Revista ADEGA
Busca

Vinho - 13.Jun - Mesmo com chuvas fora de época

Produtores vitivinícolas da Austrália sofrem com excesso de oferta


Produtores de uva resistiram à chuva fora de época e doenças para colher 1,6 milhão de toneladas em 2011, 1% a mais que em 2010.

Os dados da Federação de Vinicultores da Austrália mostraram que a indústria de vinho precisava dar "passos decisivos" para tratar um excesso de oferta de vinho.

Divulgação
Vinicultores têm boa safra apesar das chuvas fora de época
"Houve consideráveis problemas na indústria, particularmente para aquele que produzem a uva, mas os consumidores podem esperar bons resultados", disse Stephen Strachan, chefe executivo da WFA, em um relatório que revelou alta qualidade da fruta por meio da gama de variedades.

Ele disse que o mercado estava forçando algumas mudanças para trazer oferta e procura de volta ao equilíbrio, mas "alguns na indústria não estão fazendo decisões difíceis na esperança irreal que as coisas irão voltar ao jeito que eram antes".

O diretor executivo da Wine Grape Growers Austrália (WGGA), Lawrie Stanford, disse que as decisões difíceis sobre quando retirar as vinhas precisavam ser compartilhadas com enólogos e produtores.

Ele disse que a maioria dos enólogos teve que entrar em significativas parcerias com os produtores, com fim de aumentar os preços a um nível sustentável em toda cadeia de abastecimento, focar na produção de vinho com um futuro rentável e compartilhar a carga do ajuste, removendo as videiras em excesso - ao invés de vendê-las a um monopólio de produção, o qual mantém o excesso de oferta e alimenta o insustentável mercado de vinho em massa.

Stanford disse também que enquanto a perspectiva da colheita era alta, ele esperava que as estatísticas referentes à produção de vinho fossem baixas, uma vez que muitas uvas colhidas eram esmagadas para fazer concentrados, a fim de impulsionar os níveis de açúcar nos vinhos.

Os vinicultores também tiveram grandes riscos ao produzir a safra de 2011, uma das mais caras devido à necessidade do uso de pulverizadores contra doenças nas videiras.

"Água não era um custo esse ano, mas sem dúvida o uso de pulverizadores aumentou as despesas usuais de quatro a cinco vezes mais. Diversos fatores fizeram esse um ano caro", ele disse.

Chuvas acima da média e alto risco de doenças atrasaram a colheita para o maior estado vinícola da Austrália, o South Australia, com a qualidade variando consideravelmente entre a variedade e região.

Mais notícias sobre vinhos...

+ Itália ultrapassa a França e se torna o maior país produtor de vinhos

+ Premiada feira em Londres promoverá vinhos de Rioja

+ Rótulo de vinho dá dicas de harmonizações

+ Com fim ecológico, província do Canadá define peso máximo de garrafas de vinho

+ Casa na República Tcheca tem fachada decorada com 180 mil rolhas

Redação
Publicado em 13/06/2011, às 08h51 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h47


Mais Notícias