Revista ADEGA
Busca

Cresce a taxa de comércio de vinhos israelenses


O consumo de vinhos em Israel sempre esteve ligado a rituais religiosos, mas a tecnologia moderna está ajudando os vinhos do país a ganharem espaço nas prateleiras de Nova York a Paris.

"Hoje você encontrará pessoas procurando por vinhos israelenses que estejam no mesmo patamar de diversos outros, e o bom é que nós conseguimos fabricar esses vinhos", afirmou Daniel Rogov, um crítico de Jerusalém. "Não há diferença entre os vinhos kosher (alimentos que obedecem à lei judaica) e vinhos comerciais", complementou.

As adegas de Israel conseguem produzir cerca de 33 milhões de garrafas de vinho por ano, das quais a maioria continua de acordo com as tradições e costumes judaicos. Embora grande parte da mercadoria não seja feita por vinicultores tradicionais e experientes, os vinhos estão com qualidade cada vez melhor, já que o governo subsidia pequenos produtores do país.

Robert Parker, um dos críticos de vinho mais influentes do mundo, elogiou a bebida israelense e classificou alguns vinhos com até 90 pontos, numa escala que vai de 50 a 100, chamada "Parker's 100-point rating system", nota que se equipara às dadas para vinhos libaneses, os mais tradicionais do Oriente Médio.

Confira as últimas notícias sobre o mundo dos vinhos...

+Apesar da melhora nas exportações, neozelandeses estão cautelosos

+ Washington pode registrar colheita recorde em 2009

+ Vinho argentino ganha espaço no mundo

+ Vinicultores do Vale do Napa iniciam a colheita de 2009

+ Vinhos de marca própria crescem em vendas

Redação
Publicado em 19/08/2009, às 13h02 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h46


Mais Notícias