10.mar - Em meio à crise, exportação de vinhos

Em meio à crise, exportação de vinhos nacionais cresce 99%


Em 2008, nem mesmo a crise internacional derrubou as exportações de vinhos brasileiros. Ao total, as vendas externas somaram, só no ano passado, R$ 4,6 milhões, um crescimento de 99% em relação a 2007. Esses bons resultados refletem grande otimismo na previsão de exportações deste ano: R$ 6 milhões.

O salto de quase 100% nas exportações foi semelhante aos números registrados entre 2007 e 2008, quando o crescimento foi de 99,4%. Só nos últimos cinco anos, os vinhos e espumantes brasileiros cresceram 2000%. Uma meta importante para a continuidade desse processo de crescimento das exportações é a busca de novos mercados importadores, como a Ásia. Atualmente, os principais importadores são Holanda, Estados Unidos e Alemanha. Singapura, Hong Kong e Índia são produtores potenciais do vinho brasileiro.

Não somente a diversificação dos países que importam as bebidas é o responsável pela ascensão das vendas. Os concursos internacionais são fundamentais na construção de um renome internacional para a bebida, algo que ocorre com o Brasil atualmente.

- Dentre as mais de mil premiações obtidas pelo Brasil nos últimos tempos estão concursos altamente reconhecidos, em que são feitas degustações às cegas. O degustador não sabe que produto está provando. E a maravilha vem quando abre e identifica que é do Brasil - comemora o presidente da Câmara Setorial do Vinho do Ministério da Agricultura, Hermes Zanetti.

Boa parte desse crescimento se deve a um projeto realizado em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações (Apex), chamado Wines From Brasil. Mais de trinta vinícolas fazem parte dessa parceria e o programa está aberto a novos produtores. De início, a idéia é ligar o mercado mundial às vinícolas familiares. Além desse projeto, a Apex mantém outros projetos, como eventos para a divulgação do vinho nacional e sua participação em feiras internacionais.

- As degustações são uma ação que tem dado muito resultado no caso dos vinhos finos brasileiros. Nós fizemos no Canadá, nos Estados Unidos e na República Tcheca, mercados que já compram o vinho brasileiro, mas em volumes pouco significativos - conta o gestor de Projetos de Agronegócios da Apex, Marcos Soares.

Essas medidas são importantes para a divulgação de um produto que cada vez mais se encontra entre os melhores do mundo. Com a conquista de reconhecimento internacional, o vinho nacional ganhará também muitos novos adeptos brasileiros.

Fonte: ClickRbs.com.br
Da redação

Publicado em 10 de Março de 2009 às 11:25


Notícias