Vinho - 09.Jun - Pesquisa norte-americana

Mudanças climáticas não influenciam aumento de teor alcoólico do vinho, diz estudo


Um estudo recente dos EUA tirou as dúvidas dos produtores de vinho os quais alegavam que a mudança climática é responsável pelo aumento do teor alcoólico.

Divulgação
Esse artigo, "Splendide Mendaz - falsas alegações sobre o alto e crescente conteúdo de álcool no vinho", da American Association of Wine Economists, analisou o clima com base nos dados de 1992 a 2009.

Foram analisadas mais de 129 mil amostras de vinho, incluindo 80421 tintos e quase 47 mil brancos de todo o mundo.

Constatou-se que na maioria dos países produtores de vinho o índice de calor cresceu menos que o teor alcoólico, e não pode ser atribuído como principal fator desse aumento constante.

O índice de calor foi criado pela média diária das temperaturas altas e baixas ao longo do período relevante de crescimento nos vários países estudados.

Essa pesquisa indica, dizem os autores, que a média do conteúdo alcoólico no vinho aumentou 1,12% em 18 anos. De acordo com eles, esse dado é considerado mais alto que o esperado quando comparado ao índice de calor, que prevê um aumento médio de 0,05% de álcool por ano.

Seria preciso um aumento gritante de 6,6ºC na temperatura média, durante a estação de crescimento, para somar 1% no aumento do teor médio de álcool no vinho.

O estudo também notou discrepâncias entre o teor alcoólico impresso no rótulo da garrafa e conteúdo de fato no vinho. "Rótulos são tendenciosos diante da norma, têm um teor desejado para um vinho particular - tinto ou branco", disse Julian Alston, da UC Davis.

"Talvez seja mais benéfico para a vinícola dar ao consumidor tanto as características desejadas pelo consumidor (incluindo o conteúdo de álcool maior) e as características do rótulo desejadas, suavizando o verdadeiro teor alcoólico".

Alston também apontou que os índices de taxas induziram fortemente a distorcer informações sobre o álcool: Imposto Federal de Vinho é de US$1,07 por galão de vinho de 14% ou menos de álcool, e US$1,57 por galão para os de teor de 14,1 a 21%.

Quanto às razões para o aumento do teor pelo mundo, os autores sugerem que podem haver diversos fatores climáticos ou culturais que não foram medidos, mas "nossas descobertas nos levam a pensar que o aumento do teor alcoólico do vinho é principalmente devido ao homem".

Mais notícias sobre vinhos...

+ Nomacorc fará pesquisa sobre a ação do oxigênio no vinho

+ Produtores de vinho unem música clássica e modernidade em design de garrafa

+ Venda de Champagne de 200 anos bate "recorde"
+ Produtora australiana compra premiada vinícola na Tasmânia

+ Na Espanha, cai quase 9% consumo de vinho em domicílios

Da redação

Publicado em 9 de Junho de 2011 às 07:36


Notícias