Revista ADEGA
Busca

13.mar - Mudança de designação de vinhos

Mudança de designação de vinhos do Ribantejo


O Conselho Geral da Comissão Vitivinícola Regional (CVR) aprovou uma alteração na designação dos vinhos do Ribantejo para Tejo. Essa medida gerou polêmicas, já que parte das adegas cooperativas da região aprovam essa mudança, enquanto as grandes casas agrícolas estão do lado oposto.

Essa questão envolve tradição e um nome mais forte para os vinhos. Antônio Ferreira, presidente da Adega Cooperativa de Almeirim, é contra essa medida, já que a considera que "esta situação não é benéfica para a região". Ribantejo é uma das pequenas regiões que podem se enquadrar dentro do Tejo. João Abel, um pequeno produtor de vinho de Coruche, revela que essa medida está acabando com as tradições de Ribantejo. "Acabaram com a verdadeira Feira do Ribatejo, com os produtos tradicionais desta região, aos poucos acabam com a figura do campino e agora até o vinho muda de nome. Noutras regiões tenta-se vingar o nome da região, aqui esconde-se porque dá má imagem".

Por outro lado, Paulo Cunha, da Sociedade Agrícola Pinhal da Torre, considera uma boa medida. Segundo ele "a mudança de nome não faz diferença, mas há uma nova direção na CVR com vontade de fazer mudanças estratégicas". O enólogo Rui Reguinga também defende a posição de Paulo. "A imagem dos vinhos do Ribantejo não é boa e não é aquela que o Ribantejo merece". Também uma facilidade da pronuncia de Tejo foi um dos argumentos utilizados pelos defensores da mudança.

Fonte: Jornal O Mirante (Portugal)

Redação
Publicado em 13/03/2009, às 11h08 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h45


Mais Notícias