19. jan - Índia: depois da comida, provar vinho

Índia: depois da comida, é hora de provar o vinho


O vinho indiano está tentando atingir o mesmo sucesso que as cervejas, comidas e engenheiros de softwares de seu país têm feito no mundo. O vinho produzido na Índia pretende se popularizar na Inglaterra, e para isso faz muita campanha para convencer consumidores a comprarem garrafas de merlot ou chardonnay produzidos em climas sub-tropical.

A sua mais velha vinícola data de 1982, o que demonstra que indústria vitivinícola indiana ainda está na sua infância, mas tem crescido muito, principalmente na última década, devido a uma crescente classe média que tem consumido mais bebidas alcoólicas. As vendas têm aumentado 30% a 35% no país, desde 2002 e, embora somente 2% da população beba vinhos, isso já significa o montante de 20 milhões de pessoas.

Ano passo, o mercado indiano comercializou 1,2 milhões de caixas de vinhos, o que representa o dobro no consumo doméstico em um espaço de apenas 5 anos. Comparado com o mercado global - Estados Unidos, por exemplo, em 2008 produziu 270 milhões de caixas - a Índia representa uma viticultura mínima, mas, os produtores estão animados, pois têm conquistado um mercado sólido no Reino Unido.

Os produtores indianos Indage, Sula and Grover Vineyards , já estabeleceram uma ponte no mercado britânico, por focarem suas vendas em restaurantes asiáticos e comerciantes de vinho. Mas agora, as campainhas, inspiradas pelo sucesso da cerveja indiana Kingfisher, querem ir além colocando de lado velhos estigmas, como por exemplo, de que a Índia só produz curry.

Indage, empresa que domina cerca de 80% das vendas na Índia, está em negociações avançadas com dois grandes supermercados ingleses para começar a armazenar seus vinhos.  Ale disso, a empresa já adquiriu a British Wine Comércio e Distribuição para preparar sua expansão.

Santosh Verma, diretor de estratégia e marketing da Indage, disse: "Estamos muito esperançosos sobre o que podemos fazer com o mercado britânico. Existem muitas coisas em comum entre Grã-Bretanha e Índia, como um país e como cultura. Penso que isso nos dá uma vantagem em convencer os consumidores a experimentar o nosso vinho". Além disso, Verma afirma que em termos de qualidade, o vinho produzido na Índia pode ser comparado a qualquer outro do mundo.

Alamy
Trabalhadores numa vinícola próximo a Bangalore, Kamataka

Da redação

Publicado em 19 de Janeiro de 2009 às 15:34


Notícias