Revista ADEGA
Busca

Vinho - 22.Jul - Apelações

Autoridades francesas aprovam quatro novas apelações


No início desse mês, o Institut National des Appellations d'Origine (INAO), órgão que regula as denominações de vinhos na França, aprovou a criação de quatro novas Appellation d'Origine Controlée (AOC). São elas:

Côteaux Bourguignons: é, na verdade, um novo nome para a denominação AOC Bourgogne Grand Ordinaire. Os vinicultores produtores dos vinhos mais baratos da Borgonha solicitaram a mudança porque "ninguém pode promover seus vinhos sob essa apelação, já que ela não dá uma boa qualificação para eles", como explica o diretor executivo da vinícola Louis Jadot, Pierre-Henry Gagey. Apesar da mudança, a nova AOC continuará situada na parte inferior do sistema de classificação da Borgonha, local reservado para as marcas de baixo preço.  

Bourgogne Cote d'Or: a nova denominação servirá para os vinhos de baixo custo produzidos nas regiões de Cotes de Nuit e Cotes de Beaune, áreas situadas em Cote d'Or na Borgonha. Até então, as bebidas eram comercializados apenas como vinhos da Borgonha. O produtor da vinícola Louis Jadot, Philippe Charlopin acredita que a mudança trará mais segurança para o consumidor. "O novo nome irá oferecer a garantia de que um vinho é de um bom padrão de qualidade, feito nessa zona específica e exclusivamente a partir de uvas Pinot Noir ou Chardonnay, e não Gamay", disse ele.

Grignon Lês Adhémar-A: a região Côteaux du Tricastin vinha sofrendo quedas em suas vendas desde 2008, por causa de um vazamento de urânio da usina nuclear de Tricastin. Vários testes foram feitos para provar que as vinhas da área não haviam sofrido nenhum efeito da radiação, no entanto, o antigo nome continuava a relacionar os vinhos com o acidente na usina. Os vinicultores da região reclamaram uma nova apelação. A AOC Grigno Lês Adhémar-A leva o nome de uma aldeia local e começará a aparecer nos vinhos a partir da safra 2010.

Rasteau: os produtores dos vinhos tintos marcados como Rasteau Côtes du Rhône Villages, poderão encurtar seu nome para apenas Rasteau, começando com a produção de 2009. Até então, os vinhos eram vendidos sob a designação de Cotes du Rhône, área reconhecida por sua produção de vinhos fortificados. Em 2002 o sindicato de vinicultores da região solicitou uma apelação própria. Agora, os vinhos tintos de Rasteau serão elevados ao status de Cru.  "A decisão da INAO reconhece oficialmente a qualidade do nosso terroir e esclarece a nossa imagem como amantes do vinho", disse o diretor da cooperativa vinícola da região, Jean-Jacques Dost.

ESPECIAL:A outra terra da Malbec - Cahors tenta provar que a Malbec francesa merece tanto crédito quanto a irmã mais nova, porém mais famosa, argentina

Confira as últimas notícias do mundo dos vinhos...

+ Comunidade de Madri mostra comprometimento com a vitivinicultura

+ Empresas aéreas buscam prestígio através de carta de vinhos

+Governo de Hong Kong quer aumentar importações de vinhos dos EUA

+ Consumidores de vinho estão preferindo beber em casa, diz estudo

+ Vinicultores da Aquitânia organizam festas para chegada do Tour da França

Redação
Publicado em 22/07/2010, às 06h22 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h46


Mais Notícias