Deixar-se levar

Editorial - Edição 114


“A mãe natureza pode ser belíssima, mas também cruel. Trabalhamos em um ambiente que, em último estágio, não é controlável. Só reagimos, não controlamos. Então, é preciso ter amor à natureza, sim, mas, sobretudo, respeito. E até um pouco de temor reverencial”. A análise de Santiago Achaval (entrevistado com exclusividade nesta edição) revela o quanto cada ano deixa suas marcas em um vinho.

Mas não são somente as intempéries climáticas que determinam o que vamos encontrar dentro de uma garrafa. A mão do homem, inclusive a nossa própria, é capaz de criar um resultado completamente diferente. De um lado, o enólogo pode escolher as técnicas que convém necessárias para fazer seu vinho, como a maceração carbônica, por exemplo – processo que você vai compreender em detalhes aqui, além de conferir uma seleção didática de rótulos. De outro, estamos nós, consumidores, que escolhemos o momento que acreditamos ser ideal de abrir a garrafa, seja logo, seja anos depois. E isso também impacta em nossa percepção da bebida. Portanto, decidir entre beber um vinho jovem ou envelhecido pode ser crucial e, por isso, vamos discutir aqui as “belezas” de um vinho velho. Você é paciente?

No entanto, apesar disso, o impacto do clima em um vinho não pode ser desprezado. “A diversidade e a riqueza do vinho está nesses anos diferentes. É uma riqueza que temos que reconhecer”, admitiu o enólogo Lucindo Copat, um dos mais de 20 consultados por ADEGA para montar um panorama completo da safra 2015 no sul do Brasil, em que esmiuçamos cada região, como Serra Gaúcha, Campanha, Serra do Sudeste, Serra Catarinense, além de suas sub-regiões como Vale dos Vinhedos, Altos Montes e Pinto Bandeira.

Além de conferir o que podemos esperar de bom dos terroir brasileiros em 2015, nesta edição você também descobre alguns dos principais destaques da nova versão do Descorchados, o grande guia (ou seria a bíblia?) de vinhos da América do Sul, que neste ano contempla mais de mil páginas com mais de 3 mil vinhos. Durante o concorridíssimo evento de lançamento no Brasil, que contou com a presença de enólogos renomados que vieram pessoalmente explicar os porquês de seus vinhos, selecionamos algumas das melhores novidades para você.

Para quem gosta de vinho e cultura, pode se encantar com um perfil e uma vertical exclusiva dos vinhos Marquesa de Alorna, em homenagem à grande poetiza do Arcadismo português. Tudo isso e muito mais para você desfrutar de cada página, cada gota.

Saúde,
Christian Burgos e Arnaldo Grizzo

Da redação

Publicado em 13 de Abril de 2015 às 00:00


Editorial natureza Santiago Achaval vinho velho Lucindo Copat Marquesa de Alorna

Artigo publicado nesta revista