Revista ADEGA
Busca

Vinho - 18.Ago - Tendência

Jovens preferem vinhos espumantes, mostra estudo


Um novo estudo realizado em cinco países - Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, Reino Unido e Estados Unidos -mostra a posição dos jovens quanto ao vinho espumante ou champagne.

Divulgação
Jovem vê dinâmica diferente no vinho espumante
O objetivo era analisar as atitudes e condutas de consumo com respeito ao espumante nos países de língua inglesa. O estudo, que durou dois anos, foi realizado por um grupo de pesquisadores de diferentes partes do mundo, e cujo foco foi em 23 grupos específicos de jovens, obtendo como resultado 490 páginas de material para analisar.

No estudo foram identificadas quatro percepções comuns relativas ao espumante entre os jovens dos cinco países. A primeira é que esse tipo de vinho tem uma dinâmica diferente e melhor que vinho tranquilo, por conta das suas bolhas e textura "movediça". Para os jovens, os vinhos se encontram em categorias diferentes, e seu uso tem fins distintos.

"O espumante é uma bebida de ação, de grande vivacidade, para estar em movimento, enquanto que o vinho tranqulo é uma bebida de reflexão, para ficar quieto, sentado à mesa", disse um dos participantes da pesquisa.

O segundo ponto comum é que vinho espumante é uma bebida social. "Sentar em casa sozinho e beber uma taça de vinho soa um pouco raro", afirmou outro entrevistado. Os eventos sociais inevitavelmente re relacionam a celebrações, tais como aniversários, o dia de formatura, entre outros. No entanto, muitos afirmaram que não o bebem em bares e boates por ser muito caro nesse tipo de lugar.

A terceira percepção diz respeito ao espumante entre as mulheres. Apesar dos participantes homens beberem champagne e vinho espumante, tanto eles como as mulheres admitiram que vêem essa bebida como feminina. Muitos homens comentaram que foi uma mulher que os fez provar um espumante. A única pequena diferença nessa questão é que no Reino Unido, muitos concordam que o champagne seja uma bebida masculina em certas ocasiões.

O quarto ponto comum entre os países é que os jovens acham que tomarão mais vinho quando forem mais velhos. "No momento, eu bebo muita cerveja e bebidas destiladas. Acho que você vai preferindo vinho quando você cresce", explicou um dos participantes.

Ao analisar a informações coletadas no estudo, diferenciam-se, em geral, três estados de comportamento em relação ao álcool. Menores de 22anos que vão à casas noturnas se embriagar com cerveja e destilados, jovens entre 22 e 25 anos que se tem preferência pelo vinho, e jovens entre 26 e 30 anos, que se mostram um grande prazer pelo vinho, especialmente pelo espumantes, mas em geral bebem menos álcool.

Entre as diferenças, o Reino Unido se destaca por ser o país no qual os jovens mais bebem espumantes locais, já que a importação de champagne é antiga e seu consumo já está intrínseco na população.

O preço que cada um está disposto a pagar também varia de país a país. Na Austrália e na Nova Zelândia, em particular, os participantes disseram preferir espumantes de alta qualidade, e que estavam dispostos a pagar por isso. No Reino Unido também se paga mais caro, já que normalmente se leva a um evento social.

Mais notícias sobre vinhos...

Da colheita à venda, jogo no Facebook simula produção de vinho

+ Para atender demanda, produtores de Champagne permitem maior rendimento por hectare

+ Clima atípico na França pode provocar ano de vinhos excepcionais

Rótulos de linha brincam com características e individualidade de cada vinho

D.O. Rías Baixas promove seus vinhos nos EUA

Redação
Publicado em 18/08/2011, às 09h26 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h47


Mais Notícias