Colecionar condenado por falsificação contesta sentença

Preso desde 2012 por vender vinhos finos com rótulo adulterado em sua casa em Los Angeles, o indonésio Rudy Kurniawan quer novo julgamento


Rudy Kurniawan

O colecionador de vinhos Rudy Kurniawan, preso desde maio de 2012 por ter vendido garrafas falsas em um leilão, contesta sua condenação. Segundo a sentença, o indonésio comprava estoques do vinho Burgundy e mudava seus rótulos para deixá-los mais caros. Jerry Mooney, um de seus advogados, confirmou que um apelo foi feito para a corte de Nova York no início de abril. Atualmente, o indonésio cumpre pena de dez anos por suas falsificações. Se a apelação for aprovada, poderá ocorrer um novo julgamento. O governo deverá ter uma resposta até o dia 10 de julho. No documento de apelação, os advogados afirmam que a busca do FBI na casa de Rudy, em Los Angeles, em 2012, foi ilegal, pois os oficias não possuíam um mandado de busca. Para verificar a casa, um oficial bateu na porta de Kurniawan fingindo ser um vizinho em busca de um animal de estimação perdido. No dia seguinte, o FBI invadiu a casa do colecionador, obrigando-o a ficar fora da residência durante as buscas e prendendo-o em seguida. Pelo documento, os impactos atribuídos às vítimas de Kurniawan também seriam exagerados: “Os preços pagos pelas garrafas de vinho falsificado exageraram bastante o impacto financeiro real sobre os compradores. Isso não quer dizer que a conduta de Rudy deva ser ignorada”.

 

Quer saber mais sobre o maior caso de falsificação da história? Clique aqui!

Da redação

Publicado em 28 de Abril de 2015 às 13:14


Notícias