O mito Porsche

A marca que transformou os sonhos dos apaixonados por carros em realidade


Um Porsche é um dos automóveis mais desejados do mundo, um mito que desliza nas pistas. A fama não é desmerecida. Além da beleza incontestável, a marca privilegia sempre a mais alta qualidade. O teto de um conversível, por exemplo, é aberto e fechado seis mil vezes em uma câmara de climatização onde a temperatura é extremamente oscilante, indo de calores extremos até dez graus negativos.

Ferry, filho de Ferdinand Porsche, no primeiro veículo da marca, o 356/1

As janelas laterais também passam por esse processo por volta de 40 mil vezes, as portas 100 mil. Tanta cautela assim é recompensada - cerca de 70% dos Porsches já feitos ainda circulam nas ruas.

Primeiros passos

Como todo grande sucesso, a Porsche também começou com um sonho. No caso, um sonho compartilhado pelo austro-húngaro Ferdinand Porsche e seu filho, Ferdinand Anton Ernst Porsche, conhecido como Ferry. A indústria automobilística sempre esteve no sangue da família. Em 1902, quando os automóveis começavam a se desenvolver, Ferdinand já projetava carros e já havia criado o modelo Löhner, considerado revolucionário para a época por ter tração nas quatro rodas, cada uma acoplada a um motor elétrico.

O modelo 911 em 1963...

fotos: Porsche/divulgação
... e agora totalmente repaginado

A ânsia por evoluir resultou na criação de uma pequena fábrica de carros esporte, instalada em 1948 em Gmünd, Áustria. Pai e filho viveram até os anos 30 na Alemanha, mas com o término da Segunda Guerra Mundial acabaram voltando para o país de origem. Com isso, foi lá que aconteceu a construção do primeiro veículo Porsche, o 356/1. Era um carro esporte com dois lugares, motor traseiro, mas o que diferenciava este carro de todos de sua época eram as linhas limpas, retas. No final dos anos 40, as formas eram sempre muito rebuscadas.

O retorno para a Alemanha aconteceu nos início dos anos 1950, quando a fábrica foi transferida para Stuttgart, capital de Baden-Württemberg. A relação com o território alemão era tão significativa para a empresa que acabou tornando-se seu símbolo. No logo, o cavalo negro ao centro representa o brasão de Stuttgart. Este, por sua vez, está posicionado sobre o brasão de Baden-Württemberg.

No primeiro ano dessa década, porém, a marca perdeu seu maior visionário, Ferdinand Porsche. Foi seu filho Ferry quem teve a alegria de ver seu sobrenome transformar-se em uma das marcas mais reconhecidas do mundo.

Grandes marcos

Devido à já conhecida fama da família no meio automotivo, o reconhecimento por seu empreendedorismo não tardou. Em 1964, foi desenvolvido o 911, uma criação que obteve tanto sucesso que continua sendo vendida até hoje, com suas devidas atualizações. Nenhum dos modelos lançados na década de 1970 em diante, como os 914, 924, 944 e 968, conseguiu ofuscar a sua fama.

Apesar de tantos lançamentos, com a chegada da década de 1990 sentiu-se a necessidade de uma busca ainda mais intensificada por mudanças. A partir daí, a Porsche decidiu fabricar veículos exclusivos e inovadores. Foi nesse espírito que surgiu, em 1996, um outro carro importantíssimo - o Boxter. Ele substituiu os modelos criados até 1995 e representou uma volta ao motor central.

#Q#

O novo marco veio em 2002 com o modelo Cayenne invadindo o mercado, diferenciando-se por ser um carro com cinco lugares, muito espaçoso e feito para andar em qualquer tipo de terreno. Por fugir completamente do "padrão Porsche", foi muito criticado, mas acabou conseguindo conquistar seu público.

Vitórias

As competições sempre foram importantes para a Porsche, pois elas são o espaço onde os carros podem mostrar sua força e tecnologia. É por isso que a sua lista de participações e vitórias é extensa. O primeiro modelo, o 356/1, já foi um vencedor logo na primeira corrida, realizada em Insbruck, Áustria. O piloto era Herbert Kaes, seu proprietário.

Marco em 2002: o esportivo Cayenne Turbo

Essa primeira conquista foi, entretanto, apenas uma primeira amostra. Desde então, a Porsche já obteve mais de 23 mil vitórias em diversas competições do automobilismo mundial, entre elas Fórmula 1, Le Mans, Fórmula Indy, Mundial de Rali e Rali Paris-Dakar. No Brasil, alguns pilotos que venceram provas da Porsche ou com carros equipados com seu motor são Luiz Pereira Bueno, Christian Heins, Chico Landi, Fritz d''Orey, Emerson Fittipaldi, Wilsinho Fittipaldi, José Carlos Pace, Raul Boesel e Max Wilson.

fotos: Porsche/divulgação
Ferdinand Porsche e seu filho Ferry

Apaixonados de carteirinha

Quem adquire um Porsche deseja aproveitar ao máximo o potencial de seu automóvel. Para isso, existe no Brasil desde 1997 o Porsche Club, um local onde acontecem diversas atividades para que todos possam aproveitar seus carros ao máximo, além de trocar informações. Algumas delas são os cursos de pilotagem ministrados em autódromos e o Porsche Club Cup, um campeonato interno realizado desde 2001. Ao final do torneio, aquele que tiver vencido mais provas ganha um troféu transitório. O maior objetivo, no entanto, é intensificar o clima de companheirismo e competitividade.

Existem 510 desses clubes no mundo, somando mais de 110 mil membros. No Brasil, país que abriga o maior Porsche Club da América Latina, há por volta de mil associados. Esses já foram conquistados pela Porsche, mas, como lembra um dos princípios da marca, a sobrevivência não depende só daquilo que você conquistou, mas da aplicação de seu potencial futuro.

Thalita Fleury

Publicado em 24 de Setembro de 2008 às 07:14


Simply The Best

Artigo publicado nesta revista