Vinho - 16. Fev - Estudo

Estudo pode apontar soluções para o combate à acidez dos solos nos vinhedos


O Instituto de Vinhedos e Vinhas da Universidade de León (ULE) tem conseguido melhorar a qualidade dos vinhos elaborados através de um estudo no qual a incorporação dos solos é modificada com novos materiais, combatendo a acidez extrema que antes os caracterizavam.

A maioria dos terrenos dedicados à produção do vinho em Bierzo (município espanhol) se caracteriza pela acidez extrema e a presença de alumínio no solo, fator tóxico as plantas.

Para reduzir esse efeito, a ULE e a Diputación de León (Província espanhola) fizeram um acordo por três anos com as Bodegas Losada para a condução do estudo, que tem custo de 31.000 euros. Esse estudo trará como consequência solos melhores, através da redução da presença de polifenóis provenientes das plantas.

Luna Garcia
Estudo terá gasto de 31.000 euros

Espuma açucareira e dolomitos (rocha sedimentar) têm sido os produtos utilizados para tratamento do solo. Os materiais são utilizados em áreas distintas e depois, durante três anos, serão comparados com o terreno original, para verificar os efeitos.

Este é o primeiro estudo realizado em Mencia, região noroeste da Península Ibérica, e daqui a dois anos se tornará uma tese de doutorado da Universidade de Léon.

Até o momento, nos frutos investigados foram constatados uma maior definição de aromas e um incremento da qualidade do vinho.

Mais notícias sobre o mundo dos vinhos ...

+ Empresa espanhola realizará evento de vinhos no Palácio de Mônaco, na França 

+ Queda de uvas amassadas marca o ano de 2010 na Califórnia

+ Chineses aumentam em 35% o consumo de vinhos

+ "Lei Seca" espanhola faz cair venda de vinhos em bares e restaurantes

+ Após 25 anos presidente do vinho London Armit se aposenta e deixa cargo

Da redação

Publicado em 16 de Fevereiro de 2011 às 09:19


Notícias