12.fev - Mapa genético de leveduras

Leveduras ajudam no mapeamento do genoma humano e podem melhorar o sabor de vinhos e cervejas.


  Pesquisadores da Universidade de Nottingham, no Reino Unido, em uma matéria publicada na revista Nature, têm mapeado o DNA de dezenas de linhagens de leveduras utilizadas na produção de cerveja, fermento, biocombustíveis, algo que, segundo eles, pode ajudar no mapeamento do genoma humano e ainda melhorar o sabor de vinhos e cervejas.

Isto significa a possibilidade dos produtores escolherem as melhores linhagens para fazer cerveja com mais sabor ou talvez ajudar os vinicultores a engarrafem seus vinhos de maneira que ele dure mais tempo depois de ter sido aberto.Ed Louis, da Universidade de Nottingham, no Reino Unido e os colegas relatados na revista Nature.


"Temos agora uma visão da variação em toda a espécie, o que nos permitirá fazer uma melhor combinação para uma melhor utilização de cerveja e vinho", disse o pesquisador Ed Louis.


As leveduras são objetos de estudo há um bom tempo para o tratamento de doenças como câncer e Alzheimer, e até envelhecimento, porque muitos de seus genes são semelhantes aos nossos.


A equipe mapeou os genes de mais de 70 linhagens de leveduras utilizadas em todo o mundo para assar pão, na produção de vinho e cerveja.


O mapa genético das leveduras é muito menor do que o genoma humano, o que possibilita que os pesquisadores trabalhem de um modo mais rápido e barato.


Além de oferecer várias formas de melhorar a cerveja, vinho e pão, os mapas poderiam fornecer um modelo que ajudaria os cientistas a criarem programas informáticos necessários para digitalizar o mais complexo genoma humano, com o intuito de identificar as variações genéticas e as doenças da quais cada indivíduo está propenso a desenvolver.   



Leia mais sobre ciência e vinho em:

+ Nova tecnologia pode melhorar a qualidade dos vinhos

+ Ciência a favor do vinho

Da redação

Publicado em 12 de Fevereiro de 2009 às 11:35


Notícias