Vinho - 24.Ago - Intriga

Advogados de Coppola reivindicam exclusividade nos vinhos do cineasta


Rótulo da série Diamond Collection de Coppola
Os advogados de Francis Ford Coppola estão ameaçando tomar medidas legais contra o proprietário de uma pequena vinícola localizada em Lake County, na Flórida. Os representantes do cineasta estão querendo que o produtor pare de utilizar a palavra "diamond" (diamante, em português), em suas garrafas de vinho como parte da marca.

Quando nomeou sua vinícola Diamond Ridge, em referência a um tipo de pedra semipreciosa chamada Lake County Diamonds encontrada na região, Jake Stephens não imaginou que pudesse entrar em conflito com uma das mais famosas adegas da Flórida.

Os representantes do cineasta reivindicam o direito do termo "diamond" por causa das séries Diamond e Diamond Collection, lançadas pela Coppola Winery. Eles acreditam que consumidores podem estar sendo enganados e comprando vinhos que não foram produzidos pelo cineasta por causa dos nomes parecidos.

Desde que a briga teve início, Stephens parou de utilizar a palavra "diamond" em seus rótulos, apesar de não acreditar que os advogados de Coppola possuam argumentos razoáveis. "Os rótulos são totalmente diferentes e o nomes também são totalmente diferentes", argumentou ele.

Diamond Ridge, no entanto, não foi a única vinícola a ser intimada pelos representantes de Coppola. Mapes Cellars, uma nova adega na região de Temecula, utiliza quatro pequenos desenhos de diamantes como parte de sua marca, bem abaixo do nome da vinícola. O logotipo foi criado em uma homenagem ao brasão da família Mapes. Apesar disso, os advogados já entraram com uma ação contra a pequena vinícola e a disputa está pendente na justiça.

Símbolo utilizado pela vinícola Mapes Cellars
O que mais se estranha sobre essa situação é que durante cerca de oito anos, Coppola nunca de importou com vinhos que possuíssem diamantes, escritos ou desenhados, em seus rótulos. No entanto, há cerca de um ano, as coisas começaram a mudar.  

"Nós vemos isso como um excesso de direitos. Somos pequenos produtores, não produzimos mais do que 900 garrafas", disse Stephens.

Segundo uma correspondência enviada à vinícola de Coppola pelo advogado representante da Diamond Ridge, já existiam onze marcas de vinho e destilados registradas na região que utilizavam a palavra "diamond" há dez anos, quando o cineasta registrou sua primeira série homônima.

"Em todos os casos, não existe absolutamente nenhuma maneira do consumidor estar sendo enganado", argumenta Ken Mapes. Em uma carta enviada aos representantes do cineasta, o advogado do produtor disse que "qualquer consumidor que confunda a marca de Coppola com outra marca seria ou um deficiente mental ou um estúpido e, portanto, não poderia ser considerado um consumidor razoavelmente prudente".

A história parece tão estranha pelo que se conhece sobre a personalidade de Coppola, que alguns estão suspeitando de que o cineasta, na verdade, não tenha conhecimento do que está acontecendo. "Eu sinto que o Francis não tem idéia do que está ocorrendo e que não está recebendo bons conselhos" disse um dos produtores de Diamond Ridge, Clark Smith. "Eu sei que ele é um grande homem e que se preocupa com a sua imagem", completou.

Confira as últimas notícias do mundo dos vinhos...

+ Languedoc lança denominação mais fácil para consumidores

Vinicultores de Provença prevêem colheita a partir desta terça-feira

+ Vinicultores comemoram produção reduzida na Nova Zelândia

+ Vale dos Vinhedos faz pedido de registro da primeira D.O. brasileira

+ Tempestade destrói quase toda safra 2010 de região no Arizona

Da redação

Publicado em 24 de Agosto de 2010 às 07:34


Notícias