Mapa das vinhas

Pelas terras de Cabral

Conheça a Legislação e as diferentes regiões produtoras de vinhos portugueses e embarque nas próximas páginas em cada uma delas!


Portugal é por excelência um produtor de vinhos com características e qualidades únicas reconhecidas em todo o mundo, e apresenta diferentes tipos de vinho dependendo de suas as regiões e castas. A importância do vinho na economia portuguesa remota à primeira dinastia. Os primeiros registros de exportação de vinho reportam de 1367.

#R#

Mas com certeza, a entrada de Portugal na UE (União Europeia), em 1986, juntamente com o surgimento do Instituto do Vinha e da Vinho (IVV), organismo oficial adaptado às estruturas impostas pela nova política de mercado, foram os grandes responsáveis pelo salto da economia do país diante do mercado mundial e, conseqüentemente, para o setor da vitivinicultura.

Aliada a esses órgãos, a ViniPortugal, associação de direito privado sem fins lucrativos, é responsável pela promoção e divulgação do vinho português no próprio país e no exterior.

De acordo com a nomenclatura comunitária, os vinhos portugueses classificam-se da seguinte maneira:

V.Q.P.R.D. (Vinhos de Qualidade Produzidos em Região Determinada) - Essa classificação é dada aos vinhos de qualidade, produzidos no integral respeito pelo "Estatuto" de cada uma das regiões, que define entre outros, a delimitação da área geográfica, os rendimentos máximos, o tipo de solos, as castas específicas, que fazem parte de uma lista oficial aprovada, as práticas culturais e os métodos de vinificação. Todo o processo de produção do vinho é sujeito a um controle rigoroso em todas as suas fases, desde a vinha até ao consumidor.

Estes vinhos ainda têm que obedecer a normas e características em relação ao teor alcoólico mínimo, ao estágio mínimo obrigatório, à cor, limpidez, aroma e sabor, que são controladas pelas Comissões Vitivinícolas Regionais, de forma a garantir a genuinidade e qualidade dos vinhos por si certificados.

Esta designação engloba todos os vinhos classificados como DOC (Denominação de Origem Controlada) e IPR (Indicação de Proveniência Regulamentada). Existe também nomenclatura aplicável aos vinhos licorosos, espumantes e frisantes:

VLQPRD - Vinho Licoroso de Qualidade Produzido em Região Determinada
VEQPRD - Vinho Espumante de Qualidade Produzido em Região Determinada
VFQPRD - Vinho Frisante de Qualidade Produzido em Região Determinada
D.O.C - (Denominação de Origem Controlada) pode ser atribuída aos vinhos cuja a produção está tradicionalmente ligada a uma região geograficamente delimitada e sujeita a regras de produção específicas.
I.P.R - (Indicação de Proveniência Regulamentada) - utilizada para vinhos que, embora gozando de características particulares, terão de cumprir, num período mínimo de 5 anos, todas as regras estabelecidas para a produção de vinhos de qualidade para poderem, então, passar à categoria de D.O.C.

Além destas menções de qualidade, há também a categoria chamada de "Vinhos Regionais", correspondente aos vinhos de mesa com Indicação Geográfica, isto é, vinhos de mesa produzidos numa região específica.

Estes vinhos são elaborados com uvas provenientes, no mínimo de 85%, da mesma região e de castas identificadas como recomendadas e autorizadas para aquele tipo de vinho, e estão sujeitos a um sistema de certificação.

E por último, a classificação do "Vinho de Mesa", atribuída a todos os vinhos de mesa que não se enquadram nas designações já referidas.

A tabela de regiões que a seguir se apresenta, identifica as grandes regiões dos vinhos com Indicação Geográfica (ou Vinho Regional) e as D.O.C. ou I.P.R. que aí estão incluídas.

Região - D.O.C./I.P.R.
"MINHO" - "Vinho Verde"
"TRÁS-OS-MONTES" - "Douro", "Porto", "Chaves", "Valpaços", "Planalto Mirandês".
"BEIRAS" - "Távora -Varosa", "Bairrada", "Lafões", "Dão" e "Beira Interior"
"ESTREMADURA" - "Alenquer", "Arruda", "Torres Vedras", "Bucelas", "Carcavelos", "Colares", "Encostas d'Aire", "Óbidos", e "Lourinhã" .
"RIBATEJO"-" Ribatejo".
"TERRAS DO SADO" - "Setúbal" e "Palmela".
"ALENTEJO" - "Alentejo". "ALGARVE" - "Lagoa","Lagos", "Portimão" e "Tavira".
"MADEIRA" - "Madeira".
"AÇORES" - "Biscoitos", "Pico" e "Graciosa"

Da redação

Publicado em 18 de Abril de 2006 às 12:55


DOC

Artigo publicado nesta revista

Escolha a sua safra

Revista ADEGA 7 · Maio/2006 · Escolha a sua safra