, mas não foi possível, pois, o vinho perde sua qualidade para consumo. Como fazer para que isso não aconteça? Milton Haddad Itajubá - MG

Caro Sr. Milton, esse foi o tema da seção "Escola do Vinho", da edição número 5, com o título de "Como conservar garrafas abertas". Existem alguns equipamentos à venda no mercado com essa finalidade; outra sugestão é optar pelas meia-garrafas. Para adquirir exemplares antigos da revista, ligue para (11) 5044-4221.

ELOGIO
Li a matéria "Tudo o que Você Gostaria de Saber sobre Tintos" e achei-a perfeita. Só não consegui achar o filme tão bom assim... Para falar a verdade, achei-o tão chato que desliguei antes do fim. Mas, de qualquer forma, parabéns pela matéria. Roberto Rabelo Rio de Janeiro - RJ

Caro Roberto, Obrigado pelo retorno. Aguardo sua opinião sobre as próximas colunas. Grande abraço, Ronald Sclavi.

Da redação

Publicado em 19 de Maio de 2006 às 12:46


Cartas

Artigo publicado nesta revista