Revista ADEGA
Busca

Vinho - 30.Ago - Revanche da natureza

Colheitas atrasam nos EUA e são antecipadas na Europa


Com a safra se aproximando no hemisfério norte esse mês, alguns vinicultores estão tranquilos, mas uma exceção. A colheita começou duas semanas antes na Espanha, França, Itália e outras regiões vinícolas da Europa, graças à primavera quente e ensolarada que acelerou sua época de crescimento - e ameaçou supermaturar as uvas em algumas regiões. Na Califórnia e no noroeste do Pacífico, por outro lado, um começo frio e úmido adiou a colheita.

Divulgação
Trabalhadores fazendo a colheita em Champagne
Na maior parte de junho, os vinicultores europeus tiveram uma das colheitas mais antecipadas da história. "Abril, maio e junho foram muito quentes, com temperaturas típicas de verão", disse Stéphane Derenoncourt, um consultor de Bordeaux. "A escassez de água foi sentida muito cedo".

Vinicultores de toda a Europa encontraram uvas três semanas à frente do ciclo de crescimento normal. Em Bordeaux, as coisas esquentaram muito para alguns. Derenoncourt conta que, ironicamente, as vinhas plantas em solos de terroirs pobres, que retêm muita umidade em anos normais, se saíram melhor nas condições secas de 2011.

Quando Champagne começou a dar sinais de que a colheita seria na primeira semana de agosto, julho trouxe um clima frio e nebuloso à Europa. Para muitas regiões, incluindo Bordeaux, Rioja e a maioria da Itália, esse abrandamento foi um alívio: as vinhas ficaram menos estressadas.

Em Borgonha, três semanas de chuva trouxeram botrytis, um tipo de fungo, para algumas vinícolas. "Isso não significa que nós faremos um vinho ruim, só teremos que nos empenhar mais", disse Jeremy Seysses, do Domaine Dujac. "Botrytis é uma realidade na Borgonha.Temos de cuidar disso todo ano, e esse ano não vai ser diferente".

Agosto trouxe o sol de volta e sicilianos começaram a colher suas uvas uma semana antes. Champagne começou por volta da mesma época. Alguns chatêaus de Bordeaux colheram uvas brancas no meio de agosto. "Com esse calor, o desafio não são os açúcares", disse Giacomo Conterno, que cuida da vinícola da sua família, a Poderi Aldo Conterno, em Barolo. "É a acidez e os taninos".

"A safra é o oposto na Califórnia", disse Derenoncourt, que também produz vinhos em Napa. "Talvez nós faremos um ótimo Bordeaux lá".

Foi um ano difícil para os vinicultores de toda costa oeste. Por boa parte da primavera, eles se perguntavam quando as nuvens e baixas temperaturas iriam embora. Em Napa Valley, o frio e a umidade atrasaram a floração. Richard Sowalsky, vinicultor, estima que a produção pode ter caído 15% comparada a anos mais quentes.

Metereologistas prevêem que a colheita seja em setembro.

MAIS: Colheita de uvas em Champagne será uma das mais antecipadas já registradas

Mais notícias sobre vinhos...

+ Linha de vinhos tem rótulos cômicos sobre histórias da tradição alemã

+ Vinicultor italiano envelhece espumantes embaixo d'água

+ Argentinos negam excesso de estoque de vinhos nos EUA, contrariando relatório chileno

+ Vinicultores dos EUA investem em centro vinícola de pesquisa

+ Vinícola chilena prova que é possível produzir vinhos mais ao sul do país

Redação
Publicado em 30/08/2011, às 07h18 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h48


Mais Notícias