Milão, o melhor da moda, do design e da enogastronomia na Itália

As opções enogastronômicas de uma das cidades italianas mais cosmopolitas do mundo


Estendendo-se dos Alpes até a planície do rio Pó, passando pelos exuberantes lagos di Como e Maggiore, está a região da Lombardia. Região que deve seu nome aos lombardos, um povo de origem germânica, que invadiu a Itália Bizantina durante o século VI. É também na Lombardia que se encontra Milão, o centro da moda e dos negócios italianos. Também chamada de "Mailand" (terra de maio, em alemão) pelos godos, a cidade, situada na interseção das rotas transalpinas, é importantíssima para o comércio, e já foi disputada por poderosas dinastias.

Logo ao aterrissar no aeroporto Malpensa já se percebe toda a intensidade, o design e a cultura avant-garde que se respira na metrópole lombarda. E não é para menos. Milão é conhecida por sua grande concentração de butiques e lojas de design, como o famoso Quadrilátero da Moda, que se estende entre a famosa Via Montenapoleone, a Via Sant'Andrea, a Via della Spiga e Borgopesso, onde estão presentes as principais grifes do país. Em síntese, ele mostra uma versão mais sofisticada da moda vista em qualquer cidade italiana. Mas não é só da moda que a "Mailand" vive.

Fotos: Divulgação

Atrações
Milão é também uma comuna muito rica histórica e culturalmente. O berço econômico italiano oferece ao visitante uma interessante mescla entre design e tradição. No centro está localizada a mais importante atração da cidade, a Duomo di Milano, magnífica catedral, uma das maiores igrejas góticas do mundo e o mais importante símbolo da "terra de maio". A construção iniciou- -se em 1386, sob o domínio de Gian Galeazzo Visconti (futuro Duque de Milão), porém só foi concluída 500 anos depois. Assim, no dialeto milanês, a expressão "fabrica del domm" é utilizada para designar complicadas operações.

Muito próximo à praça da catedral está o não menos famoso Teatro alla Scala, a mais célebre casa de ópera do mundo, que herdou seu nome da igreja sobre a qual foi construída, Santa Maria della Scala. Seus ingressos são vendidos com meses de antecedência e a tradicional noite de estreia da temporada acontece em 7 de dezembro, dia de Sant'Ambrogio, o padroeiro da cidade.

Fotos: Divulgação

Hotel Principe di Savoia (página seguinte) é uma verdadeira tradição da cidade, inaugurado em 1927. Já o exclusivíssimo Seven Stars Galleria fica dentro da histórica Galleria Vittorio Emanuele II e lá está a First Wine Stock Exchange

 

Galleria Vittorio Emanuele II também é conhecida como il Salotto di Milano

(Sala de Visitas de Milão)

Mais uma parada obrigatória em Milão é a Galleria Vittorio Emanuele II, também conhecida como il Salotto di Milano (Sala de Visitas de Milão), projetada pelo arquiteto Giuseppe Mengoni. Ela possui uma imponente estrutura de metal e vidro, que pode ter inspirado Gustave Eiffel na construção de sua torre em Paris. A galeria, que é também uma passagem de ligação entre a Piazza del Duomo e a Piazza della Scala, possui piso decorado por mosaicos com os signos do zodíaco. Um fato interessante em torno da Galleria é a tradição milanesa de pisar sobre as partes genitais da figura que representa o signo de Touro e dar uma volta sobre ela, costume tão forte que já deixou um buraco no solo.

Ainda passeando pela cidade, o visitante se deparará com o Castello Sforzesco, um palácio renascentista que protagoniza agradáveis passeios por seus pátios e jardins. Milão também é a casa da Pinacoteca di Brera, que abriga o melhor acervo de arte da cidade, com obras de Raphael, Tintoretto e Caravaggio, entre outros. E, por fim, impossível esquecer de passar pelo convento renascentista Santa Maria delle Grazie, onde está uma das imagens mais importantes da civilização ocidental e possivelmente a mais importante obra de Leonardo da Vinci, a Última Ceia. Para poder apreciá-la, é necessário agendar a visita com antecedência.

 

Fotos: Divulgação
Enoteca Ronchi , na Via San Vincenzo, oferece vinhos de safras raras e rótulos dos mais prestigiados desde 1865.

Hospedagem

Dentre a imensidão de opções de hotéis que uma cidade como Milão pode oferecer, há dois que não podem deixar de ser citados. O primeiro é o Hotel Principe di Savoia, uma verdadeira tradição da cidade, além de ícone do bom atendimento. Inaugurado em 1927, o hotel já teve ilustríssimos hóspedes, como Gabriele d'Annunzio, Eva Perón, Charlie Chaplin e Maria Callas.

