Revista ADEGA
Busca

15.jan - O efeito do aquecimento global

O efeito do aquecimento global na produçao de vinho


Os dias quentes que tem feito quando a névoa da manhã pousa sobre a vinha e o céu azul das tardes parecem amenos, tem aumentado a preocupação dos vinicultores norte-americanos.

A costa norte dos Estados Unidos precisa de grandes chuvas neste inverno para evitar que o campo seque e a produção reduza drasticamente.

Em um ano seco, as temperaturas tendem a cair mais e em mais noites. E desde que pulverizadores se tornaram o método mais comum de proteção contra o gelo, a água utilizada neste sistema poderia ser poupada para a irrigação.

Muitos produtores já têm lutado contra invernos secos por quase dois anos o que se traduziu num aumento da dívida, redução das receitas e custos mais altos para alimentação e irrigação.

A região de Santa Rosa recebeu apenas 7 polegadas de chuva nesta temporada, cerca de metade da média até meados de janeiro. Além disso, o Serviço Nacional de Metereologia (National Weather Services) prevê tempo quente e seco, pelo menos até a próxima quarta-feira.

Porém, muitos produtores se mantêm otimistas em relação à quantidade de chuvas, e torcem para que ela chegue logo, já que a média, em Santa Rosa é chegar a mais de 10 polegadas de precipitação em fevereiro e março, aproximadamente 1/3 do total.

A região de Alexander Valley é outra que sofre com o baixo nível de chuvas. A cada semana que não chove aumenta as chances do solo secar, prejudicando a produção.

O proprietário de aproximadamente 270 acres de vinhas, Jim Murphy afirma que um inverno seco e uma primavera gelada fará com que diminua muito a produção das vinhas e que os produtores da região têm aprendido com a mãe natureza: "O que ela nos der, pegaremos".

Redação
Publicado em 15/01/2009, às 14h14 - Atualizado em 27/07/2013, às 13h45


Mais Notícias