Garrafa de Romanée-Conti é retirada de leilão na China por suspeita de falsificação


O território sagrado onde crescem as uvas do vinho mais cultuado do mundo, na Borgonha, já foi palco de tentativa de sabotagem, e o Romanée-Conti é um dos alvos em potencial para os grandes falsificadores que atuam no mercado dos leilões milionários

As suspeitas de falsificação de vinhos raros e 'sagrados' no milionário mercado dos leilões e colecionadores esteve mais uma vez no noticiário da última semana, quando uma garrafa (muito estranha, não há dúvidas) de um suposto Romanée Conti da safra de 1924 foi retirada de um leilão em Hong Kong, na China.

LEIA MAIS
 
» Champagne Krug ganha trilha de Bossa Nova
 
» Quatro livros incríveis de vinho que você precisa ler
 

O alerta e o pedido para a retirada foi feito por Don Cornwell, famoso advogado especializado em casos de falsificação de vinho, e a casa leiloeira em questão é a Acker Merrall & Condit, onde o célebre falsário Rudy Kurniawan vendeu milhões de dólares em vinhos falsos antes de ser preso e ter sua história contada no documentário Sour Grapes, da Netflix.

 

A suposta garrafa de 1924 tem o vidro amassado e diferente do padrão utilizado pelo DRC na época, além de exibir no lugar do rótulo o nome e a safra escritos à mão em etiqueta 

Don Cornwell, um dos responsáveis por desmascarar Rudy à época da fraude, pediu diversas vezes a retirada da garrafa do Romanée Conti 1924 do lote que foi a leilão na última quinta-feira e tinha lance mínimo de US$ 20 mil.

Colecionadores e especialistas ficaram intrigaram assim que viram a garrafa, com vidro e formato diferentes dos utilizados pelo Romanée nos anos 1920, tendo como rótulo apenas uma fita adesiva com o nome e a safra manuscritos.

 

No ano 2000, num leilão da Sotheby’s, em Nova York, uma garrafa do Romanée-Conti 1945 foi arrematada por um colecionador anônimo por US$ 558 mil, um dos recordes no universo particular dos vinhos que se tornaram lendas  

Cerca de 50 lotes do mesmo colecionador e expedidor anônimo do vinho suspeito permanecem em leilão, e a Acker Merrall & Condit afirma:

"Temos o prazer de receber este colecionador estabelecido que sempre teve um gosto pelo melhor, seja ele arte, vinho, relógios... ou mais vinhos! Ele sempre compra das coleções mais importantes em leilão, aquelas em que considera a procedência de primeira qualidade, como traduzidas lindamente por esses cinquenta lotes de Bordeaux e Borgonha de primeira linha".

 

Da redação

Publicado em 14 de Junho de 2020 às 12:49