Revista ADEGA
Busca

Vinho - 04.Dez - Tecnologia

Desenvolvida a "língua eletrônica", que distinguirá uvas e safras


Seja vinho branco ou tinto, de 2006 ou 1966, os conhecedores sempre confiaram em seu próprio paladar para julgar um bom vinho. Mas agora eles terão mais uma ajuda: a espécie de língua eletrônica.

A língua consegue diferenciar variedades e safras
Com apenas um toque, a língua eletrônica, desenvolvida em Barcelona, pode ser mais precisa que um conhecedor. Similar às papilas gustativas, os seis sensores do microchip inserido nela medem os diferentes componentes químicos do vinho.

Depois de ser calibrado para um vinho específico, o dispositivo é capaz de distinguir a variedade e o ano da safra.

Especialistas afirmam que este novo dispositivo pode prevenir algumas fraudes. "Pessoas que gastaram muito dinheiro num certo tipo de vinho, de uma safra específica, poderão confirmar a autenticidade da bebida", afirmou a especialista Mary O'Connor.

Para ela, entretanto, esse deve ser o único uso da língua eletrônica, já que prefere confiar em seus próprios instintos para julgar a qualidade do vinho. "Não tenho dúvidas de que a tecnologia é avançada e vai ser muito útil, mas será que conseguirá substituir a capacidade das pessoas de julgar a qualidade?", questionou.

Até agora, o produto consegue distinguir quatro tipos diferentes de uva: chardonnay, aisen, malvasia e macabeu, e é capaz medir a diferença entre as safras de 2005 e de 2007.

Confira as últimas notícias sobre o mundo dos vinhos...
+ O Melhor Vinho do dia: Um brinde à beleza de Sharapova

+ Schwarzenegger anuncia cruzada contra aquecimento global

+ Sabor do vinho pode ser alterado pela cor da luz ambiente

+ Consumo moderado de vinho aumenta o desejo sexual das mulheres

+ Plantação da uva Merlot pode ser influenciada pelo aquecimento global

Redação
Publicado em 04/12/2009, às 13h52 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h46


Mais Notícias