Vinho - 10.Ago - De olho no gigante

Hong Kong se torna o quarto maior importador de vinhos dos EUA


A indústria vitivinícola dos Estados Unidos foi muito afetada pela recessão econômica. Após um ano de crise, seus principais mercados importadores estão passando por uma época de austeridade econômica. Com exceção de Hong Kong.  

O valor das exportações norte-americanas para a cidade do gigante asiático aumentou quase 140% de 2009 para cá, gerando um total de 40 milhões para o setor de vinhos dos EUA. A maioria é de origem californiana, cerca de 90% do total. No entanto, outros estados começaram a fazer sua campanha no mercado chinês, como Washigton e Oregon que no início do ano se uniram para promover o noroeste norte-americano.  

As importações da grande cidade chinesa aumentaram desde que um imposto de consumo foi eliminado em 2008. Segundo o Ministério da Agricultura dos EUA, Hong Kong importou um valor recorde de 491 milhões de dólares em vinho no ano passado. A maioria veio da França, mas os norte-americanos representaram 8% total.

Hong Kong se tornou o quarto maior mercado de exportação de vinhos dos EUA, atrás do Canadá, União Européia e Japão. A cidade também se tornou um grande ponto re-exportador para outros centros comerciais da China e de outros países.

De acordo com a estimativa da consultoria britânica Wine Intelligence, o número de chineses que bebem vinhos importados irá aumentar, chegando aos 50 milhões em 15 anos, quase o mesmo número de norte-americanos.

"Apesar do salário médio nas áreas urbanas da China ser de 356 dólares por mês, o crescimento econômico do país é impressionante e a sua 'sede' por vinho está se espalhando rapidamente para além das grandes cidades", explica Al Portney, vice-presidente de vendas internacionais da Ste. Michelle Estates, vinícola que há muitos anos exporta produtos para o gigante da Ásia.

Portney vê semelhanças entre o mercado chinês e o norte-americano. Segundo ele os EUA tinham uma "dura cultura do licor e da cerveja" até a Segunda Guerra Mundial, quando os soltados trouxeram para casa uma preferência pelos vinhos da Europa.

"Milhões de chineses trabalham ou estudam no exterior e trazem para seus lares o que aprendem. Eles estão mudando a sociedade chinesa e parte disso, é a cultura do vinho", explica.

ESPECIAL:Os desafios do Oriente - Vinho combina com culinária asiática? ADEGA quis pôr à prova as combinações mais ousadas e teve sucesso

  

Confira as últimas notícias do mundo dos vinhos...

+

Curso culinário para estrangeiros oferece visita a bodegas espanholas

+ Traça europeia coloca outra região da Califórnia em quarentena
+ Vinoterapia se destaca no turismo de Bordeaux

+ Companhia aérea alemã serve vinho de Gérard Depardieu

+Colheita atrasada na Califórnia tira sono de vinicultores

Da redação

Publicado em 10 de Agosto de 2010 às 07:32


Notícias