Revista ADEGA
Busca

28.Ago - Bancos aceitam vinho como garantia

Bancos na Itália aceitam vinho como garantia para empréstimos


O plano segue uma tradição italiana de aceitar rodelas de parmesão como garantia
Em tempos de crise econômica, a criatividade parece ser o melhor meio de se escapar da recessão. Na Itália, alguns bancos estão dispostos a receber dos produtores mais atingidos pelo mau momento da economia, como garantia dos créditos combinados, vinhos finos e presuntos (jamón) de alta qualidade.

A idéia foi lançada recentemente por Gianni Zonin, CEO do Banco Popular di Vicenza, e imediatamente recebeu o apoio do governo.

"Se já o fazemos com queijos, por que não o fazer também com o jamón e os bons vinhos como o Brunello di Montalcino e o Chianti Classico?", perguntava-se o executivo em um artigo publicado no jornal inglês The Guardian.


O banco Credito Emiliano, por exemplo, tem guardadas centenas de milhares de formas de queijo parmesão (cada uma ao valor de US$450), que recebeu como garantia de empréstimos.

A aceitação de vinhos poderia ampliar a oferta de créditos com taxas de juros baixas em um setor que sente seriamente a crise econômica. "Além de cobrir as necessidades de liquidez das empresas, esta proposta também reconhece que as verdadeiras reservas de ouro são os excelentes produtos que fabricamos na Itália", acrescentou Zonin.

Confira as últimas notícias sobre o mundo dos vinhos...

+ Colheita riojana será antecipada

+ "Conhecer consumidor" aumentou em 17% as vendas de vinícola californiana

+ Experimento tenta mapear genes que estacionam o crescimento de uvas

+ Vinho aragonês salta 12% no primeiro no primeiro quadrimestre

+ Vendas de vinho crescem na 10.9 % Suécia


Redação
Publicado em 28/08/2009, às 10h02 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h46


Mais Notícias