Revista ADEGA
Busca

Vinho - 15.Set - Sede asiática

Hong Kong se torna o maior centro de leilões de vinho


A sede crescente da Ásia por vinhos finos está ajudando Hong Kong a se tornar o maior centro de leilões no mundo, de acordo com a casa de leilões Acker Merall & Condit.

Divulgação
Os europeus estão gastando menos dinheiro em vinho, devido à mudança de hábitos e à fraca economia, mas a demanda forte na Ásia mantém a indústria crescendo.

De fato, Hong Kong está superando até Nova York como centro de leilões de vinho, reforçado pela remoção dos impostos sobre a bebida em 2008.

Muito da demanda é por conta de investimentos, e não consumo. Incluir vinho em um portifólio é cada vez mais comum, já que investidores procuram produtos cuja variação de preços não dependa de outros mercados.

"Mesmo durante a crise financeira, preços [de vinho] baixaram apenas 20-30%, e apenas seis meses depois eles foram recuperados por inteiro", disse John Kapon, chefe executivo da Acker Merrall & Condit. O preço de um vinho é relativamente estável devido ao fato do consumo regular criar uma demanda.

Até agora, a venda de vinhos em Hong Kong ultrapassou 232 milhões de dólares. A Acker Merrall fará em setembro seu 16º leilão, vendendo 959 lotes com um valor estimado de 10 milhões.

Mais notícias sobre vinhos...

+ Chineses investem em vinícolas na Austrália

+ Inovadora e ecológica, embalagem de vinho é uma bolsa plástica reciclável

+ Novo documentário mostra a região do Douro e seus vinhos

+ Estrela da série "Call Me Fitz", Jason Priestley também é dono de vinícola nos EUA

+ Premiado fotógrafo norte-americano começa a produzir vinhos

+ Aplicativo para iPhone foca na enogastronomia australiana

Redação
Publicado em 15/09/2011, às 10h44 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h48


Mais Notícias