Cartas


PROMOÇÃO ASSINANTES

ADEGA está sorteando mensalmente até dezembro de 2009, uma garrafa do "Casillero del Diablo Reserva Privada 2007 Cabernet Sauvignon/Syrah" entre seus assinantes. O segundo contemplado foi Bruno Mastrorosa.

Para participar dos sorteios, basta ser assinante de ADEGA. Se você ainda não é, acesse o site revistaADEGA.com.br e faça já sua assinatura. A avaliação do Casillero Reserva Privada você confere no site OMelhorVinho.com.br.

VALE DO LOIRE

Li e "degustei" a edição número 45 da revista ADEGA com um imenso saudosismo. Em 2007, estive no Vale do Loire em lua de mel com minha esposa Andréia e conferimos de perto o que foi publicado por vocês nesta edição.

O Vale do Loire tem, realmente, muitos encantos: os castelos e seus mistérios; os jardins perfeitos cheios de beleza; as histórias de um passado de realeza e ainda os vinhos brancos excepcionais e tintos joviais e frutados, em sua maioria da casta Cabernet Franc. Conforme publicado em ADEGA, os castelos (châteaux) de Amboise, Chambord, Chenonceau, Cheverny e Villandry realmente valem a visita.

Todos muito bem cuidados e com ótima estrutura para receber o turista. Além de imagens belíssimas, Chenonceau e Chambord possuem também áreas para degustação e venda de vinhos do Loire. Abraço a todos e parabéns pelo especial "Vale do Loire". Ellen Gera de Brito Moura

ÍCONES CHILENOS

Sou assinante da revista ADEGA, mas, consultando os volumes que possuo, não consegui obter a informação que desejo. É que, no começo de maio deste ano, efetuei uma visita à Vinícola Concha y Toro, no Chile, e lá adquiri uma garrafa de vinho Almaviva e outra de Don Melchor, ambas da safra 2006 - que estão devidamente guardadas em adega climatizada. Gostaria de saber se esses vinhos podem ser considerados "de guarda" e, caso positivo, por quanto tempo podem esperar a degustação? Antonio de Oliveira Fernandes

Quem responde é nosso editor de vinhos, Luiz Gastão Bolonhez: Antonio, conheço muito bem os dois vinhos, desde seus primórdios. Almaviva degustei todos desde 1996 até 2006, inclusive. Com relação ao Don Melchor, provei todos desde 1987 até 2005. Deste último, ainda não tive o prazer de provar o 2006.

De uma maneira geral, estes dois vinhos estão entre os mais longevos de nosso continente. Recentemente, degustei o Almaviva 1996, estava excepcional e tinha ainda mais tempo pela frente. Don Melchor, em dezembro do ano passado, degustei o 1993. Estava também muito bom, mas já quase no ápice. Especificamente o Almaviva 2006, provei recentemente.

Estava sublime, firme, reluzente e muito jovem. Este vinho tem 15 anos de boa evolução pela frente, desde que armazenado corretamente (entre 14 e 16 graus com 70/80% de umidade no local da guarda). Escolheria uma data especial daqui oito anos para abri-lo. Estará sensacional.

ERRATA

Na edição 46, na matéria "Gosto se discute!" (página 22), citamos apenas 12 vinhos da prova realizada na Inner Editora. O 13o é o "Vinhas da Ira 2004". A avaliação deste fermentado pode ser encontrada no site OMelhorVinho. com.br.

Da redação

Publicado em 10 de Setembro de 2009 às 06:58


Cartas

Artigo publicado nesta revista