Revista ADEGA
Busca

Nigéria vive explosão de consumo de Champagne


A Nigéria é um país de contrastes. Ao mesmo tempo em que é classificada pelo FMI como uma das economias de maior crescimento, grande parte da população vive na pobreza. E, apesar da miséria, os nigerianos estão caminhando para se tornarem um dos principais consumidores de Champagne do mundo.

Em 2012, o país do oeste da África gastou mais de 38 milhões de libras em Champagne e as estimativas são de que o número não pare de crescer e chegue aos 68 milhões em 2017, com consumo de cerca de 1,1 milhão de litro.

A sociedade lá é muito dividida, há aqueles que são muito pobres e há os muito ricos, que têm gostos extravagantes e um consumo nesse nível. "O Champagne tem características muito particulares. Lá, ele esta presente em toda a elite", explica Spiros Malandrakis, analista sênior da Euromonitor.

Entre os setores de maior consumo estão os grandes empresários da indústria petrolífera, os músicos de hip-hop e a indústria cinematográfica, conhecida como Nollywood.

Vanessa Walters, editora da revista feminina Genevieve, afirma que o Champagne, na Nigéria é questão de status. "Todas as celebrações em Lagos são regadas a Champagne, e precisa ser dos melhores, como Cristal e Dom Pérignon. A bebida faz parte das relações dos homens e é usada para mostrar que o seu cavalo é maior que o dos seus vizinhos".

Mais notícias sobre vinhos...

Mouton Rothschild irá inaugurar galeria de rótulos de vinho

+Ex-técnico do Manchester pode comprar vinícola

Investidores chineses compram um Château por mês

Governo do Rio Grande do Sul anuncia a construção de uma adega oficial

Leilão de Hugh Johnson atinge 88 mil libras

Redação
Publicado em 21/05/2013, às 13h08 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h48


Mais Notícias