O outro hotel a ser cogitado é o Seven Stars Galleria, localizado dentro da histórica Galleria Vittorio Emanuele II. Além da qualidade de atendimento, o hotel se diferencia por sua exclusividade - o hóspede dividirá o espaço com apenas outros seis cômodos. Para os amantes de vinho, então, o local é de se deleitar. O hotel mantém a First Wine Stock Exchange, onde é possível encontrar os melhores (e alguns dos mais raros) vinhos do mundo, e tudo isso guiado pelo sueco Andreas Larsson, considerado em 2007 o melhor sommelier do mundo.

Dentre os numerosos e conhecidos pratos milaneses estão o Panettone e o Risotto alla Milanese

Fotos: Divulgação
Caffè Miani , mais conhecido como Zucca, já foi frequentado por Verdi e Toscanini

Para enófilos

No quesito wine bar e enotecas, temos outras duas paradas de praxe: a Enoteca Ronchi, que fica na Via San Vincenzo, um local que, desde 1865, oferece a seus clientes vinhos de safras raras e rótulos dos mais prestigiados. Como também cultua a cultura do vinho, a enoteca realiza algumas degustações e eventos com produtores italianos e membros a Associação Internacional dos Sommeliers.

Por último, um lugar para petiscar bebendo um bom vinho: o Le Rosse. O bar é especializado em embutidos de todos os tipos e compõe pratos nas medidas pequena, média ou grande, sendo possível experimentar muitas porções numa só visita. Os vinhos de lá foram obtidos por meio de peregrinações dos donos por toda Itália, ou seja, o leque de opções é bem grande.

Fotos: Divulgação

A loja gourmet Peck , de 1883, é um paraíso gastronômico e também tem uma enoteca.

Restaurantes

Uma cidade com tantas heranças culturais não poderia deixar de ter uma vibrante vida noturna e, claro, cozinha única. Dentre os seus numerosos e conhecidos pratos estão o Panettone e o Risotto alla Milanese.

Para começar seu passeio gastronômico por Milão, nada melhor do que caminhar pela importante e elegante Via Dante, uma rua agradabilíssima, na qual a circulação de veículos é proibida. Dentre os diversos cafés, restaurantes e bares, vale conhecer o Caffè Milano e provar o seu ossobuco com Risotto alla Milanese.

Outras opções interessantes estão na Galleria Vittorio Emanuele II, como o histórico Biffi Caffè, o primeiro café milanês a instalar energia elétrica; o sofisticado restaurante Savini; ou ainda o Caffè Miani, mais conhecido como Zucca, uma verdadeira instituição em Milão, que já foi frequentado por Verdi e Toscanini

Fotos: Divulgação
O sofisticado restaurante Savini é opção para uma boa refeição

Por fim, como todo guloso que deixa para comer por último o melhor, há o restaurante Cracco, chefiado pelo talentoso chef Carlo Cracco, que faz uma moderna gastronomia mesclando as tradições milanesas com as técnicas atuais. O restaurante, além de uma excelente cozinha, possui exuberante carta de vinhos, com 1.800 rótulos (não é para menos, já que ostenta duas estrelas Michelin e está entre os 50 melhores restaurantes do mundo na conceituada lista da Restaurant Magazine).

Fotos: Divulgação
HistóricoTeatro alla Scala

Milão gourmet

Assim como acontece em qualquer cidade italiana, você passará por inúmeras lojas que lhe deixarão com água na boca e que são uma tentação às refeições tradicionais. Porém, como um verdadeiro gourmand e amante da gastronomia, sempre é possível encontrar espaço para experimentar de tudo.

A primeira coisa que se deve fazer em Milão (ou em qualquer cidade italiana) é ir a uma Gelaterie. Uma dica: vá logo no início do dia, para poder repetir o ritual diversas vezes ao longo de sua estadia. Dentre as inúmeras opções está a Gelaterie Grom, onde você poderá se deliciar com os mais diferentes sabores. Uma sugestão é o clássico de pistacchio.

Deixando um pouco de lado tudo aquilo que já sabemos que essa terra pode nos oferecer, chegamos à última parada obrigatória de Milão: o Templo della Gastronomia, a loja gourmet Peck, inaugurada em 1883. Um verdadeiro paraíso gastronômico, onde se pode encontrar produtos de altíssima qualidade, como queijos, azeites, embutidos, trufas, cogumelos etc. Para a parte de vinhos, a Peck tem um setor especial, a L'enoteca di Peck, onde encontramos rótulos de diversos países, com ênfase nos produtos nacionais, como todos os Amarones, Brunellos e Barolos.

 

João Calderón

Publicado em 9 de Maio de 2016 às 15:00


Notícias