Revista ADEGA
Busca

27.fev - Rolha de cortiça perde espaço no mercado

Rolha de cortiça perde espaço no mercado mundial


O uso da tradicional rolha da garrafa do vinho é cada vez mais contestado. A justificativa dada é que ela poderia trazer sabores prejudiciais ao vinho


Um estudo feito em Bordeaux, França, concluiu que cerca de 2% a 3% das garrafas de vinhos Bordeaux fechadas com rolha de cortiça foram infectados pelos tais sabores que prejudicam completamente a degustação da bebida. Este fato é significativo, já que entre 12 e 15 milhões de garrafas com rolhas de cortiça são produzidas por ano em toda a região francesa de Gironde.

É por isso que as rolhas de plástico estão cada vez mais sendo desenvolvidas e utilizadas, especialmente, nos vinhos americanos.

A estimativa é que apenas no ano de 2003, 300 milhões de garrafas de vinho foram lacradas com rolhas de plástico, e para 2009, este número deve ser superior a 3 bilhões, ou seja, em seis anos, um aumento de 10 vezes. Os principais vinhedos que usam este tipo de tampa são os da Nova Zelândia e Austrália, assim também como alguns na Suíça, Califórnia e América do Sul.

Viticultores franceses foram os primeiros a utilizar a tampa de plástico, porém este é um mercado em plena expansão, tanto que alguns dos maiores produtores como Boisset, Blanck, ou André Lurton, não hesitaram em quebrar a tradição. Um exemplo foi o francês citado a cima, André Lurton Vignobles, que em 2008 produziu 1,3 milhões de garrafas de vinhos brancos e rosados com rolhas de plástico.

Leia mais sobre os vinhos Bordeaux em:

+ O comércio de Bordeaux, um circo milionário

Redação
Publicado em 27/02/2009, às 11h19 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h45


Mais Notícias