Revista ADEGA
Busca

25.jun - Brasil ignora crise

Brasil ignora crise e é destaque no Salão Mundial do Vinho


Assim como o Chile e a Argentina, os dois principais países vitivinicultores da América do Sul, o Brasil, que pela primeira vez participa do Vinexpo, Salão Mundial de Vinhos em Bordeaux (sudoeste da França), parece ignorar a crise e mostra estatísticas de negócios otimistas.

Com seus 88.000 hectares de vinhedos e uma produção anual de 3,5 milhões de hectolitros, o Brasil é o quinto produtor mais importante do hemisfério sul, atrás da Argentina (14,8), Austrália (10,3), África do Sul (8,9) e Chile (8,4), segundo a agência de vinhos brasileira.

De acordo com Bernard du Breil, "os brasileiros começam a beber cada vez mais vinhos". "Em três anos, deveremos alcançar um consumo de cinco litros por habitantes. O de agora é de 2,5", afirma o representante da Miolo.

Além do aumento no consumo interno, o País também vê boas perspectivas de crescimento das exportações, que hoje é de apenas 2% da produção. Espera-se que nos próximos 10 anos este percentual chegue a 10%. Alemanha, Holanda, Grã-Bretanha, Estados Unidos e a região de Escandinávia já estão entre os principais importadores de vinho brasileiro. A outra região na mira do vinho do país é a Ásia, principalmente China e Hong Kong.

+ Mais notícias sobre vinhos do Brasil:

+ Vinho brasileiro na direção certa

+ Os Frutos da Nossa Terra

+ Brasil Cor-de-Rosa

+ "O Brasil é um mercado sofisticado"

+ Em busca da casta brasileira

Redação
Publicado em 25/06/2009, às 14h53 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h46


Mais Notícias